Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos coroas » Sexo & Doce de leite

Sexo & Doce de leite

Publicado em 01/06/2023 por Fatpimp

Mais um conto real pra vocês

Estava em casa, meio adoentado. Mal conseguia andar.

Já passava dás 19h. Escutei vozes femininas no pátio da casa dos meus pais.

Minha mãe chegava da rua com visitas. Karen e Liz vieram me ver.

– Oi, negão… tá dodói?

porno telegram

– Tô dodói, sim.

Liz foi pra sala, conversar com os meus pais. Vi que Karen estava com uma sacola.

– O quê tem nessa sacola, meu bem?

– Te trouxe um presente.

Era um pote de 1kg de Doce de leite. Karen mora perto da fronteira com o Uruguai, terra do melhor doce de leite do mundo.

– Obrigado, minha gostosa. Adorei o presente!!

– Pena que tu tá dodói. Minha tia não está em casa. Estou sozinha no apartamento. Tu podia ir lá… pra dormir comigo.

– Tá bom. Eu vou lá dormir contigo.

Preparei a mochila pro dia seguinte, me arrumei e fui pro apartamento da tia da Karen. Ficava relativamente perto do meu trabalho, então não teria problemas para ir trabalhar.

Karen

Karen

Fomos pra parada do ônibus. Karen estava toda feliz e cheia de tesão. Tanto tesão, que ali mesmo na parada do ônibus, ela já estava acariciando minhas bolas e dizendo tudo que ela queria fazer.

– Quero que tu me coma muito essa noite. Tô cheia de saudade desse pau gostoso.

– Pode deixar, vou te dar um trato bem caprichado.

Na minha cabeça, eu também já imaginava todo tipo de safafeza pra fazer com ela. Transar com mulheres mais velhas é bom por isso. Elas topam todo tipo de putaria.

Nosso ônibus chegou. Fomos lá pro fundo, pra ninguém nos incomodar. Os bancos altos são ótimos pra ficar escondidos. Karen abriu meu zíper, tirou meu pau pra fora e batia uma punheta de leve.

– Tu tá muito safada hoje…

– Tô doida pra dar!

Quando o cobrador se distraiu, Karen se posicionou melhor e deu uma chupada no meu pau ali mesmo.

– Adoro esse pauzão gostoso!

Finalmente chegamos no apartamento da tia da Karen. Perto do terminal da Azenha.

Mal entramos e Karen já me agarrou, me enchendo de beijos. Eu já fui tirando as calças dela. Botei ela de 4 no sofá, cuspi no rabo dela e já fui pincelando a pica na bucetinha da Karen.

– Não me judia, amor… mete… mete tudo!!

Meti naquela bucetinha gostosa ali mesmo no sofá. Meu pau deslizava dentro da Karen.

– Assim, amor… come a tua putinha… fode a tua coroa safada… que saudade que eu tava do teu pau na minha xereca…

Karen pediu um tempinho.

– Negão, deixa eu fazer só uma coisinha.

Ela foi no quarto da tia dela, pegou o colchão de casal da cama e jogou no chão da sala.

– Me come aqui. Será mais gostoso…

Terminamos de nos despir e recomeçamos a nossa foda.

Deitei no colchão e Karen montou em cima de mim, atolando meu pau na buceta dela.

– Tá preparada, dona Karen? Agora eu vou te matar de prazer.

– É isso mesmo que eu quero!!

Comecei a meter forte na buceta da coroa. Karen começou a gemer, quase gritando. Apertava as tetas gostosas com as mãos e dizia:

– Tá gostoso… tá gostoso… aff… aff… eu vou… gozar… vou gozar…

Ela deu a 1a gozada sentada em mim. Continuei metendo com vontade. Segurava ela pela cintura e metia de baixo pra cima. Karen só se tremia e gozava.

– Mete… mete assim… aaii… aaaaiiiiii… assim… fode… fode… eu vou…

Karen deu outra gozada forte no meu pau. Não queria nem saber, continuava metendo com força. Me dá tesão ver a parceira gozar. E Karen já anunciava outra gozada.

– Filho da puta… tu vai me matar… eu vou gozar de novo… mete assim… mete mete mete… eu vou gozar…

Fiz Karen gozar 3 vezes em seguida. Ela não aguentou. Caiu sobre o meu peito cansada. Mas ela queria mais.

– Vou chupar teu pau. Sentir o gosto de buceta gozada nessa piroca gostosa.

Ela saiu de cima de mim e foi me chupar. Pagava um boquete bem gostoso. Ela sabia chupar muito bem.

– Fica de pé, Max. Essa puta precisa de uma surra de pau na cara.

