Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos traição » Eu achei que nunca faria isso com meu marido

Eu achei que nunca faria isso com meu marido

Publicado em 16/06/2021 por Aparecida😈

Eu achei que nunca faria isso com meu marido

Olá  pra todos, me chamo Aparecida e vou lhes contar algo que ocorreu comigo e mudou radicalmente a minha vida e o meu modo de ser.

Sou uma mulher bonita, jovem 29 anos, com o corpão  em dia, seios firmes e de tamanho medio, morena dos labios carnudos, cabelos longos, coxas grossas e firmes, com uma bunda que realmente mexe com a cabeça  dos homens e das mulheres, porque realmente ela é  muito bonita, redondinha, de volume bem destacado, por onde passo chama a atenção  mesmo, por vezes escuto cantadas e assobios dos mais exaltados, mesmo que vista uma calça  jeans ainda assim chamo a atenção… como diria uma amiga minha é que cuzao rs.

Sou casada com Robson (20 anos), grande amor da minha vida e ha 05 meses viveamos um relacionamento harmonioso, estável, sem nos preocupar com nada, Robson é  serralheiro com um otimo salário  , quanto ao sexo, sempre me julguei bem comportada e também  estava bem servida com ele que me procurava com a regularidade que eu precisava, sentia que um pouquinho mais seria bem aceito, pois sou bastante fogosa, mas como tínhamos  confiança  um no outro e nossa relação  era realmente bacana , ou seja, tinhamos , uma vidinha bem legal, com casa alugada e bem montada e tudo mais, por tudo isso o que fiquei mais espantada com o ocorrido a seguir narrado.
Meu marido gostava muito de futebol e sempre teve um grupo de amigos que o acompanhava nas  peladas. Desde solteiro ele saia duas ou trez vezes por semana para participar do futebol com os amigos, em especial quatro que o acompanhava ha mais tempo, Rai, alex, e outros amigos, todos muito respeitador e nunca nos trouxeram qualquer problema, eu até  ia algumas vezes ao campo para acompanha-lo, quando ja percebia alguns olhares diferenciados dos seus amigos, as vezes até  um abraço  mais apertado, principalmente do Wil que sempre dizia alguma besteira do tipo ta toda toda ein, mas devido a amizade de varias datas eles evitavam dar bandeira e ninguém  imaginaria que algo pudesse quebrar essa amizade de tantos anos e tudo seguia naturalmente, Alex e Rai também  eram casados e eu ate encontrava as suas esposas no futebol.

Entretanto, nos ultimos meses, meu marido passou a convidar os amigos para tomarem um cerveja lá  em casa e fecharem o domingo assistindo outro futebol que passava na televisão  por volta das 16 horas, saiam do campo por volta das 14horas e ficavam ate o final do jogo lá  em casa.

No inicio eu não  me incomodei e os recebia amistosamente, mas com o tempo comecei achar aquilo muito ruim, eles faziam uma bagunça  danada, tomavam muita cerveja e deixavam tudo para eu limpar, sem contar que no domingo meu marido não  era mais meu. Como sabia da paixão  dele pelo futebol, achei melhor não  interferir, passei entao a recebe-los naturalmente e às  vezes ate tomava uma cervejinha para acompanha-los, recebia todos com um beijinho no rosto tentando sempre passar muita respeitabilidade e não  me importava com a companhia dos amigos do futebol, a coisa aumentou ainda mais quando nas quartas-feira a turma passou tambem a se reunir lá  em casa para assistir mais futebol, continuei apoiando meu marido e continuei sem incomoda-lo com reclamações, afinal nossa vida andava muito bem, ele trabalhava muito e merecia um pouco de distração  com os amigos.

Entretanto, com as seguidas visitas dos amigos, comecei a me incomodar porque percebia que Robson devido a essas reuniões  periodicas passou a negligenciar a nossa vida sexual que não  era tão  frequente, algo acontecia com ele não  sabia dizer o que, a amizade dos amigos estava ficando muito importante pra ele, mas ja nao me procurava como de costume, e o outro incomodo era que as vezes eles chegavam sem avisar e me pegavam em trajes que costumava usar para ficar mais à  vontade em casa.

Numa dessas ocasiões, domingo, eles chegaram um pouco mais cedo e eu ainda estava usando um shortinho de algodao bem solto, daqueles que tem as pernas bem abertas, o qual eu só  usava para relaxar, quando não  tinha nada pra fazer em casa, ele é  bem larguinho nas pernas, do tipo que sentada a buceta fica bem à  mostra mesmo, bem macio o que me dava uma sensação  de liberdade, tanto que só  o usava sem calcinha, ficava realmente bem solta e nesse dia usava também  uma camisetao folgado, como tenho seios bem firmes tambem não  usava sutien, enfim estava bem à  vontade mesmo, afinal estava em minha casa.

