Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos fantasias » Tesão Dog/Amiga Fogosa

Tesão Dog/Amiga Fogosa

Publicado em 23/01/2023 por Marcio

Sou casada há quatro anos e de uns anos pra cá meu marido passou a não me dar à atenção que eu queria, e ai, como eu quando estou no cio fico bem louquinha por sexo, e também porque sou bem safada, diga-se, passei a ter vários casos com outros homens. Casos bem safados e diferentes. Mas ele sabia de tudo, pois não existe nada escondido entre a gente.

Mas teve um que ficou bem marcado. E é esse que vou contar a vocês aqui. Há cerca de uns dois anos atrás meu marido disse que um amigo de trabalho ofereceu pra nós irmos a uma chácara que ele tinha em Peruíbe, litoral sul de São Paulo. Eu não estava muito a fim porque pelo que ele falou não ficava muito perto da praia e era uma chácara. Mas acabei concordando, pois era melhor uma chácara a alguns quilômetros da praia, do estar em São Paulo a quase 100 quilômetros da praia mais perto.

Chegamos lá na sexta à tarde e me surpreendi com o lugar, pois era muito melhor do que eu tinha imaginado. A casa era grande, bonita e agradável. Tinha uma piscina grande e até uma ótima sauna. Atrás da casa tinha um canil com dois pastores alemães. E ainda um pequeno curral com um pequeno jumento que eles usavam para puxar a carrocinha dos filhos do amigo do meu marido.

Estava tudo bem limpinho, porque havia um caseiro encarregado da limpeza diária. Enfim, era o lugar ideal para dar umas boas trepadas com meu marido nos próximos dias e pra isso eu já tinha até providenciado algumas garrafas de vinho, que gosto muito, e ele mais ainda, pois sabe que quando eu bebo uns copos fico bem louquinha.

Porem, ainda nem tinha escurecido quando toca o celular dele. Ele atendeu e logo mostrou uma cara de contrariedade. Era o chefe dele dizendo que precisava dele urgente em São Paulo no sábado de manhã para uma reunião urgente, a fim de prepararem um relatório para apresentar na segunda a um importante cliente.

Ele tinha que ir de qualquer jeito, mas disse que no sábado a noite já estaria de volta, se eu preferisse ficar e esperar. Falei que preferia ficar ali sozinha esperando ele, do que ficar no apartamento em São Paulo também sozinha. Em principio ele ficou meio preocupado, mas eu disse que tinha os dois cães e o caseiro e não tinha com que se preocupar.

Já à noite, depois de comer um sanduíche, abri um vinho e fui ligar a TV. E surpresa! Tinha todos os canais a cabo, principalmente os pornôs! Coloquei num dos filmes onde uma mulher transava com três caras: um enfiando no cu, outro na buceta e o terceiro ela estava chupando. Comecei a tirar a calça e a calcinha, quando…. toca a campainha!

Tomei o maior susto. Puxei rapidamente a roupa pra cima e ai pensei…. só pode ser o caseiro. Levantei e fui até a porta e,…. era mesmo ele, que foi logo dizendo que era o caseiro e que se chamava Juvenal. Aparentava uns 60 anos, mas era bem conservado e até bem apessoado.

Ele se desculpou por ter ido de noite e que era só pra saber se estava tudo bem e começou a falar que o seo Marcos, o amigo do meu marido, dono da chácara, tinha lhe falado que nós íamos chegar na sexta-feira e ….. Mas enquanto ele falava não pude deixar de reparar no volume na calça dele. Olhei melhor e claro, ele estava de pau duro! E ai também passei a perceber que enquanto ele falava comigo e alongava a conversa, ficava olhando por cima do meu ombro, olhando algo atrás de mim.

Até que num gemido mais alto da mulher, lembrei que tinha deixado a TV ligada,…. no filme pornô! Fiquei envergonhada na hora, pedi licença a ele e fui correndo desligar. Só que me atrapalhei com os controles e em vez de desligar, mudei pra outro canal pornô, onde estava passando outro vídeo, com uma suruba maior ainda. Um gangbang!

