Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]

Não vou agentar

Publicado em 18/01/2024 por Fernando Moreno

Ao receber esse beijo na boca de Silvana e o beijo no saco de Evelyn, senti que o tesão estava no ponto em que eu realmente não iria aguentar, pedi para Silvana segurar um pouco que já estava praticamente chegando a ponto de bala. Ela olhou para minha cara e me disse: “Até parece que você não me conhece.” e riu. Mais mesmo assim ela foi sutil e ficou me beijando, mais Evelyn não parou, tirei Silvana de cima de mim, peguei a Evelyn e coloquei ela de 4 na beirada da cama, para poder segurar o tempo ajoelhei no chão e comecei a chupar a buceta dela; o que fez ela soltar um gemido e Silvana pegou foi para cima da cama, pegou minha cabeça e começou a forçar meu rosto contra a xoxota de Evelyn. Eu chupava a buceta de Evelyn e ora pegava e dava um tapa na bunda, o que deixou uma pequena marquinha dos meus dedos na bunda dela. Evelyn gemia gostoso na minha língua, fiquei nesse ritual delicioso por alguns minutos até sentir que já estava mais tranquilo para conseguir enfiar novamente meu pau sobre a buceta dela ou da Silvana, teve um momento em que parei de chupar a buceta de Evelyn e Silvana veio com dois dedos e já enfiou dentro da buceta dela, e fazendo isso ela roçou por um pouco e depois de tirar o dedo de dentro dela, pegou e colocou os dedos dentro da minha boca e me disse: “Sente o gosto da buceta dela, senti vai cachorro.” E ao fazer isso ficou em pé na beirada da cama e colocou a buceta dela na minha cara, o que dei uma bela lambida, porém foi por pouco tempo, ela já pegou voltou a ficar de joelho do lado de Evelyn que já estava querendo se levantar, Silvana pegou a cabeça dela e forçou sobre a cama, deu um tapa na bunda da Evelyn e me disse: “Enfia na buceta dela vai, ela está com a buceta babando para receber seu pau, vai.” Claro que obedeci rapidamente.

Vou confessar para vocês que uma das posições que mais amo para gozar é quando a mulher fica de 4. Isso sim é convite para gozar, ou finalizar uma transa. Levantei e comecei a roçar a cabeça do meu pau na entrada da buceta de Evelyn, como ela está muito molhada, logo o meu pau entrou tudo até o fim, o que me fez segurar com as duas mãos sobre a cintura dela. E comecei a bombar, claro fui enfiando devagar e fui aumentando, só que não aumentei muito pois estava realmente próximo a gozar, só que ia respirando e tentando segurar mais um pouco. Silvana pegou na bunda de Evelyn, que estava de 4 na beirada da cama, e recebendo meu pau sobre a buceta, e abriu a bunda dela bem aberta, e deu alguns tapas, deixando a marca na bunda dela. Peguei e enfiei meu pau todo, o máximo que consegui enfiar dentro da buceta dela. Segurei meu pau lá dentro e comecei a usar uma técnica que li uma vez em um livro de pompoar, que é ficar pulsando o pau como se estivesse fazendo ele subir e descer, ou para cima e para baixo, mais dentro da xota dela. Silvana começou a me beijar, mas enquanto ela me beijava começou a roçar o dedo na entrada do cuzinho de Evelyn, que gemeu com mais tesão ainda. Quando vi isso pensei comigo, “Filha da puta, só porque eu estou pronto para gozar, se eu conseguisse hoje iria comer esse cuzinho, mas não vou aguentar.” Avisei que iria gozar, Silvana me empurrou, ajoelhou na minha frente e começou a mamar meu pau, não foi duas mamadas e já comecei a gozar igual louco, mal consegui me segurar de pé. O que mais me chamou atenção, foi que enquanto gozava Silvana não deixou sair nenhuma gota, muito pelo contrário, ela engoliu tudo. E depois de engolir ainda abriu a boca e me mostrou que tinha engolido toda a minha porra.