Nesse dia eles chegaram já  um pouco mais alterados pela bebida e perceberam de imediato as minhas vestes, olhando um pouco mais atentos para o meu corpo que como disse é  um corpasso. Ao recebe-los na porta, Robson apertou levemente a minha bunda, provocando de imediato a minha libido, o que deixou quase de automaticamente os biquinhos dos meus seios bem duros, na hora eles estufaram o pano da camiseta, talvez tambem pela ausência  de sexo que nos viviamos naqueles dias, provocando repentinamente o interesse dos quatro amigos para aquela linda visão, continuei a recebe-los, mas já  comecei a perceber que os meninos também  mexiam comigo, afinal, apesar de amar demais o meu marido estava numa secura doida, ha dias que não  transavamos… Rai me beijou no rosto bem pertinho da minha boca, Alex apertou minha cintura um pouco mais forte, , mas foi Wil que me abraçou  mais forte, amassando os meus seios de encontro ao seu peito, como disse eles realmente já  estavam bem altos e a cena ajudou ainda mais. Todos foram para sala e eu me dirigia ao meu quarto para vestir algo mais adequado quando meu marido me chamou para sala, na verdade ele era o mais alterado de todos, nunca foi muito resistente para bebida, então  perguntou se eu não  poderia pegar uma cervejinhas pra eles, claro que sim, disse-lhe, percebi que ao entrar na sala, com excesao do meu marido, todos me comeram com os olhos, realmente a bebida tinha afetado todos eles, Wil então  não  tirava os olhos dos meus seios e, percebendo a oportunidade, prontamente disse que iria me ajudar. O curioso era que de certa forma eu estava começando  a me incomodar com os olhares gulosos que eram lançados pra mim e ate começava  gostar e a permitir, sempre me culpando pelo fato de meu marido encontrar-se tão  perto e como não  tinha esse comportamento usualmente preferi me conduzir normalmente ,esquecendo todos esses sentimentos e o tesão  que sentia, mas o comichão  entre as pernas não  me dava trégua. Wil se levantou e me acompanhou ate a cozinha, percebi que ao me seguir ele olhava constantemente para minha bunda, a bebida devia ter liberado uma pessoa diferente nele, eles nunca ousaram nada comigo, repentinamente quando abria a geladeira Wil veio por tras e me agarrou, meio que trombando, todo atabalhoado, como ele disse… segurou-se em mim para não  cair, mas querendo ou não  ele agarrou com as duas mãos  nos meus seios, rapidamente pediu desculpas e me soltou, dizendo que tinha tropeçando, disse a ele que estava tudo bem, mas era melhor que retornassemos, pegamos a cerveja e fomos pra sala. Com o tropeço  do Wil o comichão  nas minhas pernas aumentou e eu não  conseguia mais deixar os bicos dos meus peitos normais, os quais chamavam tanta a atenção  que os meninos não  tiravam os olhos deles (estavam bem protuberantes e doloridos), tentei me dirigir ao meu quarto novamente para me acalmar e deixa-los à  vontade para assistirem o jogo, seguindo o instinto de mulher casada e de moral ilibada, mas meu marido insistia em me segurar ao seu lado, ele estava realmente bêbado . Nossa sala a bem ampla com sofas e almofadas, mas eu estava no sofa entre Lex e Wil , naquele momento o jogo começou e todos ficaram muito a vontade, em intervalos Robson me abraçava  e me dava beijos, isso me tirava o equilibrio e eu fazia o maximo para deixar as pernas fechadas, comecei a perceber que por vezes a mao de WIl s esbarrava na minha perna, estava realmente incomodada com a situação  porque começava  a gostar daquelas encostadas de Wil, buscava a todo momento desvencilhar-me de |Robson e ir para o meu quarto me recompor, não  queria que percebessem a minha aflição  e tentava preservar também  a imagem do meu marido, entretanto, em determinado momento, |Robson já  muito alterado puxou-me para dar um beijo e eu não  consegui manter as pernas fechadas, para aparecer alguma coisa bastava apenas sentar naturalmente e naquele momento as minhas pernas abriram muito, deixando a minha buceta bem a mostra para aqueles que estavam no outro lado da sala aprecia-la, Alex , Rai e Wil, fiquei envergonhada e momentaneamente preocupadas, mas não  disse nada, fiquei bem escancarada, todos viram que fora Robson o culpado, cheguei a levantar uma das pernas e o shortinho nada tampava. Peguei uma cerveja rapidamente para disfarçar e tomei tudo de um gole só, foi aí  que eles perceberam que o meu estado ja nao era tao normal… apesar dos meus esforços  Robson insistia em me puxar a todo momento, continuava também  a sentir a mao do Wil na minha perna, teve um momento em que ele colocou realmente a mão  espalmada na minha perna, mas com medo da minha reação  ele a tirou rapidinho, mas aquilo tudo ja tava mexendo comigo e apesar da minha conduta moral eu jcomeçava  a sentir a bucetinha meio molhada, por vezes tentei me desvencilhar do Robson, mas a cada puxada ele me expunha mais aos seus amigos, quando me dei conta de que deveria sair dali porque poderia manchar o sofá  e denunciar a todos o meu estado de excitado, além  de comprometer a imagem do meu marido… disse então  que iria na cozinha pegar mais cervejas,Wil já  mais atrevido disse que iria me ajudar, apesar da visão  anterior os outros ja estavam mais acomodados e assistiam o jogo com atenção, ao caminhar sentia Wil mais perto, quase encostando em minha nuca, ele falava meio desconexo…. que era muito amigo de Robson e que adorava a minha casa, enfim a conversa não  tinha muito sentido, disse a ele que adorava a amizade dele com o meu marido e que ele deveria preservar a amizade que é  uma coisa muito valiosa, me dirigindo ao armário  para cortar um queijinho, dizendo também  a ele que precisava pegar uma tábua  que estava na prateleira de cima, nesse momento eu me esqueci que estava muito a vontade e peguei uma escadinha para pegar o objeto, subi, deixando-lhe com uma visão  dos deuses da minha bucetinha, lembrando do shortinho que usava eu rapidamente desci, ele então  ofereceu-se para pega-la, subiu na escadinha e pediu que eu a segurasse, nisso quando ele passou pelo segundo degrau da escada, pude perceber o volume que se formara no seu calção, sim porque estavam todos ainda com o uniforme do jogo, naquela hora eu percebi que realmente estava fora de mim, tive vontade de abaixar o calção  e chupar aquele cacete ate que ele gozasse na minha boca, ainda bem que ele não  podia ouvir meus pensamentos… pensei! Estava me descontrolando aos poucos e ao retornar Wil propositadamente resvalou o cacete na minha cara, tive certeza que ele estava me querendo, peguei a tábua  e comecei a cortar o queijo, não  sem antes tomar um talagada de cerveja, ele entao falou… eita Kat, nunca vi você  bebendo, disse que estava me sentido à  vontade e queria experimentar, o fato  que a cerveja também  estava me tirando do sério, não  tinha costume e já  me sentia um pouco zonza, nisso Wil passou por mim e me deu um beijinho no pescoço  relando o pau na minha bunda… Kat o Robson tem muita sorte, voce realmente é  uma gata, que isso Wil, vamos voltar pra sala que estão  todos esperando a gente, disse-lhe… claro vamos sim, eu estava com a tabua nas maos e ele com as cerveja, mas fingindo sem querer ele passou a mão  na minha bunda e apertou, olhei pra ele séria, mas ele so deu um sorriso e continuamos até  a sala.

