Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos Incestos » Presenciei minha mãe se masturbando, fui ajudá-la.

Presenciei minha mãe se masturbando, fui ajudá-la.

Publicado em 26/10/2023 por Jovem_sedutor

Conto erótico

Presenciei minha mãe se masturbando, fui ajudá-la.

Presenciei minha mãe se masturbando, fui ajudá-la.

Presenciei minha mãe se masturbando, fui ajudá-la , em áudio

Meu nome é Rafaela, tenho 25 anos, tenho pele branca, 1,56 de altura, corpo escultural elogios à parte, seios grandes e bem durinhos, uma bunda empinada grande, coxas grossas, olhos cor de mel, cabelo longo preto com mechas loiras, faço academia sete dias por semana, e trabalho como recepcionista em uma academia, sou uma mulher bissexual, já peguei muitos gatos e gatas da academia, e sou uma puta de carteirinha, deu chance, estou molhada trepando.

Eu moro com minha mãe somente, meus pais são separados a alguns anos, nos damos muito bem e o clima em casa é bacana, nós moramos em um pequeno apartamento de dois quartos.

Minha mãe se chama Bruna, 43 anos, pele branca, 1,66 de altura, tem um corpo atlético, vai sempre na academia comigo, olhos castanhos, cabelo curto preto, tem seios médios fartos, uma bunda de dar inveja, não muito grande, mas muito bem definida, chama muito a atenção dos homens, coxas grossas, é uma mulher safada, vive com uns machos fazendo putaria em casa, trabalha em uma loja de colchões.

As semanas eram corridas para nós duas, mas era final de semana e eu iria sair com as minhas amigas para uma festinha a tarde/noite, tomei um banho gostoso e fui me arrumar, vesti uma lingerie branca bem sexy de renda, uma calcinha minúscula atolada no meu rabo, gosto muito, um blazer branco curtinho aberto, uma saia branca bem justa até o meio das coxas com brilhos, e uma sandália salto médio verde limão, como estava linda e sexy.

Sai de casa então, minha mãe não havia chego do serviço ainda, fui para a festinha, lá eu curti muito, bebi um pouco, mas não bêbada, beijei uns gatinhos e gatinhas na boca, mas não para safadezas, quando já era noite peguei um carro por aplicativo e resolvi ir embora, depois de um tempo estou na porta do meu apartamento, abro a porta devagar, as luzes apagadas, a TV ligada passando um filme pornográfico, olho para o sofá, minha mãe ali usando uma blusinha regata preta, de calcinha preta e com um vibrador ligado na sua boceta, sua cabeça encostada para trás, gemendo baixinho.

Minha mãe é uma mulher tentadora e muito provocante, eu ali a vendo brincar com aquele brinquedo, minha boceta estava muito molhada, como eu desejava chupar ela, tirei minha sandália sem fazer barulho, tirei meu blazer e segui até sua frente, eu ali olhava para ela se masturbando intensamente com o vibrador, aquela xoxota com poucos pelinhos, eu lambia os meus lábios de vontade de cair de boca ali e me divertir, até que ela sai daquele transe e volta a olhar para frente, quando me vê e leva um susto grande, tirando o vibrador da sua boceta e puxando a calcinha no lugar.

– Bruna: filha que susto que você me deu, não te vi chegar, olha como me pegou aqui, está aí parada me olhando;

– Rafaela: desculpa mãe, não era a intenção assustar você, mas quando eu cheguei e te vi assim toda delícia e se masturbando, eu quis assistir viu;

– Bruna: hum, gostou de ver sua mãe assim é, assim se masturbando com um brinquedo erótico, eu precisava aliviar um pouco;

– Rafaela: gostei lógico, adoro ver uma mulher linda e gostosa se masturbando com vibrador, eu fiquei molhadinha vendo como você gemia e brincava aí;

– Bruna: sua safada, sou sua mãe viu, você aí ficando excitada me vendo assim, vê se pode uma coisa dessa, mas olha como você está espetacular nessa roupa em, deve estar usando uma minúscula calcinha como sempre;

– Rafaela: sou safada mesmo, eu te chuparia toda mãe, iria adorar meter minha língua nessa boceta melada que está com certeza, faria loucuras, sim eu estou usando mesmo uma calcinha minúscula, vou te mostrar.