Evelyn e Silvana começaram a se beijar, eu deitei na beirada da cama, elas vieram e começamos a dar um beijo triplo, mais logo fomos ao banheiro e tomamos banho, mas enquantos tomávamos banhos, nos beijamos e ficamos por um bom tempo ali nos beijando e passando a mão, um sobre o outro, teve um momento em que ensaboei a Silvana e passei a mão sobre o cuzinho dela, o que ela disse pra mim: “Está louco para comer um cuzinho hoje né cachorro, mais hoje não.” Para mim tudo bem, pois não acreditava que conseguiria atender ela logo de cara. Mais tudo bem, fomos para cama deitamos Silvana pegou e começou a fazer um boquete, porém meu pau estava mole, mais ela ficou ali dando atenção para ele por um bom tempo, e bota bom tempo nisso, realmente eu estava achando que não iria mais ficar ativo, Evelyn pegou e começou a me beijo e arranhar meu peito, enquanto Silvana me chupava Evelyn se levantou e colocou a buceta na minha cara o que já entendi o recado e comecei a chupar ela, enquanto eu chupava ela, ela abaixou e começou a ajudar a Silvana a me chupar, quando o meu pau começou a dar sinal de vida, Silvana pegou e já sentou em cima dele e começou a galopar. Evelyn saiu de cima de mim, ficou de lado e ficou se tocando enquanto Silvana galopava no meu pau. Silvana abaixou perto do meu ouvido e me disse: “Você achou que só a Evelyn iria sentir seu pau na buceta dela né, seu filho da puta. Você nem deixou eu sentir seu pau hoje, agora é minha vez.”

Enquanto ela galopava, eu segurava a cintura dela e ajudava forçando a buceta dela contra o meu pau, infelizmente meu pau estava meia bomba, e de repente meu pau saiu de dentro da buceta dela.

Ela pegou meu pau novamente e colocou dentro da buceda dela, jogou o corpo um pouco para trás e ficou roçando para frente e para trás. Enquanto ela ficou com meu pau dentro da buceta dela, Evelyn chegou perto e começou a chupar a buceta dela sem tirar meu pau de dentro dela; Evelyn se levantou e começou a beijar a boca de Sil, e logo depois sussurrou algo no ouvido no ouvido de Silvana, passei a mão na bunda de Evelyn  e enfiei um dedo dentro da xoxota dela. Silvana começou a galopar cada vez mais rápido sem dar tempo para eu pensar, o que comecei a dizer como aquela trepada estava um delícia e comecei a gemer, Silvana roçava para frente e para trás e rebolava, ficamos assim por uns bons minutos, quando ela cansou de roçar para frente e para trás ela colocou as mãos no meu peito e começou ir para cima e para baixo, percebi que iria gozar novamente, avisei que estava quase gozando, ela logo saiu de cima de mim, eu fiquei em pé em cima da cama, Evelyn ficou na minha frente de boca aberta, e Sil disse para Evelyn: “Você não me pediu para fazer ele gozar na sua boca cachorra?. Ai esta engole toda a porra dele vai cadela.” Na hora que ouvi essa frase comecei a gozar, não tanto quanto a outra vez, mas foi o suficiênte para ele pegar e engolir toda a porra que saiu do meu pau. Depois que terminei de gozar ela engoliu tudo, acabamos deitando na cama Evelyn da minha direita e Sil à minha esquerda, acabamos dormindo exaustos, e com isso vou dizer para vocês que foi uma noite maravilhosa.

75 views

Contos relacionados

Encontro ao Acaso

Conto erótico Encontro ao Acaso em audio Era uma sexta-feira por volta de umas 21:30, após uma semana corrida e cheia de desafios nada fora da rotina, mais era daqueles dias que eu não...

LER CONTO

Mamei no pau de um desconhecido dentro do provador de roupas da loja que eu trabalho .

Olá ! Tudo bem? Estávamos na véspera do natal do ano passado a loja de roupas e variedades que eu trabalho estava super movimentada com várias pessoas fazendo suas compras natalinas até porque...

LER CONTO

A recrutadora e uma entrevista envolvente.

Contos eroticos  A recrutadora e uma entrevista envolvente , em áudio. Olá meus leitores queridos e cheios de tesão, vou contar hoje a história, sobre uma recrutadora muito safada com...

LER CONTO

Maratona de Domingo

No domingo de manhã, depois de ter tido uma noite maravilhosa com Silvana e Evelyn, acordei cedo, e olhei na geladeira para saber o que tinha para preparar um café da manhã legal para as...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 4 + 1 = ?

Parceiros Do Site

© 2024 - Club dos contos eroticos