Os bicos dos meus seios estavam doendo, pareciam que iam estourar na minha blusa, mas ja nao me incomodavam, ata gostava, a cerveja ja fazia efeito e eu começava  a gostar daquela sensação  gostosa, afinal meu marido estava do meu lado, literalmente, e me mostrava o tempo todo para os seus amigos, parecia que queria mostrar o quanto a buceta da sua esposa era linda, gordinha tipo capuzinho de fusca com um bigodinho bem aparadinho e lábios bem carnudos, a cada puxada que ele me dava com o intuito de me beijar, eu abria as pernas e ela ficava totalmente a mostra, teve um momento que ele me beijou por quase um minuto e nesse tempo não  tive como fechar as pernas e a minha bucetinha ficou totalmente a mostra, aberta mesmo, só  o Wil não  conseguia vê-la  porque estava do meu lado, mas até  ele ja não  se importava com a presença  de Robson e toda vez que eu virava ele encostava a mão  na minha bunda e ja até  apertava, apesar do remorso eu ja estava realmente muito relaxada e excitada, a culpa não  me atrapalhava mais, na verdade não  conseguia mais me controlar, o fato de Mario não  me procurar há  dias tambem colaborava para tudo aquilo, apesar de ter sido sempre uma esposa exemplar, começava  a me sentir enfraquecida na minha moral, afinal era ele que estava me expondo. Ele sempre foi um homem contido, reservado e as vezes até mal humorado, mas estranhamente ele não  conseguia ver mais nada, de quando em vez ele olhava para o jogo, mas ele realmente era o mais avariado de todos e eu me descobria a cada momento mais à  vontade e desavergonhada, procurava ainda me sentar adequadamente, mas Robson me puxava o tempo todo, ele não  conseguia se manter ereto e buscava em mim um apoio sem querer ele deixava a minha buceta cada vez mais a mostra, Alex, Rai , nem prestavam mais atenção  ao jogo, estava sendo comida pelos tres, mas eles não  conseguiam visualizar que WIl pegava o tempo todo na minha bunda, naquele momento eu já  estava desejando que ele enfiasse a mão  inteirinha dentro da minha buceta, ele encostava de proposito o dedo na minha racha por tras, do meu lado eu me pegava cheia de espanto e falando comigo mesma, como posso ficar nessa situação, sou um mulher casada e responsável. Apesar da bebida eu decidi que não  poderia continuar naquela situação, precisava preservar o meu marido, foi então  que falei que iria na cozinha fazer alguma coisa, nem me lembro o que foi, tomei um copo de agua e no momento em que tentava me recobrar WIl chegou dizendo que iria pegar mais cerveja, permaneci sentada, quando ele se aproximou e perguntou se eu estava legal, disse que sim, só  precisava ficar ali um pouquinho, ele entao abaixou e me deu um beijo no pesco?o e disse fica legal ein, girou e me deu outro beijo no pescoço. nooooosssaaaa ? aquilo me deixou zonza, levantei fiquei furiosa com ele e fui na pia pegar alguma coisa, quando ele se aproximou por tras e encostou o pau na minha bunda, novamente eu dei um soco no peito dele, mas indiferente ele levantou meu cabelo e me deu outro beijo no pescoço  me arrepiei toda, mas me virei e o empurrei novamente, tentei fugir da cozinha, dizendo-lhe: que isso WIl… tá  louco?! Ele nada respondeu, usando da sua força  ele aproximou-se novamente, ficou bem pertinho e passou bem suave a mão  nos bicos do meus seios por sobre a camiseta, me olhou firme, veio e me deu um beijo bem de leve, fechei os olhos e apesar de ainda tentar reagir eu pensei, nooooosaaaaaa…. eu preciso disso, minha buceta virou uma cachoeira, escorria pelas minhas pernas, naquele momento achei que ia gozar, mas ainda tentei impedir e disse, o que você  esta fazendo…. não  