Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos Heterossexuais » Aplicativo de Bate Papo

Aplicativo de Bate Papo

Publicado em 23/11/2023 por RAFAEL COSTA

Contos  eroticos Aplicativo de Bate Papo em áudio.

Aplicativo de Bate Papo

Aplicativo de Bate Papo

Tudo começou com uma simples conversa em um aplicativo de bate papo, já era tarde quando entrei, pois, estava escrevendo meus contos, um hobby que tenho e faço sempre que tenho um tempo livre. Quando olhei no relógio já se passava das 23:00hs, deslizando para ver as pessoas que ali estavam no aplicativo, me deparei com uma mulher muito bonita de um sorriso maravilhoso e encantador, curti logo a foto dela, mesmo não acreditando muito nesses aplicativos, afinal será que pessoas reais usam mesmo estes aplicativos para se conhecerem? Enfim, curti e continuei a escrever meus contos, passando um tempo ouvi um alerta de mensagem no celular, quando vi nem eu mesmo acreditei, ela tinha curtido meu perfil também e então começamos a conversar.
Pela forma como nossa conversa fluiu, pude ver que ela não era uma mulher qualquer e sim uma pessoa muito interessante, falamos de tudo e um dos assuntos que falamos foi a respeito de massagem, afinal no meu perfil, eu descrevi sobre o que fazia e o quanto gostava, e ela se demonstrou interessada o que para mim foi maravilhoso.
Aos poucos, nossas conversas iam ficando cada vez mais intensas e de alguma forma íamos nos envolvendo a ponto de sentirmos prazer em cada palavra que trocávamos.
Conversa vai, conversa vem, perguntei como havia sido seu dia, ela então me respondeu:
– Foi produtivo, mas também estressante, estou sentindo um pouco de tensão no pescoço.
Eu sem querer parecer ousado, perguntei a ela:
Você não aceita uma massagem?
Ela então respondeu:
Eu aceito, não querendo abusar da sua boa vontade, mas eu realmente estou precisando.
Combinamos para o mesmo dia, ela então me passou a localização, tomei um banho e me vesti e na hora marcada eu fui até ela.
Chegando no endereço que ela me passou, pude ver que ela morava em um condomínio, me identifiquei na portaria, e a mesma já havia informado que estaria me aguardando, subi para o seu apartamento, ela então com um sorriso lindo no rosto abriu a porta para mim, jamais me esquecerei daquele dia e daquele momento ela por foto era linda, pessoalmente mais linda ainda. Sorriso perfeito, olhar encantador, cabelos pretos curtos, um corpo escultural, seios médios, pernas grossas, bumbum perfeito…
Sentamos um pouco na sala para conversar, foi quando perguntei da dor e ela sentia, ela então me respondeu:
A dor que estou sentindo começa no pescoço e desce pela costa, também sinto um pouco de dor na lombar.
Ela me perguntou:
Como devo ficar? Que roupa é melhor para receber uma massagem? Onde faríamos a massagem?
Imediatamente eu respondi:
Vamos por partes, o ideal é que você use algo leve, porem que a deixe confortável e principalmente parte do corpo despido, então sugeri que usasse um biquíni, também expliquei para ela que deveríamos fazer em um local aonde ela pudesse deitar e ficar à vontade e confortável.
Ela então respirou fundo, pediu que eu a esperasse um pouco e saiu em direção ao seu quarto. Alguns minutos depois, voltou até a sala e me chamou, perguntando:
Podemos fazer a massagem no meu quarto?
Então eu respondi:
– Sim sem problema.
Pedi que ela se deitasse de bruços, então assim ela fez.
Deitada de bruços com seu bumbum empinado, notei que ao invés do biquíni ela vestia uma calcinha bem pequena, aquela cena mexeu muito com meus pensamentos, mas resolvi focar na massagem. Abri o frasco de óleo, e aos poucos fui derramando de forma bem suave por todo o seu corpo, era possível ver a reação do seu corpo com o toque do óleo.
