Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos Cornos » Mulher de amigo não se Toca!

Mulher de amigo não se Toca!

Publicado em 06/02/2023 por harden

Meu caso aconteceu a algum tempo, é real um pouco longo e doido mas real.

Tenho um amigo desde a época de escola sempre compartilhamos as coisas e frequentamos a casa um do outro, acompanhei de perto quando conheceu sua esposa Bianca.

Baixinha meia marrenta, mas gente boa, vi de perto eles se tornarem namorados e ele me contava que ela era bem safada na cama se gabava as vezes mas nada em tom agressivo. Logo se tornam noivos e se casaram isso um alguns anos, durante esse tempo começei a reparar nela com muito desejo, toda a oportunidade que tinha eu olhava cada parte do corpo dela, principalmente os seios que estão entre grande e normal, empinadinhos que sempre deixam marcado as camiseta que usa e também sua bunda, grande, redonda e empinada, mas nunca tentei nada apenas olhava mesmo, e os relatos sobre sexo com ela que ele me contava me deixavam maluco.

Mulher de amigo não se Toca!

Mulher de amigo não se Toca!

Dizia que ele a tratava como uma putinha que fazia e acontecia e que ela sentia tesão nisso, coisa que eu sempre fiz e curto muito, mas havia um contraste interessante nela porque tinha um rosto de menina, que não transparecia isso.

Com o passar dos anos e afinidade, ficamos amigos, trocamos alguns papos sobre sexo mas nada de mais apenas conversa, um dia em de nossos encontros, rolou um verdade e desafio que na vez dela uma amiga pediu pra ela dançar comigo uma baladinha musica lenta, mas a ideia dela era me zoar porque não sei dançar.

Então ela topou colocaram a musica e dançamos, no momento que senti a coxa dela fiquei excitado na hora como estava de shorts não dava pra ver, mas dava pra sentir, estavamos de corpo colado e eu de pau duro encostado na coxa dela, enquanto dançavamos, o que me intrigou é que ela não se incomodou e continuou ali até o pessoal começar a tirar saro, e terminamos dança. Me sentei bem rapído pra ninguém notar meu estado, e olhei pra ela, que olhou de volta aquilo me deixou maluco nesse dia eu começei a ser mais cara de pau com ela.

Qualquer deixa que tinha para falar coisa de duplo sentido ou afirmar a beleza dela eu fazia, claro que apenas quando estamos “sozinhos” ela nunca reprovou e também nunca deu brecha, mas algo que me dizia que ela gostava, desse ponto muita coisa aconteceu que dava indícios de que poderia rolar algo.

Se passou alguns anos nessa situação, em uma festa que estamos todos junto ele veio de blusa apertada sem sutiã e como disse os seios delas são perfeitos, e eu olhava mesmo toda vez que tinha a oportunidade e ela percebia, dava a impressão que passava perto de min de proposito. Durante o dia eu foi a cozinha guardar algumas coisas e a vi no corredor em minha direção procurando algo.

Logo perguntei se precisava de algo, ela dize que estava procurando algo para beber, perguntei mais nada? ai ela se entregou… e disse:

– Porque tem mais alguma coisa?

então disse em seguida:

– Me deixar chupar esses seios, você veio sem sutiã pra me provocar, todos esses anos você me provoca, por que você sabe que eu te olho.

E fui seguindo em sua direção até, ela encostar na parede, nisso levantei a blusa apertada, revelando aquele maravilha de seios.
Que ao levantar a blusa subiram junto com ela, e cairam de forma suave quando terminei de levantar a blusa, nisso eu olhei por um instante rosadinhos tamanho médio aureolas médias também, delicíos e bem branquinhos.

Em seguida comecei a chupar com muito gosto cada parte, dos bicos a parte de baixo, quando completei cada parte de cada um dos seios, fui ao pé do ouvi dela e falei bem baixinho quase inaldível:

– Puta!

Porque eu sabia que ela sentia tesão em ser chamada assim porque o marido já havia me contado a alguns anos.