Seo Juvenal então, vendo minha angustia em tentar desligar a TV veio da porta e disse pra mim não se preocupar porque já estava acostumado, pois a mulher do seo Marcos também sempre assiste esses vídeos e, num toque, desligou a TV, enquanto me “comia” com os olhos olhando minha calça ainda um pouco abaixada, aparecendo um pouco a calcinha, pois no susto nem me arrumei direito.

Continuando o papo, seo Juvenal me disse que iria soltar os cães agora a noite e que era melhor eu ir com ele, para ser devidamente “apresentada” a eles, pois senão eu iria ser pra eles uma estranha e até havia perigo deles me atacarem. Por isso eles precisavam se acostumar comigo.

Fomos em direção ao canil e lá chagando os cães começaram a latir sem parar. Seo Juvenal disse pra mim não levar a mal, mas ia me dar um abraço na frente dos cães, para demonstrar a eles que eu era amiga. Ele me deu um abraço envolvente, com certo respeito, mas não deixou de dar uma encostadinha nos meus seios. De leve, mas deu.

Ai, ele abriu a porta do canil, deixou os cães saírem e pediu pra mim ficar parada, quieta, pois eles iriam ficar me cheirando, porque eu era ainda uma estranha pra eles e com muitos cheiros novos a eles: tanto o meu, como outros que havia trazido de outros lugares.

Duke, o cão mais escuro e maior, não parava de me cheirar. E se deteve na minha calça. Mais exatamente,…. na minha buceta! Enquanto o Taurus, mais clarinho, deu só umas cheiradas e ficou mais ao lado do caseiro. Seo Juvenal falou que eu já podia acariciá-los, pois já tinham feito o primeiro contato comigo e me cheirado.

Os dois eram umas gracinhas e ao passar a mão na cabeça do Duke ele foi logo agarrando minha perna e fazendo aquele conhecido vai e vem, sem parar. Seo Juvenal o puxou de mim, pedindo desculpas pelo comportamento dele, mas não pude deixar de perceber aquele pauzão saindo pra fora, todo vermelho. Nessa hora senti um arrepio na espinha! Não quis admitir de inicio, mas logo concordei comigo mesma que aquilo era tesão.

E sabia também que quando fico assim, saio do meu controle. Seo Juvenal ficou sem graça, pediu desculpas, mas eu o despreocupei dizendo que isso é normal para eles e que eu iria ficar dentro da casa. Me despedi dele, entrei, fechei a porta da sala e fui direto para o quarto de hospedes, tomei um banho e fui me deitar.

Na cama me veio à mente uma lembrança que uma vez, com amigos da faculdade, assistimos um vídeo onde uma mulher de peruca verde, tipo Chanel, e um grande dog alemão (que acho que é o maior cão que existe) a pegava por trás. Nunca tinha visto isto, mesmo porque achava que mulheres transando com cachorros não existia. No vídeo o cão segurava na cintura dela, por trás, e socava sem parar um pau enorme na buceta dela. Até gozar nela e depois ficava engatado nela, sem conseguir sair.

Lembrando disso abaixei a coberta, abri um pouco as pernas e comecei a me masturbar de leve. E comecei a imaginar o cão Duke ali comigo, me chupando e depois fazendo comigo igual ao cão do vídeo. Minha imaginação ia ficando cada vez mais forte, tanto que até me surpreendi ao conseguir construir uma imagem do Duke parado na porta do quarto, me olhando, a boca ofegante….. E reparando bem era uma imagem muito realística, parecia até que ele estava ali de verdade, tal era o tesão da minha imaginação.

Passei a esfregar os dedos com mais vontade na minha buceta, fixando o olhar naquela imagem de sexo na forma do Duke, parado na porta, desejando que fosse real para sentir aquela língua na minha buceta. Nisso comecei a imaginar que ele vinha em minha direção. Chegando mais perto, mais perto da cama, e….. até passei a sentir seu cheiro, sua respiração ofegante….. Comecei a achar que já era demais para ser apenas fruto da minha imaginação!

Dito e feito! Era real. Ele estava ali, ao meu lado na cama e já tendo identificado o cheio da minha buceta, bem molhadinha. Só então me lembrei que não tinha fechado a porta da cozinha e era por onde ele tinha entrado, com certeza.

