Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos fantasias » Comi As duas primas e ganhei duas esposas.

Comi As duas primas e ganhei duas esposas.

Publicado em 21/07/2021 por Rodrigo Magnoli

          Era dezembro e tinha acabado de sair de férias do trabalho, foi uma ano difícil muito trabalho e esforço, sou um homem machista, para mim lugar de mulher é onde o homem quiser, todos os dias pela manhã minha esposa Cláudia de 27 anos levanta para me fazer um café antes de ir para a academia, saio sempre de manhã para o trabalho e enquanto eu assisto um jornal da manhã minha esposa sempre se ajoelha pra mim enfrente a poltrona e me faz uma gulosa, é assim que tem que ser, minha esposa em casa é uma puta e na rua uma freira, ela sempre me obedece como uma cadelinha, ela nunca me responde se não ela sabe que toma uns tapas, ela gosta de vez enquanto de me contrariar somente para tomar uns tapas, eu não facilito eu trato ela na rédea curta, existem alguns conjuntos de roupa que eu obrigo ela a usar em casa, enfermeira, empregada, colegial, e nos dias quentes somente salto alto, sinta liga branca e totalmente nua, eu mandei fazer uma coleira de cachorro com o meu nome gravado para ela usar em casa, ela é muito ninfetinha e safada, os cabelos dela estão sempre lisos, ela sempre usa um ???? (Batom) vermelho provocante, unhas sempre pitadas, e sempre bem cheirosa principalmente a buceta, bem na verdade eu acho que casei com ela sabendo que ela era uma vadia e aos poucos transformei ela na minha vadia, minha esposa tem uma Prima parecida com ela, muito gostosa e com uma voz de piranha safada, vamos chama-la de Dessire, Dessire é muito safada e adora dançar, logo na véspera de Natal fizemos um churrasco ela veio e começou a dançar e se esfregar nos meus amigos, minha esposa bebeu um pouco e começou a fazer o mesmo, eu não ligo porque está sob a minha vista e ela sabe que é a vadia de um dono só, ao chegar de madrugada meus amigos tinham ido embora mas o fogo das duas continuava aceso, e para minha surpresa as duas se trancaram no banheiro e começaram a se beijar, eu observava tudo da janelinha do banheiro e logo após elas começam a se agarrar e se chupar, não aguentei ver aquilo e tive que bater uma, as duas estavam se revezando na linguada, hora colavam as bucetas e chupavam os peitos, hora uma chupava a buceta carnuda uma da outra, pois bem, não liguei ao saírem do banheiro ambas foram dormir no dia seguinte comecei cedo o churrasco ao meio dia elas se levantaram e começamos a beber, de novo esperei as duas ficarem um pouco alegres e passei a comentar num tom de zueira o que tinha visto as duas fazerem no banheiro na noite anterior, para a minha surpresa ela não ficaram sem graça ou com vergonha e sim a medida que a conversa avançava elas iam ficando cada vez mais safadas, eu então comecei a apelar estimular as safadas e dizer que elas não sabiam fazer direito e tal, começamos a brincar então quando eu menos esperava de repente as duas começaram a se pegar na minha frente, de repente vendo aquela cena meu pau enrijeceu a Dessire percebendo que eu estava de pau duro se sentou do meu lado e colocou minha mulher de pernas abertas em cima do seu colo e continuou beijando ela, quando de repente Dessire colocou a mão dentro da minha bermuda, colocou meu pau pra fora e começou a bater uma pra mim, depois minha esposa passou a massagear minhas bolas enquanto beijava Dessire, depois de um tempo as duas passaram a me beijar também quando de repente Dessire se ajoelhou na minha frente e começou a chupar meu pau, logo depois minha esposa se ajoelhou também e passou a me chupar, enquanto as duas me mamavam eu estava sentado de boa e tomava minha Heineken, enquanto as duas faziam o serviço, após aquele boquete duplo maravilhoso peguei a minha esposa e comecei a meter enquanto ela se debruçou sobre a mesa e passou a chupar a buceta da prima, entre gemidos e gritos não aguentei, tirei o pau da buceta da minha esposa e comecei a comer o cuzinho dela, a cada estocada era um gemido passado um tempo Dessire ficou com vontade e me pediu “ come o meu cu também “ então passeia comer o cú dela enquanto ela chupava os peitos e tocava uma para minha esposa, o cuzinho da Dessire era a delícia e minha esposa já estava gozando cheia de tesão, após algum tempo não aguentei disse que iria gozar, então