Nesse momento tomada pelo desejo, fui puxando minha saia para baixo até cair no chão e jogar longe, dei uma voltinha para minha mãe olhar a filha gostosa e safada que tem.

– Bruna: uau em filha, essa calcinha está bem enfiada nesse rabo, deve estar toda melada;

– Rafaela: está sim mãe, bem melada, estou pegando fogo, louca pra brincar com você, quero te enlouquecer hoje, vem viver essa experiência comigo.

Minha mãe me olhava com os olhos arregalados de surpresa, ficou sem saber o que dizer, já fui me ajoelhando no tapete em sua frente, dei uma primeira lambida por cima da sua calcinha, então nesse momento escuto um gemido manhoso, olho para seu rosto, um ar de quem curtiu, dou uma segunda lambida mais lenta, a vejo lambendo seus lábios, agora sei que ela quer ir pra safadeza, então peguei nas laterais daquela calcinha preta e fui puxando devagar e olhando para ela.

– Bruna: filha será que é certo fazermos isso, eu não sei;

– Rafaela: mãe se liberta, você é uma mulher deliciosa demais, homens e mulheres desejariam te chupar assim;

– Bruna: hum, será que vou gostar de ser chupada por uma mulher;

– Rafaela: se você não quisesse eu não teria tirado essa calcinha e já querendo te chupar bem safada.

A calcinha dela já estava nos joelhos, eu olhava aquela xoxota linda na minha frente, terminei de tirar do seu corpo essa peça, fiquei de quatro e como uma cachorra dei a primeira lambida naquela boceta, seu corpo pulou no sofá e um gemido alto saiu, adoro ouvir outra mulher gemendo.

– Bruna: nossa filha que delícia de língua, vai chupa essa boceta, me dê essa experiência.

Eu sem vergonha alguma na cara, sou muito cachorra, puxei sua cintura para frente e iniciei um sexo oral quente, eu lambia e sugava aquela delícia feminina, seu corpo entregue ao nosso prazer se contorcia de excitação, os gemidos eram contínuos agora, estava adorando, eu me divertia ali me lambuzando e rebolava minha bunda, minha boceta estava muito ensopada, minhas mãos já estavam subindo por dentro daquela blusinha, sentindo aquela pele macia, até sentir aqueles seios soltos.

– Bruna: sobe aqui filha, quero provar mais coisas contigo, vem me satisfazer vem, me leva ao prazer.

Paro de chupar aquela boceta maravilhosa, que saborosa que estava, a deixei bem mais ensopada, minha mãe se ajeitar no sofá, eu já apoio meus joelhos no sofá e sento em seu colo, nos olhávamos atentamente, vamos passando nossas mãos em nossos rostos, até ir colando um ao outro, nossas bocas se encontram e tocando levemente, nossas línguas fora da boca se tocavam, vai esquentando o clima, quando nossas bocas se grudam e começa um beijo com muito tesão e desejo.

Nossos rostos viravam para os lados naquele beijo envolvente e sedutor, nossas bocas não queriam se afastar, eu dava leve reboladas, vou sentindo as suas mãos por trás do meu sutiã soltando e tirando libertando meus seios, então suas mãos alisando minhas costas desciam até minha bunda, quando fui surpreendida com um forte tapa, meu corpo pulou até que sai nesse momento do beijo.

– Rafaela: uii que delícia de tapa em mãe, me deu tesão sua safada, está curtindo o nosso momento;

– Bruna: gostou né do tapa, esse rabo merece uns tapas assim mesmo, você é uma cachorra, estou animada com esse nosso momento, estou curtindo essa experiência louca.

Então eu sou pega de surpresa novamente, sou puxada pelo cabelo para trás, meu corpo se inclinou um pouco mais, minha mãe caiu de boca mamar meus seios, uau que sensação era aquela que sentia, ela lambia os bicos em movimentos circular, eu apoiei meus braços em suas pernas e gemia bem puta, como estava sendo maravilhosa aquela noite com aquela mulher gostosa.