Dei então início a massagem e ao tocar seus ombros notei vários nódulos de tensão, o que irradiava a dor pela costa.
Ela me perguntou o que era isso e o porquê causava tanta dor, eu disse que era pontos de tensão e que são ocasionados por conta de estresse excessivo, exaustão física, falta de exercícios, atividades e até de sexo, ela então riu e de imediato, disse deve ser isso então, caímos na risada, quando ela disse que era brincadeira, que realmente andava tensa por conta do trabalho.
Comecei a deslizar as mãos por todo aquele corpo tentador. Achei que ela não fosse relaxar, mas logo se entregou as minhas mãos…
Continuei a massagem e pude sentir o corpo responder a cada toque e quanto mais eu descia as mãos, mais o corpo respondia, apertando aquele bumbum com as duas mãos, deslizando, bem devagar, podia sentir seu bumbum acompanhando meus movimentos rebolando, se insinuando, aquilo estava mexendo comigo de alguma forma inexplicável, sabia que como profissional tinha que me segurar, mas o desejo do meu corpo era outro… massageando suas coxas macias, descendo pelas pernas até os pés, nossa nos meus pensamentos eu dizia:
Que corpo irresistível!
A minha excitação era visivelmente notória, podia sentir meu pênis preso na minha calça, ficando cada vez mais duro. Continuei subindo pela parte interna das pernas, coxas, e quanto mais eu subia, mais seu corpo respondia ao toque, sua pele arrepiava com o deslizar da ponta dos dedos.
Concluindo a massagem de bruços, pedi que ela virasse, foi a vista mais linda que já vi, aquela mulher nua, com seus seios lindos e mamilos enrijecidos, duros, eu babava com vontade de chupá-los, e eu sabia que ela também queria que eu chupasse.
Ao tocar aquele corpo, ao sentir aqueles seios em minhas mãos, seus mamilos entre meus dedos, o desejo de possuí-lo só crescia, continuei massageando e a cada toque cada movimento ela mordia seus lábios, gemia baixinho, e descendo passando pelo umbigo, ela então me falou:
– Você não acha que a calcinha atrapalha um pouco? É que quando estou quase relaxando o tecido acaba tirando a minha concentração.
Então pedi licença e vagarosamente tirei sua calcinha, deslizando aquele tecido macio e com um cheiro muito agradável por toa a extensão das suas lindas pernas, pude ver sua buceta pulsar, latejar de prazer seus lábios molhados, babando querendo ser chupada querendo gozar. O desejo da minha boca era fazer isso, mas não era correto, afinal estava ali como profissional, continuei descendo pelas coxas massageando toda ela, ela com as pernas abertas e eu bem no meio, com aquela vista maravilho, vendo aquela buceta linda escorrendo de prazer, pulsando, toda molhada, querendo algo mais, então deslizando massageando sua virilha, massageando entre a buceta e o seu cuzinho, ela mordia com mais intensidade os lábios apertava a coxa da cama entre seus dedos, sem querer levemente toquei nos grandes lábios daquela buceta maravilhosa, pude sentir que eles tremiam, ela rebolava de prazer, gemia, se contorcia, então peguei um óleo de menta e ao gotejar no seu clitóris ele vibrava, aquilo fez meu pênis ficar mais duro, duro feito pedra…
Durante suas contorções diante do prazer intenso ela encostou sua mão direita na minha virilha sentindo meu pênis bem duro, pensei em me afastar para não faltar com o respeito, mas ao podia deixa-la perceber o meu desejo ali naquele momento e nem a constranger, mas pude ver que ela gostou, ela então me perguntou:

– Como você aguenta tudo isso?
Eu então respondi:
– Eu não aguento, mas não posso ir além.
Ela continuou e falou:
– Você pode ficar mais à vontade se você quiser.
E eu perguntei?
– Tem certeza?
Ela então respondeu:
– Sim!

Eu agradeci, pois, o meu pênis estava tão duro que a calça já machucava. Ela me olhava e quando viu meu pênis bem duro, notei que ela sentiu desejo de tocá-lo.
Continuei a massagem, até que ela pegou nele e o pressionou entre sua mão macia acariciando. Então não aguentei e desci a boca, passando a língua nos lábios da buceta, ela gemia e dizia: – Não para, então continuei a massagem, mas dessa vez além das mãos eu usava a língua. Quanto mais eu chupava, mas a buceta dela pulsava e escorria, deslizava a língua com vontade pressionando o clitóris entre os lábios, passando a pontinha da língua com menta na pontinha do clitóris…
Ela gemia e se contorcia, ela segurava minha cabeça pressionando minha boca em sua buceta querendo mais…
Eu com suas pernas em meus ombros levantei sua cintura e continuei chupando ela toda… subindo e descendo, metendo a língua e tirando…
Foi quando ela teve seu primeiro orgasmo… continuei chupando, coloquei ela de quatro e pedi que empinadas o bumbum, então abri suas pernas e continuei chupando ela de quatro, metendo a língua na buceta dela, subindo pelo meio do bumbum, pesando a pontinha da língua pelo seu cuzinho… quando toquei ela suspirou, e gemeu alto, seu cuzinho pulsava, pois nunca tinha sido chupado, o tesão dela duplicou, ela então pediu:
– Continua por favor, não para.
Abri seu bumbum, mordiscava, e passava a língua por tudo…. Subindo pela costa até a nuca, encostando o meu quadril em seu bumbum, deslizando a cabeça do pênis por toda sua buceta, e penetrando bem devagar…
Ela delirava quando penetrava, e eu também, ao sentir aquela buceta envolvendo meu pênis, pulsando, contraindo, mordendo como se quisesse devorá-lo, aquilo me dava mais tesão, metia com ela de quatro, ela rebolava…
Ela então falou: – Deixa eu sentar no seu colo.
Eu então deitei sobre a cama, ela sentou em meu colo e começou a rebolar, em cima do meu pau.
De início seu rebolar era bem devagar e conforme sua excitação aumentava seu rebolar aumentava, hora pulava, hora rebolava, as vezes rápido outra lentas.
Ela provocava e eu adorava.
Seus beijos e carícias aumentava ainda mais meu tesão. Aquele sorriso me encantava.
Ela levantou e virou, deixando sua bunda linda exposta, aquela visão era perfeita.
Deitou novamente em meu colo, porém a visão era diferenciada.
A cada rebolada via sua bunda subir e descer, ela segurava em minhas pernas com suas mãos delicadas para facilitar o movimento.
Eu além de olhar aquela bunda linda e perfeita, conseguir ver o movimento do meu pau entrando e saindo daquela buceta gostosa.
Enquanto fazia amor gostoso com aquela mulher, ela gemia e gritava:
– Me come vai.
– Você fode gostoso.
– Faz o que você quiser comigo que eu deixo.
Aquela voz era doce, porém aquela mulher era ao mesmo tempo delicada e sexy, meiga e tarada, o que me deixava com mais tesão.
Já não aguentava mais de tanto tensão.
Sentia ela esfregando sua buceta em mim, enquanto a cabeça do meu pênis roçava internamente sua buceta, aquilo me deixava muito louco, e ela com muito tesão, no entanto ela não parava queria gozar…
Ela gemia, gritava, e cada vez mais ela dizia:
– não para,
– fode essa buceta,
– mete gostoso…
Aquela mulher gostosa sentada e rebolando, cavalgando sem destino, teve então outro orgasmo, suas pernas tremiam e seu gozo escorria pelo meu pau…
Ela então levantou, continuamos, nos chupamos juntos, fazendo um 69, ela chupava meu pênis com vontade, com sede de pau na boca, lambia, chupava, e eu não fazia por menos, aquela buceta esfregando na minha cara, minha língua dançava naquela buceta, chupava muito.
Coloquei ela de pé de frente para parece abri suas pernas e seus braços, e comecei a fuder ela gostoso, ela gemia, nossos corpos já suados deslizando sobre o outro, quanto mais eu penetrava, mais ela gemia e dizia:
– Mete, mete gostoso, fode essa buceta…
Quanto mais ela falava, mais eu metia, meu pau cada vez mais duro, penetrando enquanto puxava seu cabelo e dava palmadas no seu bumbum…
Ela tremia as pernas, querendo gozar, eu dizia espera, vamos gozar juntos…
