Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos traição » Depravações de um casamento III

Depravações de um casamento III

Publicado em 07/10/2022 por Helga Shagger

Ylena se acorda, se espreguiça, soltando um pequeno bocejo. Ela tem dezenove aninhos e é de uma beleza estonteante. Pele cor de pêssego maduro, cabelos negros e olhos azuis. Seu pai, Yuri, quase consegue encostar as pontas dos dedos das próprias mãos em volta da cintura dela quando ele a possui por trás. Suas ancas são largas e as nádegas são firmes e um pouco mais polpudas que o normal. Seus seios são enormes e uma mão só do pai dela não consegue apalpá-los separadamente.

Pai e filha estão acompanhados pelo noivo dela, o Junior. Eles foram convidados para o casamento da filha de Jardel, a Leilane. Jardel é um rico fazendeiro e cacique político local de uma pequena cidade ao sul de Minas.

Voltando ao momento que Ylena desperta, seu noivo Junior a está olhando meigamente e lhe ajeita uma mecha de cabelo que caiu por cima de um olho.
– Não canso de te admirar, benzinho! Que sorte nossas famílias conspiraram para que nos encontrássemos e ficarmos noivo!
– Eu te amo Junior! Voce é meu noivo, meu homem e meu futuro marido!

Junior se inclina e dá um leve beijo nos lábios da noiva. Ylena afasta o lençol e descobre o corpo só vestido com a calcinha.
Junior respira profundamente a visão do belo corpo de Ylena. Ele adora… adora não! Ele idolatra os seios dela.
Imediatamente passa a beijar e chupar gentilmente os mamilos.
Ylena consegue apalpar a rola dele e passa a masturbá-lo.
Junior vibra de tesão e de vez em quando dá umas tremidas e balbucia roucamente.
– Vem! Vem, amorzinho, vem! Vem gozar nos meus seios!

O noivo de Ylena está tão excitado que em menos de um minuto ele ejacula entre os seios dela. Quando pára os espasmos, ele meio que desajeitadamente sai de cima do busto de Ylena que não parou um segundo de ficar lhe massageando o penis com os seios.
Junior está ao lado dela deitado de costas e recuperando a respiração. Ylena cruza as mãos na altura do umbigo e fica olhando pro teto. Junior percebe que a deixou na mão.
– Meu amor, meu amorzinho! Eu gozei muito rápido não foi? Mas, a culpa é sua com esse corpaço que voce tem! Aaah, mas não vai ficar assim não!

Com delicadeza ele lhe abre as pernas e logo cai de boca na xaninha da noiva, afastando a calcinha pro lado.
Ylena dá um muxoxo e três minutos depois finge que está gozando.
Leilane é a noiva de Afonso que se casarão nesse dia. Ela é a cópia fiel de Ylena no tocante a escultura corporal. A diferença é que ela é loira de pele alva.Qualquer emoção seu rosto fica com um belo tom de rosa.

Afonso é o vice-prefeito da cidade e está sendo patrocinado por Jardel, que desja que ele alcance vôos até Brasilia. Ele leva sua carreira mais do que a sério. É somente a necessidade física que a natureza obriga que ele tenha sentimentos amorosos e sexuais por Leilane.
– Mas… mas minha filha! Ainda acho um erro esse casamento!
– Todas as minhas amigas vão casar ou já estão casadas. Afonso é o tipo do homem que quer uma carreira de sucessos atrás de sucessos, uma boneca como esposa que o trai constantemente sem ele perceber. Ele é perfeito pra boneca aqui.
– Pelas ancas da potranca! Como voce é safdinha! Igualzinha a tua mãe!
– De jeito nenhum! A Simone é uma beata! Ele te traiu com um cara só e casou com ele! Foi até bom essa separação, pois eu te consolei e voce me ensinou diversos meios de gozar, né!?
– Fala mais baixo, querida! Os criados podem ouvir!
– Ok, ok! Mas quando voce vai trepar comigo antes da cerimônia? Que tal agora!? Vamos acabar o café e subir pro teu quarto! A despedida de solteira ontem à noite me deixou cansada e cheia de tesão!
– Não vais me dizer que trepaste com algum daqueles viadinhos!
– Nem eu nem Ylena iríamos arriscar! Principalmente eu por minha reputação! Mas, voce precisava ver a Patrícia!
– A Patrícia!? A mulher daquele pastor escroto!? Que beleza!!
– Tomou rola de todo o jeito e ainda levou dois garotos pra casa!
– Hãhã!?? É bom saber disso! Pede pra ela vir falar comigo!