Após isso imaginei que ela estava esperando que fosse a levar pra algum canto para terminar o serviço, mas eu limpei a saliva com minhas mãos dos seios, baixei a blusa bem devagar e falei que tinha gente vindo.

Nisso, ela estava com uma cara de tesão, que é difícil descrever, e ela foi pegar o queria e continuei meu caminho. Durante a festa recebi uma messagem no ZAP dela, com o contato no skype, logo a add, e falamos por lá , nisso já tinha certeza que ia rolar e que de fato era uma puta como ele falava, depois de conversamos bastante marcamos em uma dia que teria um evento onde estariamos.

Ela combinou com o marido que iria passar no shopping para comprar algo para levar e ele iria para os preparativos no local. Então ele a deixou no shopping e foi fazer oque haviam combinado, nisso eu já estava no estacionamento a esperando.

Logo recebi a mensagem dela e em alguns minutos vi ela pelo retrovisor, com uma blusinha bem apertada como de costume deixando um pouco da barriga a mostra a cada passo que dava e shorts jeans pequeno não mto apertado, o que fazia suas pernas muito mais gostosas, e a roupa combinava muito com o fato dela ser branquinha e baixinha, estava muito gostosa, os seios se mexendo suavemente a cada passo que dava, e eu ali quase que hipnotizado com tal visão.

Logo ela entrou no carro, e soltamos um ” vamos sair daqui ” quase que ao mesmo tempo, segui para o motel mais próximo, no caminho ela foi no banco de traz como se estivesse de uber, chegando próximo do motel ela se escondeu para que não pudesse ser reconhecida por alguém que passa-se ali, quando estacionei e saímos do carro já rolou um beijão de língua gostoso e ela terminou com selinho bem molhado de quero mais.

Quando entramos no quarto eu coloquei ela junto a porta e a beijei com todo tesão que estava sentindo ela retribuo da mesma forma, no final ela me olhou como se esperasse algo. E eu sabia o que era…

Mandei se ajoelhar ela botou seus lábios para dentro da boca e o fez com uma delicadeza impar e olhava fixamente para meus olhos, que segui com tapa no seu rosto, a chamei de gostosa e perguntei:

-Você esta aqui pra que?:

Ela respondeu:

-Pra ser sua, com um expressão cheia de tesão

E eu Disse:

Então vai ser minha puta, sua gostosa.

Botei suas mão no joelho tirei meu pau da calça que já estava trincando, e botei-a pra chupar. E ela fazia de forma fenomenal, molhado e com vontade mesmo quando chupava devagar, lambia cada parte do meu pau, como se lembraçe o que fiz com os seios dela, quando ela terminou, a deixei ali de joelhos e me sentei na cama, e fiz o sinal de “vem” com os dedo indicador.

E ela veio… engatinhando bem devagar me fitando nos olhos como uma gatinha no cio, quando ela chegou chupou meu pau mais um pouco em seguida a puxei pelos cabelos e a coloquei deitada na cama e comecei a tirar o shorts e para minha supressa ela estava sem calcinha e muito molhada, comecei a chupar ela soltava gemidos abafados que foram ficando altos como tempo, senti seu corpo se contrair por inteiro depois de algum tempo a chupando e a dedando, em seguida ela solta um gemido longo e de alivio seu corpo soltou toda tensão que antes estava ali.

Nisso terminei de degustar o resto do corpo pequeno dela mas gostoso, a famosa “cavala” barrinha normal, pernas grossas, seios meios rosados, bunda carnuda.

Fiquei em pé na cama a coloquei de joelhos e comecei a socar meu pau em sua boca até ela se engasgar a primeira vez, ai a coloquei no frango assado queria olhar para aquele rostinho lindo e de menina enquanto a fodia, e o fiz.

Sem camisinha, na primeira estoca ela soltou um grito de tesão que foi seguido de outra estocada mais forte e virou uma bola de neve, com direito a tapa na cara e muito xingamento.