ta certo, então  ele encostou em mim e disse…. “relaxaaaaa”, seu peito presionava os meus seios e então  pude sentir o seu pau na minha buceta, pressionando, empurrando o shortinho, e com isso pressionando os labios da minha buceta, a cada momento pensava no Robson , mas o tesão  era tanto que não  conseguia mais me controlar, ele levantou a camiseta e deixou meus seios a mostra, duros igual pedra, chupou um bem devagarinho e depois chupou o outro, dava mordidas no biquinho, puxava com os dentes um e depois o outro, pegava com a mão  por baixo dos seios e apontava os biquinhos para a sua boca, como se fosse uma fonte de agua da vida, nooooooooosaaaaaaaaa, que sensação  gostosa, estava me sentindo no paraiso, quando tive o primeiro espasmo, gozei feito uma cachorra, escorria pela minhas pernas, quase cai, quando ele calmamente abaixou-se novamente eu tentei com minhas ultimas forças  reagir, mas ele tirou o shortinho pro lado e lambeu todo o meu gozo, mandou que eu abrisse um pouco mais as pernas e chupou, chupou, chupou, chupou, chupou, abria os lábios com as maos e metia a lingua com gosto, ele era malandro e chegava a mastigar um dos lábios  da buceta depois o outro, deixando tudo bem molhado, achei que ia desmaiar de tanto tesão  disse-lhe que estavamos muito tempo ausente e que os outros iam perceber, ele muito safado falou… “agora você  é minha quem dita as regras agora sou eu e vservocea minha sempre que eu quiser, minha escrava e so mais um instante, tem uma coisa que eu quero fazer”, levantou-se, puxou novamente o shortinho para o lado, quando ele desceu o calção…… noooooooossssaaaaaa que pica era aquela, nunca tinha visto uma igual, linda, imensa e dura, bem maior que a do Robson, me assustei, nunca tinha tido experiencia com outro homem, precisava buscar força  e fugir, mas não  houve reação  e ao contrário eu pensei, como minha buceta tava toda encharcada não  teria problema, então  ele veio bem de mansinho e enfiou aquele cacetao na minha perereca, caramba, parecia que ia me rasgar, como era grande e grossa, novamente fui as alturas, naquele momento pensei que nunca mais poderia viver sem aquela rola, ela seria toda minha, mas me preocupava com a nossa ausencia e disse-lhe que não  poderiamos ficar mais ali, ele disse ta certo, mas daqui ha pouco a gente volta ein, antes faz so um coisinha pra mim, mandou que eu abaixasse e foi empurrando minha cabeça  pra baixo, fiquei louca so tinha chupado a pica do meu marido, e ela não  tinha aquele calibre toda, então  ele disse…. de s um beijinho nele…. contrariando meus instintos de negação  eu peguei aquele cacete com gosto e enfiei o quanto pude na minha boca, ele também  estava pingando um melzinho delicioso, noooosa estou no ciu, chupei bem gostoso, colocava dentro da boca e sentia o gosto delicioso, nunca pensei que pudesse ficar daquele jeito, estava entregue ao sexo, lembrando que o meu marido estava há  poucos metros dali, repentinamente larguei o cacete e disse que tinhamos que voltar, ele então  me deu um beijo bem babado, noooosa ele realmente era muito malandro, pegamos algumas cervejas e voltamos pra sala, ao chegar percebemos que todos estavam muito atentos ao futebol, mas Robson não  desconfiou de nada, ele realmente estava feliz e muito entregue a bebida, me senti muito culpada, momentos atraz eu estava com a rola do seu amigo na boca, mas o tesão  era tanto que eu peguei ele e dei um beijo bem ardente, chupei a lingua dele com força  na certeza de que iria retornar a cozinha para WIl terminar o que começamos , decidi naquele momento que seria realmente a escrava do sexo e Wil seria o protagonista.