Pai e filha incestuosos estão se levantando da mesa quando entra no salão outra belíssima mulher, Celene.
– Querida! Que bom que voce veio! Espero que o Célio faça as pazes comigo agora!
– Ele não veio! Ainda tá bravinho com voce!

Responde a bela Celene enquanto é beijada nas bochechas por Leilane.
– E voce, Laninha!! Como estás linda! Maravilhosa! Tá com a xaninha preparada pra hoje a noite!?

Leilane ruboriza com a piada de Celena. Mas por dentro ela pensa; “ Sim, a xaninha, o cusinho e a boca! Mas com homens diferentes!”
Nesse momento entra um homem magro de cabelos loiros e amarados num rabo de cavalo.
– Acho que voce já conhece o Frederico, né Jardel? Ele que veio dirigindo a mando do meu maridinho!

Os dois homens se apertam a mão e Frederico congratula pai e filha pelo casamento. Em seguida pergunta onde deixa as malas.
– Não, Fred! Não vou ficar aqui! Já reservei dois quartos no ho…
– De jeito nenhum, Celene! Temos suite sobrando e…
– Voce pode ficar na minha suite, tia! E Fred fica no alojamento.
– Onde é sua suite , senhora Leilane?
– Pára com isso de “senhora”, Fred!

Leilane e Celene se dirigem à escada que dá para os aposentos. Jardel convida Fred pra sentar e lhe oferece uma bebida.
– Obrigado, doutor Jardel! Mas, parei de beber já algum tempo!
– Eu, hein! Um homem véio desses parar de beber!!? Vixe!!
– Foi a dona Helga que me salvou!
– Helga!? A minha parceira lá de Rezende!?
– Sim! Sou cunhado dela! Ela foi viúva de meu irmão. Agora tá casada com Jarvis. Ela que me tirou do vício!
– Helga Helga! Te tirou do vício!? Então tu comias ela!!
– O quê? Não, não!
– Não fode, Fred! Não há o que esconder de mim! Antes do Antonio morrer, ela vinha se esconder aqui comigo de vez em quando com o amante e o… filho! Qual é o nome dele mesmo?
– Daniel. Do amante é Bruno. Na verdade fui apaixonado pela Cecília, filha dela. Mas, depois que ela casou, Helga nos flagrou e exigiu que ela e o marido fossem morar no Rio.
– Então, não trepaste com a Helga?
– Eu a amo demais! Jamais falaria qualquer coisa que a prejudicasse! A quem procuro pra indicar o alojamento?
– Ok, ok! Não devia ficar te pressionando! Mas fica sabendo que eu sei que voce comeu ela quando ela precisou de dinheiro e voce emprestou pra ela em troca de uma noitada por cada promissora! Voce nunca desconfiou quando ela te pagou antes da metade das prestações!? Ela me contou que esse foi acordo que ela fez com o cunhado! Eu emprestei mais do que ela precisava enquanto não saia a herança! Só agora conheci o tal cunhado! Portanto, Fred congratulo tua discrição! Agora, me diz… estás comendo a mulher de meu sobrinho!?
– Tô….

Um sorriso irônico aparece nos lábios de Jardel. Ele chama por um nome e aparece um funcionário.
– Arrume uma das suítes da ala sul e acomode meu amigo lá!

Fred balbuciava agradecido quando entrou uma das mulheres mais belas que Fred já tinha visto.
– Oi! Bom dia! Jardel podemos tomar café juntos?
– È sempre um prazer tomar novamente outro café da manhã com voce, princesa!

Fred e o funcionário se afastam enquanto Ylena e Jardel se sentam. Ele serve uma xícara de café pra ela.
– Me leva pra ver o Vortex! Por favor!
– Hááám! Parece que voce viciou! E se teu pai souber?
-Só se voce contar! E aí nunca mais voce vai me fuder!!
– Claro que isso vai ser um segredinho entre nós! Na verdade me excita barbaramente ver voce fazendo aquelas coisa com ele!
– E eu te amo por me proteger e deixar eu realizar minhas depravações! Sexo é tão sem graça sem incesto, adultério e…
– Shiiiu! A criada tá vindo aí!

Meia hora depois, Ylena e Jardel chegam de camionete no estábulo. A pedido de Ylena, ele a beija aumentando ainda mais a tesão reprimida desde quando acordou.
A pedido de Jardel, ela se despe e ele transforma o assento num confortável sofá dentro da cabine dupla.

Os olhos de Ylena chegam a marejar e sua boca se enche de saliva quando Jardel expõe sua rolona.
– Aaaiiieeem! Me dá! Me dá, esse colosso! Me dá pra mamar, dá!!? Junior me excitou mas me deixou na mão! Aquele corno!