Ela soltou meu cabelo, minha visão em vê-la me chupando era esplêndida por demais, eu sendo chupada por ela me levava a um êxtase de emoções inexplicáveis, ficou ali minutos se divertindo, eu gemia pedindo por sexo, suas mãos pegavam forte na minha bunda, eu queria me esfregar toda nela, até que ela parou de me enlouquecer de tanto prazer nos meus seios.

Eu saio então de cima de seu colo, ela fica me observando com desejo inegável, pego em sua mão e lhe puxo para sair do sofá, em pé uma em frente a outra, tiro sua blusinha, agora sim completamente nua, estou adorando ver ela assim, pego em sua mão e levo para meu quarto, e a mando se deitar, o que ela faz imediatamente.

– Rafaela: está pronta para subir o nível da brincadeira mãe?

– Bruna: sim filha, faz o que você quiser comigo, sou sua agora nessa safadeza, estou molhada já com as nossas brincadeiras.

Então pego uma chave em minha bolsa e abro uma gaveta, tinha muitos brinquedos eróticos, minha mãe só olhava o que eu iria aprontar, pego duas cordas e gel corporal comestível de frutas vermelhas, vou até a cama, sento na cintura dela, pego as cordas e amarro uma em cada mão e na cama, vou amar brincar com minha mãe.

– Bruna: filha, como você é uma tarada, o que vai acontecer agora;

– Rafaela: o que vai acontecer mãe, que nós vamos fazer uma festa na minha cama, eu vou aproveitar desse teu corpo de todos os jeitos, você é minha aqui e agora, vou fazer tudo que desejar contigo;

– Bruna: então faça, quero aprender e provar, porque na outra vez, sou eu que vou te dominar nessa cama como uma cachorra deve ser tratada;

– Rafaela: assim que gosto que me trate, vou adorar ser dominada por você outro dia, mas hoje quem manda sou eu.

Eu fico de pé na cama e vou puxando minha calcinha melada, vai saindo bem devagar, quando termino de tirar jogo longe e passo um dedo na minha boceta e chupo meu dedo, minha mãe olha para mim safada, seus olhos fixos me desejando loucamente, eu sentia um fogo insaciável, então tomei uma ação.

– Rafaela: quer provar minha bocetinha mãe?

– Bruna: quero lógico filha, deixa eu provar ela e sentir o gosto dela logo, vem logo para a mamãe provar.

Adorei a ação e reação de minha mãe, me ajoelhei em cima de seu rosto e me segurei na cabeceira da cama, quando sinto a primeira vez daquela língua, foi de baixo para cima bem devagar, eu suspirei fundo e meu corpo estrava em um transe de sensações extraordinária, aquela boca molhada chupando uma xoxota molhada, aí foi nessa hora que fui ao céus, minha mãe chupava e lambia minha xoxota toda, sentia entrar e sair várias vezes, as vezes até sugando o que me deixava excitada muito mais e gemendo como uma vadia louca para fazer putaria.

Eu estava tendo orgasmos seguidos com ela ali me comendo com sua perfeita língua, eu sonhava acordada já em me lambuzar naquele corpo nu dela, depois de uns minutos sendo muito bem satisfeita por sinal, saio de cima, a olhando por cima, via ela lambendo seus lábios com o meu néctar, eu estava ainda mais ensopada e fervendo.

– Bruna: eu amei me deliciar em uma boceta quente, ainda mais da minha filha safada, que delícia de sabor, te chuparia ainda mais;

– Rafaela: nossa eu estava pirando com esse sexo oral, saí de meu corpo diversas vezes, fiquei muito molhada, mandou muito bem em mãe, vou amar você me provando assim muitas outras vezes pode crer;

– Bruna: vou provar mesmo, gostei dessa brincadeira, minha vagina está incendiando agora, vai Rafaela se diverte comigo.