Eu sou uma mulher tipo uma India, Robson aticado pelo beijo que lhe dei me puxou para o seu lado e me deu um outro beijo bem molhado, chupou a minha lingua bem forte, quando novamente lembrei que acabara de chupar o pau do seu amigo, aquilo ao invés  de me dar um receio me deixou com um tesão  indescritível , então  eu o beijei com força, pensando na chupada que dera na pica do seu amigo minutos antes, amava muito meu marido, mas ele não  tinha o direito de me deixar daquele jeito e isso decretara a sua cornice, naquele momento me descobrira outra e estava muito a vontade, abri bem as pernas para quem quisesse ver a minha buceta, a qual as essas alturas ja estava bem vermelha pelo castigo imposto pela rola do Wil, resolvi então  aceitar a situação  e assumir por completo o meu tesão  não  sabia que tinha tanto, me sentia uma mulher certinha, mas acabara de descobrir um vulcão  dentro de mim, nessas alturas W|Il continuava as escondidas pegando na minha bunda, quando senti que ele descaradamente enfiou um dedo no meu cu, aquilo me deixou louca e resolvi abrir mais ainda a minha perna, escancarei de vez a minha boceta, deixando Ale , sergio e Rai com a visão  mais linda que eles poderiam ter naquele momento. Sempre soube que eles eram doidos por mim e sempre quiseram me comer, mas se escondiam na amizade que sentiam pelo meu marido, entretanto, contrariando os meus instintos a razão  tomava conta e eu me retrai num ultimo esforço  de mulher casada, passei a assistir o jogo, mas eles não  mais queriam ver o jogo, queriam me possuir, o fato era que eu estava entre uma coisa e outra, um momento queria me entregar, no outro tentava me resguardar, sai da sala e resolvi ir ao banheiro me recompor, disse a Robson que iria ao banheiro e sai em seguida, estava passando uma agua no rosto quando a porta do banheiro abriu e entrou alguém, achei que era o WIl que vinha terminar serviço  e não  me virei, de repente ouvi a voz do Alex no meu ouvido, dizendo que eu era um tesao e que não  aguentava mais, queria me comer de qualquer jeito, me assustei e me virei repentinamente, disse a ele que não  podia fazer aquilo, que não  estava certo, pensando que nao poderia ficar no mesmo dia com dois amigos do meu marido, seria demais, mas ele sabia que a minha negação  não  era de verdade e me encostou na pia e já  foi me beijando, como ele me beijava gostoso, chupava a minha lingua com força  enfiava a dele dentro da minha boca indo quase na garganta, enquanto isso ele amassava o meu peito, apertava com força  os biquinhos, pegava com dois dedos e torcia-os, aquela dorzinha me deixava zonza de tanto tesão, novamente minha buceta começou  escorrer, peguei a sua pica dentro do calção  e comecei a punheta-lo, tava duro como aco uma pica cheia de veias, menor do que a do Wil mas muito grossa, bonita, linda, estava achando aquilo um presente dos deuses, reagi num ultimo esforço  e o empurrei, mas ele me segurou e disse que queria aquele bucetinha de qualquer jeito porque eu tinha mostrado pra todo mundo e agora ele a queria, vencida eu me abaixei para chupa-lo, comecei achar que gostava realmente de chupar uma pica, e coloquei ela toda dentro da boca, mexia com a lingua na cabecinha, tirava, olhava e enfiava novamente na boca, repentinamente Alex disse que iria gozar, engraçado  é que eu disse para ele gozar e não  tirei a boca, goza……..noooooooooossssssa como saiu porra, vazava pelo canto da boca, engoli o quanto deu e ainda passei a língua  no canto onde vazou o resto, caraka!!!!!!!!…estava me sentindo uma puta e a cada momento o remorso me abandonava me deixando livre para outras e outras, ele continou gozando na minha boca ate amolecer, disse a ele que retornasse a sala, porque os outros poderiam desconfiar, ele saiu e disse que ainda nao tinha terminado…. falei que ia tomar um banho, quando ele saiu eu comecei a pensar, tinha ficado com dois amigos do meu marido e estava adorando tudo aquilo, sabia que ainda amava meu marido, mas n?o conseguiria regressar ao estado anterior das coisas, até  porque me sentia muito bem, realizada e sabia que tinha mudado, sabia que a bebida tinha colaborado, mas aquela realmente era eu, naquele momento algo mudara radicalmente.