Jardel aspira o ar por entre os dentes quando sente a umidade morna da boquinha da filha do seu amigo Yuri engolindo sua torona! Ylena faz a proeza de lhe engolir toda sua jeba e permanecer assim por vários segundo até seus olhos lacrimejarem e ela soltar um longo soluço de prazer.

Sua filha Leilane não consegue tal proeza, mas em compensação ela se sente a vontade e goza desvairadamente quando ele e Yuri lhe fazem dupla-penetração anal.
Já Ylena não se sente confortável em agasalhar ao mesmo tempo duas jebas em seu cusinho. Embora, a compulsão que ela tem por gozar sendo sodomizada é admirável.

E agora ela quer brincar com Vortex cuja rola é quase três vezes mais grossa que a dele! Vá entender as mulheres!

Jardel sabe que tanto Ylena quanto Leilane só gozam mamando rola quando tem o anelzinho do anus com dois ou três dedos se mexendo dentro.
Ylena solta um gritinho quando o segundo dedo lhe invade o cuzinho. Jardel porém tem fascinação por xaninhas depiladas.
Ele consegue que os dois se posicionem para fazerem um sessenta e nove.

Eles se ajeitam sem que Ylena retire a imensa jeba da boca e Jardel também sem retirar os dedos do cusinho dela. Que agora um terceiro dedo foi introduzido.
– Me…me prepara… me prepara pro Vortex!
– Não faça isso, anginho! Voce pode se machucar! Não é suficiente voce se esfregar e dar chupões na rola dele!??
– Tal…talvez, talvez voce tenha razão… mas, me faz gozar agora!
– Voce quer… no cusinho!?
– Onde… onde voce quiser! Mas de preferência lá!

Ylena está agora sentada como um sapo na virilha do amigo de seu pai. A rola dele chega a curvar devido o apertado do cusinho dela. E Ylena que segura a jebona pelo meio no intuito de ir ela mesmo se atolando na musculosa rolona.

Jardel tem o olhar vidrado no rosado anel que vai engolindo pouco a pouco sua tora. Pra ajudar, Ylena cospe a baba e saliva na mão e depois ensaboa a envergadura da rolona que desliza pra dentro de seu cusinho.
– Nã…não me toca! Deixa que… que eu…eu faço o rebolado! E… e nãnão goza antes de mim!

Jardel não tem ouvidos pro que ela está ordenando. Seu olhar se gruda nos glúteos que maravilhosamente se deformam ao rebolar e quando ela senta engolindo inteiramente seu torão!

Ylena sente a força do macho quando ele ejacula com força dentro do seu cusinho e a abraça apertadamente, empurrando com vigor sua virilha de encontro as suas nádegas. Ela leva uma das mãos até a cabeça dele lhe acariciando os cabelos enquanto ele urra e baba escorre de sua boca no ombro dela.

A bela filha de Yuri se contorce toda com aquela grossura entalada em seu cusinho. Esperma escorre em abundancia, lambuzando a parte inferior das nádegas dela e a virilha dele.

Os dois estão sentados lado a lado. Ylena fica brincando com os dedos em volta da semi-rigida rolona do amigo de seu pai. Ela tem os olhos fechados, um sorriso nos lábios e acaricia sua xaninha.
– Agora me leva pro Vortex, seu pervertido! Voce vai endurecer essa piroquinha de novo me vendo chupar o caralhão dele!!
– Como uma mulher tão bela pode expressar tanta baixaria!!
– Voce não se excita!? Eu é que não gosto que digam “coisas” pra mim! Mas adoro te xingar enquanto voce me enraba!!
– É uma pena que não posso pedir isso pra Leilane!!
– Voce pode elogiar o corpo dela e que quer fodê-la! E também manda ela contrair o cusinho quando voce estiver dentro!!

Jardel e Ylena dão o primeiro passo pra dentro do estábulo e já ouvem o longo relincho de Vortex. Os dois estão nus somente calçados com as botas.
Enquanto Ylena praticamente vai correndo pra baia onde está Vortex, Jardel fecha os portões de entrada e saída do estábulo.

Quando ele chega perto da baia, Ylena está com os braços em volta do pescoço do cavalo e seu corpo levantado do chão pela cabeçorra de Vortex. Seu focinho encaixa perfeitamente no baixo ventre dela.
A filhinha de Yuri passar a soluçar descontroladamente quando a serpenteante língua de Vortex passa a lhe dar lapadas na xana.

O cavalo, talvez pelo esforço de ter o peso de Ylena suspenso em sua cabeça, parece se sentir mias confortável quando sua amante humana fica tocando o chão nas pontas dos pés.