– Tu quer uma surra de pau?

– Sim. Dá com ele na minha cara. Eu sei que tu gosta disso e eu também gostei. Me trata que nem puta…

Dei com meu pau na cara dela pra valer. Puxei os cabelos e dava com meu pau bem duro na cara dela.

– Bate na tua putinha, ela merece apanhar de pau na cara…

Resolvi testar os limites dela. Dei tapas na cara, metia meu pau lá no fundo da garganta, deixando ela sem ar. Ela chorava e pedia mais.

– Bate na tua putinha!!

– Vira de bunda pra cima, puta… vou comer teu cu!!

– Eu nunca dei o cu… vai doer!

– Vai doer mais é bom. Puta de verdade dá o cu.

Ela ficou de 4 e empinou a bunda. Aquela bunda branca, grande e gostosa.

Fui até a cozinha, peguei um pouco de margarina e passei no cu dela. Meti dois dedos, sem dó. Karen gemeu, mas parecia gostar. Passei o resto da margarina no pau e comecei a meter. Karen urrava de dor.

– Ai… meu cu, negão… tá rasgando o meu cu…

Quando a cabeça entrou, Karen gemeu. Dali em diante não tive pena. Meti com tudo no cu dela. Ela gemia de dor… mas a coisa foi mudando. Ela já começava a rebolar.

– Tá gostando, né… putinha?

– Dói mas é bom. Fode o cu da tua puta!!

Metia forte. Karen nem reclamava mais. Só gemia de prazer.

– Perdi o cabaço do cu. Só pra fazer isso comigo… fode o meu cu, amor!

Enquanto fodia o cu dela, pensei em outra coisa.

– Karen, tu já tomou porra?

– Ainda não… mas se for a tua, eu tomo todinha!!

– Ok, então…

Segui metendo nela. Que cuzinho gostoso. Karen já estava quase gozando pelo cu.

– Tá gostoso pra caramba o teu pau no meu cu… que delícia… mete mais forte que eu vou gozar… fode mais… fode meu cu!!

Ela gozou. Tirei meu pau da bunda dela e já meti na boca.

– Agora sente o gosto do te cu no meu pau.

Ela mamou bem gostosinho. Sem nojo e sem frescura.

– Continua assim, putinha… eu vou gozar… abre bem a boca.

Segurei ela pelos cabelos e larguei a porra a dentro. Enchi a boca dela de porra. Karen sem frescura engoliu tudo sorrindo.

– Tua porra é tão gostosa. Adorei.

– Agora tu é uma putinha de verdade. Minha putinha safada!!

Trepamos muito aquela noite. Fodi o cu dela até cansar e só gozei na boca. Foi maravilhoso.

De manhã, na hora de ir embora, Karen não queria me deixar ir.

– Fica. Por favor… vou dar pra ti o dia todo. Adorei dar o cu e quero mais porrinha quente.

– Hoje não dá. Fica pra próxima.

Devia ter ficado. A tia da Karen morreu e ela nunca mais veio pra PoA. Ficou com trauma da cidade.

Somos amigos até hoje.

Espero que tenham gostado de mais um conto real. Até mais.

559 views

Contos relacionados

O coroa fez tão gostoso que fiz xixi

O coroa fez tão gostoso que fiz xixiBom eu estava ali no google procurando algo sobre mijei no meu namorado e achei esse site com um monte de historias.... kkkkkkkkkk Eu sou lilian tenho 19 anos,...

LER CONTO

A tia da Clara

Conto erotico A tia da Clara em audio.Mais um conto real pra vocêsMinha amizade colorida com a Clara evoluiu pra um namoro firme. A gente se gostava, então resolvemos ir adiante na...

LER CONTO

Como fui usada por um coroa

Como fui usada por um coroaVou criar um e-mail ou Facebook secundário para adicionar vocês que responderam este conto.É muito complicado não poder falar sobre esse meu desejo. Como disse...

LER CONTO

Meu filho é feio, magrelo e pirocudo II

Nunca tinha percebido porque meu marido ficava tanto tempo me beijando a bunda e penetrava meu fiofó com a língua como se uma boca. Então, certo dia escuto ele dizer, enquanto gozava, que meu...

LER CONTO

1 - Comentário(s)

  • Done 20/08/2023 10:26

    Adorei seu conto se a Karen for essa gordelicia adoro mulher cheinha manda fotos dela principalmente se for safada não importa a idade nem corpo adoro as foras de padrão tenho 58 anos e um pau de 19cm [email protected]

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 5 + 4 = ?

Parceiros Do Site

© 2024 - Club dos contos eroticos