Tomei um banho rapidinho, coloquei uma saia rodada bem gostosa e uma bluzinha pequeninha também  bem gostosinha, sem sutien nem calcinha, queria continuar a vontade, voltei pra sala e o jogo já  estava no intervalo, meu marido havia saido para ir ao banheiro, fui então  ao seu encontro pra saber se ele precisava de alguma coisa, nesse momento percebi que havia algo no ar e os meninos conversavam muito, ao chegar encontrei ele de pé  mijando quase caindo sobre o vaso, me aproximei peguei a pica dele e fiquei segurando enquanto ele mijava, deixa eu te ajudar meu amor, ele então  me disse, meu amor eu amo muito você  e tentou virar para me dar um beijo quando começou a mijar todo o banheiro, disse-lhe que também  o amava muito e comecei a punheta-lo enquanto mijava, ele sorriu e continuou, eu estava com tanto tesão  que segurava a pica dele doida pra cair de boca, ficava mexendo na pica enquanto saia a urina, ele tava adorando e meio que sorrindo, quando ele terminou eu nem esperei nada, dei descarga, sentei no vaso e come?ei a chupar o pau dele, naquele momento conclui que realmente eu adorava chupar uma rola, a pica dele com gosto de mijo e eu adorando chupava tudo, tirando a ultima gota de urina que ainda saia do canal, nooooooooosa, como eu estava transtornada, precisava dar muito naquele dia, chupei, chpei, chupei, snuf, snuf, chop, chop, gosts, sluppp, a pica dele não  estava como a do seus amigos, estava a meia boca, mas eu queria porra de qualquer jeito e iria tirar tudo de dentro do saco dele, continuei chupando, a pica entrava toda dentro da minha boca, estava meio mole, mas uma delícia , ele continuava dizendo…. meu amor voce e a mulher mais linda do mundo e ta virando uma boqueteira de qualidade, ahahahahahah, se meus amigos soubessem ficariam morrendo de inveja, chupei uns dez minutos, até  o momento em que ele gozou e eu engoli toda a sua porra, saiu pouquinho, bebado daquele jeito não  era de se esperar outra coisa, limpei bem o pau dele, guardei dentro do calção  e retornamos pra sala. Chegando na sala ele falou, meu amor pega mais cerveja pra gente, ai eu falei… Você  ja nao ta bastante alto… ele entao disse, que nada, o jogo esta so na metade e eu quero comemorar com os meus amigos, nos nao galera, ahahahahah, eu então  sentei com ele e disse que daqui um pouquinho iria, ao sentar levantei bem a saia, deixando eles perceberem que continuava sem calcinha e que a festa continuava, quando o jogo recomeçou  eu fui pegar a cerveja…. Wil novamente se prontificou a me ajudar, naturalmente, me levantei e ele foi me acompanhando de perto, antes mesmo de chegarmos à  cozinha ele me agarrou, ja nao falava nada, so me apalpava, levantou novamente a minha blusa e começou  chupar os meus peitos, nooooosa, minha buceta começou a escorrer novamente, minhas pernas banbearam e ele chupando vigorosamente os meus peitos já  metia dois dedos na minha buceta, tirei o pau dele pra fora do calção  e comecei a punheta-la, nesse momento ele estava eletrico, possuido, chupava com forca e me levantava do chão  punhetando a minha buceta, doia mas era gostoso demais, fiquei pensando quando o Robson fosse me comer ela estaria toda estragada, que bom!!!!! rapidamente ele levantou a minha saia, levantou uma das minhas pernas e enfiou com força, noooooooosssaaaaaaaaaaaa, achei que ia desmaiar, que rola gostosa gente, nunca mais poderia ficar sem aquela rola, sempre grosssa, linda e durisssima, estava totalmente em transe quando senti outra mao no meu peito, amassando com força  quase arrancando o seio, pensei que fosse o Alex e novamente tomei um susto, Rai babava no meu peito, eu tive um choque, quiz falar alguma coisa, mas Wil tampou a minha boca com um beijo, chupava a minha lingua como se quisesse arranca-la, de repente me vi sendo possuida por dois amigos do meu marido o qual se encontrava a poucos metros dali, eles já  tinham combinado tudo, meu marido com certeza não  teria a oportunidade de sentir a minha ausencia, Alex nao deixariam, enlouqueci e me vi tomada pelo tesão, naquele momento senti que tinha chutado o balde, me entreguei totalmente aos meus amantes, mas sempre preocupada com a distancia minima do meu esposo. Com a pica de wil enfiada na minha buceta, percebi quando Rai colocou-se atraz de mim e continuou amassando os meus peitos e pincelando a pica na minha buda, fiquei louca, achei que não  aguentaria aquilo e nem tempo a gente tinha, mas eles donos da situações  e eu me sentindo totalmente entregue, parecendo uma boneca de pano no meio daqueles dois loucos, não  tomei nenhuma atitude apenas continuei beijando Wil, que a essas alturas quase arrancava a minha língua, mordendo e chupando, babando dentro da minha boca, nesse momento ele afastou-se, realmente ele era o mais safado, olhou pra mim, abriu a minha boca e cuspiu dentro dela, nooooooooooooossssaaaaaa, em outro momento acharia aquilo muito porco, mas adorei quando ele deu outra cusparada no meu rosto e continou me beijando, Rai atras de mim já  pressionava a