Num rápido relance de lucidez ela vê Jardel olhando fixamente pra cena entre ela e o cavalo.
– Mete… Mete na… na minha bunda, paizinho! Mete!

A posição favorece e Ylena urra quando a torona de Jardel passa a se mexer dentro de seu cusinho.
Jardel se excitou ainda mais quando ela o chamou de “paizinho”.
-AaiAiiAii filhinha! Rebola! Rebola, minha criança! Engole… deixa eu meter… meter tudo, princesinha do papai!!

De vez em quando Jardel sente as lapadas da língua de Vortex em seu saco escrotal.
Quando Ylena goza, ela larga a crina do cavalo e vai escorregando. Jardel só tem uma saída. É ir dobrando os joelhos até se sentar. Seu cacete continua rígido dentro do cusinho da filha de Yuri.

Vortex baixa a cabeça e continua a lamber vigorosamente a xaninha dela. Parece que Ylena está semi-inconsciente, mas sentindo múltiplos orgasmos com a seu cusinho entalado e as lambidas do cavalo.
Sua nuca está apoiada no ombro de Jardel e de seus lábios se ouve sussurros e mais sussurros de baixo calão acompanhados de pequenos jatos de saliva.

Jardel consegue fazer com que Vortex fique com seu flanco ao lado deles. Em seguida, arrastando a própria bunda e ainda com Ylena sentada em sua virilha, se aproximam mais perto onde a imensa e grossona rola balança perto do rosto dela.

O odor eqüino da estupenda rola faz a bela filha de Yuri sair da letargia. Logo ela está tentando engolir a malhada glande segurando a gebona com as duas mãos
Aquilo tudo é demais pra Jardel que ejacula forte no cusinho dela chegando a espirrar pra fora do anelzinho rosado do anus da bela ninfeta.

Ofegante, ele sai de dentro do cusinho de Ylena. Ela se sente mais confortável ajoelhada, chupando tudo que sai da boquinha do cacetão, masturbando Vortex com as duas mãos.
– Jarr…Jardel! Eu… eu preciso sentir ele dentro de mim! Pelo menos a glande! Acha… acha um jeito!!

Enquanto Ylena continua chupando e passando a rola eqüina pelos seios, Jardel coloca duas selas lado a lado em cima de um cocho. Em seguida ele e Yelena, ela o guiando segurando a gebona, posicionam Vortex para que o cocho fique embaixo dele.
Ylena se deita de costas, respirando excitadamente. Jardel a frente de Vortex e segurando pela crina, o deixa conforme Ylena vai orientando. Ela arfa, quase como um ronco, quando as bolas dele se achatam em sua cima de sua vulva e a extensão da rola passa por entre os seios e lhe alcança o rosto.

Ela abraça a rolona com os braços e os seios enquanto sua língua tenta penetra no buraco da enrijecida glande. Ela dobra os joelhos ficando na posição de frango assado, agasalhando o resto da extensão da rolona entre suas coxas.

Fica nessa posição até Vortex lhe dar um banho de esperma.

Convido meus leitores a visitar meu blog http://eternahelga.blogspot.com.br/ onde encontrarão esses contos devidamente ilustrados. Obrigada

1892 views

Contos relacionados

TATI

Passando de surpresa na casa da sogra naquela tarde encontrei Tati parada no portão usando vestidinho preto que mais parecia camisola, parecendo puta a espera de cliente enquanto seu padrasto...

LER CONTO

VELHO SUJO E SAFADO

OLÁ A TODOS MEU NOME É VALQUÍRIA NÃO É MEU NOME VERDADEIRO MAIS PARA MANTER O ANONIMATO DE TODOS OS PERSONAGENS DESSA HISTÓRIA NÃO SE TRATA DÊ APENAS UM CONTO ERÓTICO MAIS SIM DE UMA...

LER CONTO

TROCANDO CHIFRE COM MEU PAI!

NÃO CONSEGUIA ACREDITAR QUE FLAVIA CONVERSAVA SEM NUNHUM CONSTRAGIMENTO, SENTADA NO VASO SANITARIO COM MEU QUE PAI FINGIA DISPLICENCIA POREM NÃO PERDIA UM SIMPLES MOVIMENTO DELA. QUANDO ELA...

LER CONTO

Ela armou para mim

Ela armou para mim Conheci Amanda quando comecei a namorar minha esposa, eram melhores amigas e permanecem assim até  hoje, tanto que foi madrinha de nosso casamento e nós  dela, e nunca nos...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 3 + 3 = ?
© 2024 - Club dos contos eroticos