Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]

DE ESPOSA A PUTA.

Publicado em 05/06/2023 por charlinhos

Tinha um ótimo relacionamento com minha esposa mesmo meus pais não querendo porque, na época eu tinha dezenove anos e ela trinta e seis, Loiraça estilo cavala com bunda grande, continha fina seios grandes e firmes, bocetinha miúda que aguentava de boa meus vinte e dois centímetros.

Estava vivendo a época mais feliz de minha vida com minha mãe me dando gemada porque minha loira acabava comigo não tendo lugar e hora para sentar em minha pica e gozar gostoso.

Meu vacilo foi escutar os conselhos de minha mãe e tia para não basear esse relacionamento só em sexo o que deixava minha esposa louca porque ficávamos até três dias sem transar, quando pegava ela chegava a dar medo do escândalo que fazia enquanto comia ela de todas as formas e jeitos, principalmente quando comia lhe o cu com ela pirando de prazer.

Nesta época tinha amizade escondido dela com uma menina de minha turma que morria de medo dela porque era sabido, por todas que minha loira era muito ciumenta tendo uma vez que tirou uma amiga de dentro do carro, que dava carona, pelos cabelos dando uma boa coça nela, sem importar com o processo que responde até hoje.

Essa menina me entendia por ter os mesmos sonhos e anseios que eu, com ela sempre pedindo que quando largasse minha ‘veia’ ela ia querer casar de verdade comigo.

Me sentia tão bem com essa amizade que já nem ligava mais deixando minha loira sair, segundo ela com as amigas sempre quando nos beijava e não passava disso com ela chegando tarde com cheiro de bebida vez ou outra, tendo vezes que as amigas ligavam me mandando ir buscar ela.

Quando os rumores começaram ficar fortes que ela estava me traindo, comecei a prestar mais atenção nela porque precisava de provas para possível separação.

Está oportunidade surgiu numa tarde em que procurava ela sendo informado que viram o carro dela em frente a casa de seu tio e indo prá lá entrei porque a casa estava aberta e sem ninguém e do corredor vi minha loira deitada nua com alguns caras olhando ela pela grade do muro e de olhos fechados ela mordia os lábios se tremendo vez ou outra deixando todos ouriçados quando gozava gemendo alto abrindo as pernas deixando que os tarados vissem sua boceta.

Num desses orgasmos ela chegou sentar na cama enquanto apertava a boceta com a mão no meio das pernas, deixando ver o lençol molhado com o líquido viscoco e esbranquiçado que escorria em sua coxas dando para ouvir claramente quando falou:

G

Minha loira gemia abafado com a boca grudada na dele que tentava enfiar a mão em sua boceta. Largando a boca dela, que ajudou ele tirar a camisa deleitando na cama , deu os seios para ele mamar enquanto se ajeitava na cama com o tio indo chupar sua boceta enquanto num tesão incontrolável deixei minha bermuda parar em meus pés enquanto alisava o cacete já pronto para gozar.

Quando apertei o cau  olhaete deixando a porra voar longe molhando a cortina, continuei a punheta porque meu cacete ficou maior e mais inchado e já querendo esporrar geleia com ela gemendo enquanto alisava os seios e me olhando abriu os braços falando com voz manhosa entre gemidinhos:

– Vem meu amor, vem comer sua puta. Quando me dei conta tirava o tênis depois de tirar a camiseta e subindo na cama, com ela aumentando os gemidos porque seu tio intensificou as chupadas mamando com mais vontade a boceta da sobrinha que abafou o escândalo metendo meu cacete na boca mamando como puta enquanto o tio ajoelhava atrás dela para meter pica em minha esposa com ela agarrada em mim não sabendo se me beijava ou apoiava o rosto em meu ombro para gemer anunciando orgasmos maravilhoso enquanto seu tio me encarava com raiva porque não deixava ela virar a cabeça para beijar ele que urrando, encheu a boceta de minha esposa mãos chorava muito me mandando sair.

Na tarde do dia seguinte ela chegou em casa e não deixando ela falar nada me abraçou com ela chorando muito falando que era burra, que tinha estragado tudo e nos beijando dormiu nos meus braços.

Quando ela veio falar que devia ir embora deixando tudo pra mim, me segurei para não desabar e não concordando peguei minhas roupas e meu carro, presente de minha tia porque meus pais me deserdaram quando comecei namorar minha loira e até hoje saiu vez ou outra com ela, porém enquanto estou conhecendo uma nova garota ela afirmar não querer mais ningy em sua vida com ela concordando seria quando brinco falando que esse lugar é meu.

Ajude a manter a página Club Dos Contos Eroticos, faça uma doação em PIX [email protected], SUA AJUDA É MUITO IMPORTANTE.

607 views

Contos relacionados

No carro com Jenny

Venho aqui com mais uma história com minha amante Jenny... Há alguns anos atrás Jenny trabalhava a noite... Até às 22 horas... E minha mulher também trabalhava a noite... ou seja eu tinha uma...

LER CONTO

Submetida por um encarcerado

Irene está como voluntária no comitê de um partido político. Está trabalhando na candidatura de alguns candidatos. Um deles é o foco dela. Ele se chama Dirceu, de pele amorenada, olhos verdes e...

LER CONTO

A juiza e o condenado

Escute esse conto em áudio Parte 2 Parte 3 Parte 4 Final Romeu chega em casa depois de uma jornada de doze horas trabalhando numa siderúrgica no turno da noite. Par sua surpresa não...

LER CONTO

LORY E EU!

QUANDO PERCEBI QUE LORENA FICAVA MAIS A VONTADE NA RODA DE AMIGOS DISPENSANDO ATENÇÃO PARA SEU PRIMO BRUNO, RESOLVI EVITAR ESSES ENCONTROS E COM ISSO ME DEI CONTA QUE NESSES ANOS DE...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 1 + 4 = ?
© 2024 - Club dos contos eroticos