pica no meu cu, iriam fazer dupla penetração  e pior em pe, relaxei o cu e deixei a pica de Rai entrar, começaram então  a bombar ritimadamente, um entrava na frente o outro folgava atras, nooosssa, que sanduiche gostoso, ainda bem que Rai tinha a rola do tamanho da do meu marido, bombaram com tanta força, que eu achei que iriam me partir ao meio, eles estavam loucos, realmente transtornados, WIl continuava tampando a minha boca pra não  gritar, mas o tesão  era muito e já começava  a ficar com medo e indiquei que a gente não  poderia ficar ali por muito tempo, WIl disse que não  tinha problema, mas foi então  que eles aceleraram o ritimo, sentia meu cu e minha buceta pegando fogo, nesse momento eu ja tinha gozado duas vezes e estava extenuada, o ritimo era alucinante e as picas entravam e saiam com força, um cheiro de sexo começou a invadir o lugar, sabia naquele momento que os 3 tinham conhecimento de tudo em situação, estava viajando em meus pensamentos quando recebi de Rai um rio de porra no cu, ele continou bombando e a porra caindo no chão  ate que tirou a pica meio mole de dentro do meu cu, nisso eu soltei a perna que WIl segurava e fiquei de quatro, comecei a chupar e a limpar a pica de Rai, ainda consegui sugar um pouco de porra que saia da pica dele, Wil ofegante continuava socando na minha buceta, quando tambem começou a gozar, jogou tudo dentro da minha perereca, nosssa, estava completamente arrombada, me virei, com a porra escorrendo pela perna e peguei a pica de Wil e fiz uma limpeza de primeira, chupei muito, até  conseguir extrair a ultima gota de porra, levantei e dei um beijo de lingua em cada um e pedi que retornassemos ate a sala porque já  tinha se passado muito tempo da nossa ausencia. Sentei no sofa e ofereci uma cerveja para o meu marido que foi logo bebendo, ele ent?o me ofereceu e eu tomei um trago indo logo em seguida beija-lo com força, chupando bastante a sua lingua e pensando, toma um pouquinho de porra dos seus amigos meu amor, ele parecia que nada sentia, porque não  falou e nem esboçou  qualquer reação  que indicasse isso, enquanto beijava ele senti que WIl levantou totalmente a minha saia e enfiou trez dedos na minha boceta, todos olhavam atentamente os labios da minha boceta que a essas altura já  estavam do tamanho de uma orelha, de tão  inchados, continuei beijando o Robson e deixei que Wil me usasse como quisesse, desde que todos pudessem ver, em dado momento abaixei a saia e sai em direção  a cozinha, não  sem antes dar uma olhada para Alex, quando ouvi ele dizer que iria no banheiro tirar agua do joelho, cheguei na cozinha e sabendo que Alex viria, deitei na mesa e abri bem as pernas, ele chegou e nada disse, simplesmente caiu de boca e chupou, slup, shot, lsususo, fazia todo tipo de barulho e babava muito na minha buceta, puxava os bei?os para o lado e mastigava um depois mastigava outro, enfiava dois dedos e voltava a chupar meu grelinho, minha buceta estava duas vezes o tamanho normal dela, de repente ele enfiou um dedo no meu cu e continuou chupando a minha boceta, me encontrava com os olhos fechados quando percebi que havia outro pau enfiando na minha boca, era o Alex que exigia os seus direitos, ele enfiava o pau na minha boca como se fosse a buceta, fazia aquele barulho estranho shott shsot slup slup shot shot spot shop ele tava enfiando com tanta força  que chegava a entrar na garganta, Sergio aproveitando-se da minha distração, tirou o pau pra fora e enfiou no meu cu dizendo, eu sabia que um dia ia comer esse cuzinho, uma bunda desse tamanho não  pode ser de um homem só, enfiava e continuava falando…. oh cuzinho gostoso, agora vou comer ele sempre, não é  sua vadia, vou gozar nesse cuz?o sempre que quiser e o Robson não  vai poder fazer nada, quando ele falou o nome do meu marido aquilo me estimulou e eu dei o gozo mais gostoso daquele dia, foi tão  forte que eu tirei o pau do Rui da boca e quase gritei de satisfação  socava com tanta força  que fazia aquele barulho, cloc, cloc, cloc, tuf, tuf, tuf, cloc, cloc, bloc, cloc, bloc, meu cu tava tao alargado que cabia o punho de um homem e foi isso que ele fez, enfiou no meu cu e colocou o pau dele na minha buceta, ainda bem que ele gozou logo, porque aquilo tava arrombando o meu cu, quando ele gozou eu pedi que trocassem de lugar porque queria limpar o pau do Sergio, chupei tudo que ainda saia, nossa, acho que nunca mais conseguiria viver sem porra pra eu tomar, Alex logo depois voltou e gozou na minha boca, nunca engoli tanta porra. Voltamos pra sala e eu fiz o mesmo ritual, dei uma cerveja pro meu marido e tomei um gole, logo em seguida beijei ele com força  ainda bem que ele estava muito bebado, porque minha boca estava que era so porra, continuei beijando ele e chupava sua linga com força,  Wil continuava mexendo no interior da buceta, sempre subia a minha saia e deixava todos vislumbrarem o estrago que tinham feito, quando Rui aproximou-se e enfiou tres dedos na minha buceta, sem que Robson percebesse, noooooossaaaa.