minha mulher falou com a voz ríspida e imponente que não era para eu gozar ainda fiquei chocado porque ela nunca antes havia agido ou falado de tal forma comigo, então segurei pra não gozar, as duas ficaram de quatro uma ao lado da outra então comecei a comer as duas metendo com força, as revezava hora no cuzinho, hora na buceta, até que ao fim quando percebi que ambas já estavam exaustas tirei o pau e gozei em cima da bunda da Dessire, minha esposa então lambeu a minha porra sobre a bunda da prima dela e virou e me disse você sempre me diz que eu não posso desperdiçar nenhuma gota, e fiquei observando as duas se beijando e por fim Dessire virou e me disse poderíamos morar juntos, nós três, aí você teria duas vagabundas para maltratar todos os dias, eu disse que a ideia era fantástica mas achei que era brincadeira, foi quando já meio cansado fui dormir um pouco quando acordei a casa estava brilhando a louça toda lavada e tudo muito bem limpo, fui até a sala e encontrei minha esposa vestida de enfermeira com uma sinta liga branca, salto alto vermelho, cabelo liso, unhas feitas e estava usando a coleira dela além de um batom ???? vermelho bem provocante, maquiada e bem safada e a prima dela estava vestida de empregada, com uma sinta liga branca o uniforme bem de vadia com um batom ???? roxo lindo, cabelos lisos e super atraente, Dessire então me disse “ preciso de uma coleira também igual a da sua esposa se não como eu posso ser uma vadia, uma cadelinha obediente “, eu então peguei a minha sinta prendi na fivela passei por volta do pescoço dela apertei e comecei a comer a vagabunda de quatro enquanto dava uns tapas e dizia para ela “ aqui está a sua coleira sua puta a sinta em volta de seu pescoço estava bem apertada aponto de as vezes eu dar uma afrouxada para ela respirar minha esposa vendo tudo sentou no sofá e começou a beber uma taça de vinho ???? enquanto assistia tudo com uma carinha de safada, arrebentei tanto aquela puta que ela logo começou a gozar e pedir pra eu meter no cu dela, foi quando que não aguentei, me levantei arrastei a minha esposa do sofá para chão puxando – a pelos cabelos e dei três tapas na cara dela, depois peguei o meu pau e atolei em sua boca bem fundo ela se engasgava e ameaçava desmaiar então eu tirava e dava mais uns tapas na cara da vagabunda, foi então que a puxei de novo pelos cabelos e a arrastei puxando-a pelo chão até a mesa da cozinha lá a coloquei sobre a mesa e comecei a comer a vagabunda, cada estocada entrava com força e a vadia gritava e gemia, aquele líquido branco começou a jorrar da sua buceta por entre as suas pernas, enquanto sua prima estava deitada toda acabada no meio da sala e só observava, quando Dessire se levantou, começou a beijar e acariciar a minha esposa enquanto eu arrebentava ela, foi quando percebi que agora eu tinha duas vagabundas dentro da minha casa que me obedeceriam e seriam boas esposas fazendo tudo o que eu mandasse, foi aí que tirei o pau da minha esposa, posicionei ela e Dessire, com o rostinho lada a lado uma da outra, e gozei um pouco na boca de cada uma, para minha surpresa elas começaram a se beijar e passar a minha porra da boca de uma para outra ao final, Dessire olhou pra mim e disse “ Adoro um leitinho fresco pela manhã”.

3218 views

Contos relacionados

Encoxada no Largo treze

Encoxada no Largo treze Olá pessoal lê  um conto sobre encoxada aqui, tomei coragem em  relatar um acontecimento  comigo... Terça feria foi um dia comum, exceto pela encoxada que eu já ...

LER CONTO

Chamei meu namorado para um menage com duas mulheres

Eu nao sou casada, mas moro junto com meu namorado ja tem um bom tempo. Ele e um cara otimo que faz de tudo para a mulher se sentir bem. Na real somos bem felizes desde quando comecamos namorar. ...

LER CONTO

Desejos de um corno

Desejos de um corno Tenho mais de 35 anos e me relacionei com algumas mulheres. Porem, sempre imagino minhas mulheres sendo comidas por outros homens que, geralmente, sao adolescentes pauzudos....

LER CONTO

Subornei a polícia com minha bucetinha

Subornei a polícia com minha bucetinha Eu tinha que resolver umas coisas na faculdade, na cidade vizinha. Eu aproveitei pra dar uma volta pelo lugar, e na volta encontrei uma blitz. Parei...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 5 + 5 = ?
© 2024 - Club dos contos eroticos