Virei ela de frente, levantei uma das pernas dela e meti meu pau por baixo, abraçando aquele corpo nu e suado, gostoso e cheiroso. Enquanto metia beijava seu corpo, seu pescoço, sua boca, mordia seus lábios. A penetração ficava cada vez mais intensa, estávamos ofegantes, mas não paramos, continuamos…
Beijando sua boca ardentemente, meu pau pulsava dentro daquela buceta quente e gostosa…
Quando ela disse:
– Vou gozar!
E ao virar novamente sentou em meu colo, entrelaçou suas mãos na minha, segurando forte, me deu um beijo bem gostoso (aquela boca ardia de tesão) e voltou a pular.
Gemeu alto e gritou:
– Vou gozar não aguento mais.
Sentir seu jato molhar todo meu p…a…..u , minha coxa e toda minha barriga.
Que gozo gostoso.
Que jato perfeito.
Seu mel escorria pelo meu corpo, ao sentir seu gozo não aguentei e gozei junto.
Fui uma mistura de felicidade e tesão.
Que mulher, que tarde perfeita, que gozo gostoso de sentir.
Ficamos ali por alguns minutos abraçados, depois nos deitamos, descansamos um pouco e fomos tomar banho juntos…
Eu ainda de pau duro, banhando naquele banheiro pequeno, meu pau roçava naquele corpo, molhado, transamos de novo durante o banho, em pé com a água caindo sobre os nossos corpos.
Voltamos para cama, ela então pediu que eu deitasse novamente, eu completamente nu com o pau bem duro deitei, ela então vendou meus olhos e sentou com a buceta na minha boca e começou a esfregar a rebolar, esfregando em toda a minha cara, foi demais, ela estava louca de tesão podia sentir ela gozar em mim.
Quanto mais ela gozava mais tesão eu sentia, mais ela queria gozar, depois que ela gozou, ela desceu beijando meu corpo e começou a me chupar, metendo todo o meu pau na sua boca me chupando intensamente, e o pau cada vez mais duro, ela então sentou rebolando, cavalgando mais uma vez, sentindo aquele pau penetrando na sua buceta, ele contraia a buceta de tanto tesão que parecia morder meu pau…
Foi quando eu disse:
Assim eu vou gozar de novo!
Ela então respondeu:
– Ainda não é a hora, pois tenho muito mais para você.
Ela ainda sentada com a buceta no meu pau, levantou e posicionou a cabeça dele no seu cuzinho, e disse fode ele, ela sentou bem devagar, enquanto ele penetrava no cuzinho dela eu fui no céu e voltei, nossa que delicia, sentir aquele cuzinho apertadinho contraindo enquanto meu pau deslizava penetrando, que maravilha. Ela rebolava, me deixando louco, ela levantou e ficou de quatro, segurando seu quadril meti no seu cuzinho mais uma vez penetrando bem devagar e depois mais rápido e forte, ela gemia, e dizia:
-Não para cachorro, me fode vai…
Aquelas palavras me deixavam muito tarado, me deixava louco, até que gozei no seu cuzinho, suas pernas tremiam, meu pau pulsava gozando no seu cuzinho, ela então teve seu último orgasmo, gozando junto comigo…. Foi uma loucura total…. Tomamos outro banho, quando vimos já estava tarde, então nos vestimos, nos beijamos e nos despedimos, mas já adianto que a segunda vez foi mais intenso.
Fiquei a perguntar se teria a oportunidade de tê-la em meus braços novamente, pois nossos corpos permitiam ser felizes naquele dia.

160 views

Contos relacionados

A recrutadora e uma entrevista envolvente.

Contos eroticos  A recrutadora e uma entrevista envolvente , em áudio. Olá meus leitores queridos e cheios de tesão, vou contar hoje a história, sobre uma recrutadora muito safada com...

LER CONTO

Santinha da família, a puta na rua

Preciso agora contar como gosto de fazer sexo! a minha familia toda axa que sou virgem pq sou um pouco nova(16 anos) mais ja namoro a algum tempo e preciso contar pra alguem como gosto de fazer sexo...

LER CONTO

Primeira transa com a morena

Conto  Erótico   Primeira transa com a morena 2024 Bem olha eu de novo escrevendo mais um conto, me chamo Denilson hoje tenho 41 anos moreno, tenho 1,65, olhos castanhos, e me acho um...

LER CONTO

Me fuderam escondida do meu marido

Me fuderam escondida do meu marido A minha história certamente é comum acontecer em diversos lugares; sou uma morena de 1,62cm; dona de casa como milhares nesse Brasil. E a minha saga começou logo...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 4 = ?
© 2024 - Club dos contos eroticos