Vou até a minha gaveta novamente, pego um pequeno vibrador parecido com um pau, ligo ele e subo na cama, fico de joelhos ali e vou metendo aquele vibrador em sua boceta, vou ouvindo seus gemidos e suspiros, seu corpo se movimentava todo na cama, eu fazia o movimento de entrando e saindo, estava adorando ver ela assim pirando, então o tiro e chupo ele, provando seu néctar novamente.

Pego então aquele gel comestível que larguei em cima da cama, jogo por cima de seus seios, sua barriga, e vou com tudo mamar aqueles seios deliciosos com aquele gel, eu a chupava como uma mulher que desejava a tempos aquele momento, lambia e mordiscava os bicos, seu corpo sensual tremia de prazer, os suspiros mais fortes e ofegantes, com umas das mãos fui até sua xoxota e enfiei dois dedos dentro e a masturbava ora lentamente, ora rápido, olhei para seu doce rosto, os olhos fechados, a boca um pouco aberta e gemidos contidos.

Como eu mamei bem demais aqueles seios com aqueles bicos enrijecidos com nosso fogo, fui beijando sua barriga, seu umbigo, o gosto daquele gel estava uma delícia na minha boca e em seu corpo, subi novamente parando de masturbá-la, soltei as suas mãos agora, sou jogada então de lado na cama, nossos corpos colados e nossas bocas também, nós nos agarramos em um beijo intenso e ardente de novo, quando vou sentindo seus dedos me masturbando minha boceta e faço o mesmo, nossa safadeza estava no limite já, quando eu finalmente chego ao êxtase do prazer tendo um orgasmo maravilhoso e minha mãe mordia meus lábios com safadeza, sabendo que ela também chegou lá.

– Bruna: que noite foi essa em Rafaela, que sexo sem penetração foi esse em, amei a cada detalhe contigo hoje, pensei que não iria gostar, mas gostei e muito, vou querer a partir de hoje chupar pau e boceta, e lógico ser devorada pelos dois, obrigada por essa chance de aprender e gostar de uma nova sacanagem;

– Rafaela: que bom que curtiu mãe, eu queria mesmo um dia brincar assim com você, agora que sabe como é, e já gostou de praticar, vai ter mais prazeres em todos os sentidos e formas, e olha está de parabéns, amei ser bem mamada e chupada por você, quero ir pra cama assim contigo;

– Bruna: e nós vamos filha, ainda vamos ter momentos picantes e muitas brincadeiras dentro dessa casa, pode esperar.

Ela vai se levantando, saindo daquele quarto indo a algum lugar, rebolando toda feliz e com um sorriso malicioso na boca, agora eu tinha uma pessoa legal e gostosa dentro de casa para meus fetiches, minha mãe estava pronta para mais loucuras insaciáveis e enlouquecedoras.

4013 views

Contos relacionados

COISAS EM FAMILIA II

FAMILIA REUNIDA FINGIA NÃO VER MINHA ESPOSA FRERTANDO COM MEU PAI QUE APROVEITAVA QUALQUER OPORTUNIDADE PARA PASSAR A MÃO NELA OU ENCOXAR SUA BUNDA QUASE A MOSTRA NAQUELE VESTIDINHO BRANCO, POREM O...

LER CONTO

Transei com a minha prima e a filha dela

Transei com a minha prima e a filha dela Era um sábado, estávamos comemorando o aniversário do marido da minha prima, ela tinha 40 anos e um corpo de dar inveja em qualquer mulher mais nova, a...

LER CONTO

Sodomia paternal

conto erotico Sodomia paternal 2024 Fui criado pelos meus avós. Minha avó morreu e meu avô virou crente e era um grande benemérito da igreja. Eu o acompanhava aos cultos e conheci minha...

LER CONTO

Meu irmão engessado

Conto erótico  Meu irmão engessados em áudio. Meu nome é Carla , tenho 37 anos e trabalho pra a Google em algumas áreas que não quero falar. Meu nome não é fictício, mas o do meu...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 4 + 4 = ?
© 2024 - Club dos contos eroticos