Depois de alguns minutos ali meu pau escapou foi a deixa para faze-la sentar, e nossa como ela sentava gostoso, no começo ela provocava bem de vagar e rebolava de forma provocante, senti que ela estava bem ali e a deixei, quando a ouvi dizer que gozou, seguido por ela parar com meu pau enterrado em sua buceta e suspiro longos.

Nisso eu já estava para gozar então aproveitei o momento para colocar ela de joelhos no chão para se recompor e gozar na boca dela. Demorei uns 4 minutos ali punhetando e ela chupando e batendo na cara dela.

Até que pedi pra ela abrir a boca, ela abriu e trouxe a língua pedindo, então coloquei a cabeça do meu pau apoiado em sua língua e foram 4 jatos fortes e longos, os 2 primeiros ela engoliu os 2 últimos fizeram a engasgar e dar um tossida, oque respingou pelo meu pau e parte da sua bochecha, em seguida esfreguei meu pau na cara dela sujando seu rosto inteiro com porra, seguido de um tapa na cara e disse:

-Vagadunda, de 4!!!!

Ela logo o fez, e ficou empinadinha, ainda com meu pau sujo de porra comecei a socar, mas dessa vez sem dó a segurando na cintura, e dando tapas em seu rabo ela gemia de forma intensa como as estocadas que dava, quando ela olhava para traz eu vi aquele rosto de menina todo sujo de suor e porra, transformado em um rosto de puro desejo em uma puta.

Como estava muito intenso , eu socava com muita força nela, a chamando de vadia e puta, ela sou um gemido mais alto e cortado e disse:

-Para não aguento mais.

Ele estava ofegante e soada, ficou alguns instante ali de 4 respirando profundamente, se virou de lado e falou vem, colei em seu corpo quando encostei meu pau em sua buceta com a mão ela direcionou para seu cuzinho.

Eu tinha colocado um lubrificador ali perto da cama no chão peguei, e voltei pronto. Fiz o desejo dela, enquanto ela relaxa pra começar a levar na bunda ela disse:

-Termina aqui que lá não da mais, lá ela se referiu a buceta

Nisso já a havia penetrado seu cuzinho, começando a socar devagar, seguindo de tapas forte na sua bunda.

Alguns minutos depois já estávamos de 4 novamente ela empinadinha com o rosto encostado na cama eu com os pés no colchão mãos em sua cintura botando meu pau inteiro dentre cú com muita força, ela gritando de verdade, ouvindo eu a chamar de puta. Até que depois de uma estocada ela puxou seu corpo pra frente e se virou dee frente pra min sem falar nada apenas me olhando com cara de exausta e respirando fundo.

Nesse momento eu estava no auge do meu tesão, não pensei só fiz, coloquei suas pernas em meus ombros, coloquei meu pau na buceta esperando que ela me empurrasse, vi seus braços em minha direção para me empurrar e durante isso eu soquei fundo ela soltou um grito alto abafado e curto.

Em seguida dobrou seu antebraço e abriu as mãos mas com os dedos tensionados, e ficou imóvel ali apenas soltando curtos gritos a cada estocada extremamente forte que dava, ela com os olhos fechados e pressionados a boca aberta.

Depois da sexta estocada com força eu comecei a gozar dentro dela, ela ainda imóvel com o antebraço dobrado e dessa vez com os punhos serrados, fui gozando e socando cada vez mais forte enquanto senti a porra escorrer para fora de sua buceta a cada estocada, em todo o arredor de sua virilha estava sujo, então deu uma ultima estocada com todo o peso do meu corpo e menti ali por alguns instantes, ela recebeu isso ainda imóvel na mesma posição com os puxos serrados com força a boca bem aberta e os olhos também.

Eu sai de cima dela, sentei na berrada da cama e a olhei , ela ainda imóvel com o antebraço levantados mãos abertas e dedos abertos mas muito tensionados, ofegante e olhos fechado, então ela se esticou na cama me olhou nos olhos e os fechou novamente respirando fundo.
Eu perguntei se ela queria ir tomar banho primeiro ela disse:

– Pode ir depois eu vou, com a voz ofegante

Quando sai do banho e estava me vestindo, a vi levantar, e foi uma das cenas mais excitantes que já presenciei, ela ali em pé brilhando de suor a passos calmos seu rosto com os pequenas mechas de cabelos grudados no rosto parte pelo suor, parte pela porra, a cada passo que dava era possível observar a porra que estava escorrendo muito de vagar de sua buceta para a coxa, ela ofegante tirando os cabelos do rosto.