Hoje meu casamento continua tão  bom quanto antes, amo o Robson, mas os meninos passaram a me comer regularmente, me tornei uma verdadeira puta pra eles, ate outros amigos entraram no clube, e as vezes eles me pegam no campo, de um de dois e até  os quatro de uma vez, não  consigo mais viver sem porra pra tomar, tenho que tomar todo dia e sempre dar muito a buceta. Outro dia transei com o Irmão  dele . a cada dia a fila aumenta, tomara que meu marido não  descubra nunca que a esposa dele virou uma puta que gosta de tomar leitinho, na verdade eu preciso de pelos menos uma gozada por dia……… Ate a proxima.

PARA VIDEOS E IMAGENS DE ESPOSAS OU CONVERASR COM CASAIS ACESSE O BOTÃO ABAIXO 👇

2427 views

Contos relacionados

Meu motorista do blablacar

Sou casada, tinha que fazer uma prova em outra cidade e fui de blablacar, o motorista me atraia, mas estava focada na prova e nada aconteceu naquele dia. Começamos a conversar no whats, e marcamos de...

LER CONTO

Ele trabalha e outros me fodem

Ele trabalha e outros me fodem Oi, gente! Meu nome é Cintia e tenho 26 anos. Sou casada com um homem maravilhoso, que sempre cuidou muito bem de mim e nunca me deixou faltar nada. Apesar de ser...

LER CONTO

A devassidão da jovem viúva II

Devido a um acidente, meu marido ficou paraplégico. Ele era vinte anos mais velho que eu e estávamos casados há catorze anos. O acidente aconteceu dois anos atrás e tinha esperança de que ele...

LER CONTO

Fudi com marido da vizinha só de raiva

Me chamo Selma e moro num conjunto habitacional em Niteroi a 30 anos, nesse tempo me casei, tive filhos e separei, estou só a 9 anos so e ainda sinto muito tesao no auge dos meus 54 anos. Aqui no...

LER CONTO

13 - Comentário(s)

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 1 + 4 = ?
Conheça o site de contos eróticos mais quente do Brasil. Faça outras pessoas sentirem tesão apenas com sua escrita, se abra com textos bem safados. Não deixe escapar nenhum detalhes, faça as pessoas se imaginarem naquela situação. Então saiba que você será capaz de fazer muitas pessoas gozarem apenas com suas escritas. Nós contos falamos apenas coisas pessoais que aconteceram conosco, agora já imaginou contar um segredo, algo único que ninguém pode saber? Então agora temos esse espaço, se chama meu segredo, você pode nós contar seus segredos, sem medos, sem julgamento, apenas se deliciar com os comentários mais safadinhos…… Então temos a maior mistura louca aqui, você pode falar dos seus desejos e ao mesmo tempo pode contar algo que te aconteceu… Esperamos entreter sua imaginação, leia os contos que te da mais tesão, temos uma ampla categoria, alguns dos melhores temas você só encontrar conosco,temas como cdzinhas, corno. Nós não somos responsáveis pelos contos aqui, apenas divulgamos contos enviados a nós. Somos um site independente sem parceiros. Melhores contos eróticos gays, contos eróticos cnn, contos de sexo, contos porno, contos com fotos. Então clica . Ah temos uma página de segredos, igual a página "eu confesso " mas 100% brasileiro e sem problemas com sua escrita Discover the hottest erotic story site in Brazil. Make other people horny just with your writing, open up with really naughty texts. Don't miss out on any details, make people imagine themselves in that situation. So know that you will be able to make a lot of people come off just by your writing. We tales only talk about personal things that happened to us, now can you imagine telling a secret, something unique that no one can know? So now we have this space, it's called my secret, you can tell us your secrets, no fears, no judgment, just delight in the naughty comments…… So we have the biggest crazy mix here, you can talk about your desires and the at the same time you can tell something that happened to you… We hope to entertain your imagination, read the stories that make you the most horny, we have a wide category, some of the best themes you can only find with us, themes like cdzinhas, horn. We are not responsible for the stories here, we only share stories sent to us. We are an independent site with no partners. Best gay erotic tales, cnn erotic tales, sex tales, porno tales, photo stories. Then click . Ah, we have a secrets page, just like the "I confess" page but 100% Brazilian and no problems with your writing Descubra el sitio de historias eróticas más popular de Brasil. Pon a otras personas cachondas solo con tu escritura, ábrete con textos realmente traviesos. No te pierdas ningún detalle, haz que las personas se imaginen en esa situación. Así que debes saber que podrás hacer que mucha gente se destaque solo con tu escritura. Los cuentos solo hablamos de cosas personales que nos sucedieron, ¿ahora te imaginas contando un secreto, algo único que nadie puede conocer? Así que ahora tenemos este espacio, se llama mi secreto, puedes contarnos tus secretos, sin miedos, sin juicios, solo deleitarte con los comentarios traviesos ... Así que tenemos la mezcla más loca aquí, puedes hablar sobre tus deseos y el al mismo tiempo puedes contar algo que te pasó… Esperamos entretener tu imaginación, leer las historias más cachondas, tenemos una amplia categoría, algunos de los mejores temas solo los puedes encontrar con nosotros, temas como cdzinhas, cuerno. No somos responsables de las historias aquí, solo compartimos las historias que nos envían. Somos un sitio independiente sin socios. Los mejores cuentos eróticos gay, cuentos eróticos cnn, cuentos sexuales, cuentos pornográficos, historias fotográficas. Luego haga clic. Ah, tenemos una página de secretos, como la página "Lo confieso" pero 100% brasileña y no hay problemas con tu escritura.
© 2022 - Club dos contos eroticos