Foi para o banho eu estava sentado na cama a sua espera, ela saiu com a toalha se secando e se vestido, eu ali observando já de pau duro com a visão, daquele corpo baixinhos carnudo aqueles seios sendo cobertos pela blusinha a calcinha que ela tirou da bolsa e vestiu seguido do shorts, ela terminou viu que estava de pau duro.

Veio em minha direção ajoelhou e começou a chupar de forma muito molhada e muito suave duas vezes, a segunda terminando com um lambida na cabeça muito molhada, se levando e falou vamos? Esse sensação ficou no meu pau por algum tempo.

Seguimos para o shopping novamente, ela no banco de traz como em um uber, no estacionamento após ela sair fiquei a observando, de costas a passos curtos e lentos, de cima para baixo, aquelas pernas, shortinhos e blusinha sumirem.

Mas tarde nos encontramos no evento todo mundo lá eu cheguei por ultimo, ela estava ali sentada no colo do marido eu fitei aquele situação e ficamos ali conversando e rindo, e eu lembrando da cena dela se encaminhando para o banho no motel, exausta suja suada com minha porra no rosto e escorrendo nas coxas, com o contraste da mulher com cara de menina ali

1527 views

Contos relacionados

Eu ouvi pela porta

Eu ouvi pela porta Ontem pela primeira vez o João  comeu minha esposa na minha cama comigo em casa. So que minha esposa me trancou no quarto. Ele encostou o carro na garagem e entrou. Assim que...

LER CONTO

negao borracheiro pauzudo

Sou casada há 30 anos. Sou morena da pele branquissima e macia, 1,70 m, seios pequenos e pontudos, de ninfeta mesmo cintura fina e bunda destacada (bundão e coxoes gigantes mesmo). Sempre uso calcas...

LER CONTO

sobre o dominio do prazer

Imigrei juntamente com minha esposa para o Japão, logo após nos casarmos, em busca de melhorar nossas vidas. Mas por sermos ainda muito jovens, principalmente eu não conseguíamos junta nada,...

LER CONTO

Esposa 171

Minha mulher faz um tempinho conseguiu me convencer a liberar ela pra fazer sexo com outros caras. No começo foi estranho mas hj em dia me acostumei. Uma certa noite ela trouxe o garoto que ela diz...

LER CONTO

2 - Comentário(s)

  • Sérgio 14/07/2023 11:29

    Adorei seu conto parabéns, eu sinto muito tesão em pensar minha esposa com outro pena que nunca rolou mas quem saba ela e ruiva 1,65m. Guando namoravamos um dia nos estavamos numa praça a noit e eu sentado no banco e ela no me colo ela estava de saia e eu a beijava e alizava sua coxa nisso vi três repozes a nos obiservar e ao velos aquilo me deu um tesão.

  • Fábio 28/04/2023 13:36

    Seu relato me fez lembrar do meu amigo de trabalho e minha esposa, ele sempre paquerou minha esposa e ela correspondida mas eu não me importava. Um dia ele veio em nossa casa eu não estava e pegou minha esposa de jeito, ela também queria, gostaram tanto que ficaram se encontrando . Eu tinha a fantasia de ser corno e ela sabia mas não falou nada pra ele. Depois resolvi contar tudo pra ele de mim e ele adorou, ficou mais tranquilo. Hoje são amantes, o safado é pauzudo e deixou minha esposa toda larga até porque tenho pau pequeno e fino. Ele é solteiro e livre pega ela quase todos os dias. Ela é do tipo gostosona, coxuda, bunda grande e cintura fina e seios médios.

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 5 = ?
© 2024 - Club dos contos eroticos