Virei um pouco para fora da cama, abrindo as pernas para o cão e ele começou a chupar minha buceta com aquela língua áspera, em movimentos tão rápidos que nunca, nenhum homem já tinha feito. Virando um pouco mais, consegui pegar o pau dele com uma mão e embora já estivesse grande e bem pra fora, ainda foi crescendo, crescendo, crescendo. Parecia que nunca ia parar de aumentar de tamanho.

Fui para o chão e comecei a chupar o pau do cachorro. Era diferente, melado. Eu lambia e, a cada sugada, ele abaixava o quadril como se quisesse fuder minha boca. De repente, senti a porra dele jorrando na minha boca. Achei que ia ficar com nojo, mas com a tesão que eu estava, muito pelo contrário, engoli tudo. E não foi pouco não, pois até ficou escorrendo pelos cantos da minha boca.

Ai tive uma idéia bem de puta mesmo: ia fuder com os dois cachorros. Queria ser feita como uma cadela no cio, com aquele monte de cachorros atrás, todos doidos pra comer a cachorra.  Deixei o Duke trancado no quarto e fui lá fora a procura do Taurus.

Estava deitado na varanda e assim que me viu já veio me cheirar. Ou melhor, cheirar minha buceta, pois eu estava pelada e com a buceta bem molhada. Voltei para o quarto com ele me seguindo, fiz ele entrar e rapidamente sai e fechei a porta deixando os dois cachorros La dentro.

Fui na cozinha tomar mais uma taça de vinho, porque precisava de mais do que apenas tesão para experimentar pela primeira vez algo que eu sempre achava que nem existia: um cachorro enfiando e gozando na buceta de uma mulher. Ou melhor, dois cachorros fudendo a buceta de uma mulher!

Chegando no quarto, como eu já estava nua, fiquei andando perto deles. Duke, deitado, só me observava e Taurus já queria me pegar. Vinha na minha perna e punha o focinho na minha buceta. Coloquei as mãos na cama, empinei a bunda e como minha buceta já estava bem molhada, e cheirando a sexo, Taurus montou em mim de primeira e começou o movimento de vai e vem, ainda procurando o buraco da minha buceta. Pus a mão para trás e guiei o pau dele. Logo já tinha enfiado tudo, quase de uma só vez. E ficou bombando, com tamanha rapidez que nunca, macho nenhum, nem meu marido na época de namoro, fizeram igual.

Como Duke ameaçou a se levantar, tirei as mãos da cama e fui em direção a ele. Peguei de leve naquele pau e comecei a chupar. Que começou a crescer na minha boca sem parar, e enquanto isso Taurus continuava bem engatado em mim e já tinha gozado um monte na minha buceta, mas não conseguia sair e ficamos engatados. Eu com a bunda bem empinada, presa no pau do Taurus enquanto chupava o pau do Duke deitado no chão.

Que delicia eu ali sendo devorada e feita de cachorra por dois cachorros. Eu já ia gozar pela terceira ou quarta vez. O pauzão de Taurus, mesmo depois de ter gozado, ainda estava tão grande que não conseguia desengatar da minha buceta.

Até que Taurus saiu da minha buceta e muita porra escorreu assim que ele tirou o pau pra fora. Ele depois passou a lamber o pau. Minhas pernas tremiam toda, pois eu nunca tinha gozado com tanta intensidade e nem tantas vezes em tão pouco tempo. Parei de chupar o pau de Duke e cai para o lado dele no chão.

Mas ai Duke se levantou e começou a cheirar minha bunda e fazer o vai e vem, querendo também enfiar… em algum lugar. Fiquei de quadro e empinei a bunda pra ele, que veio pra cima com tudo, com rápidos movimentos de vai e vem, procurando algum buraco para por aquele pauzão. Mas o que ele achou foi meu cu e de uma só estocada entrou quase tudo, tanto foi a dor. Mas rapidamente passei saliva e com o ai e vem frenético só fui sentido tesão.

Mas Duke não parava de bombar meu cu e ai, com a tesão aumentando novamente, cai de boca no pau de Taurus, que estava deitado se recuperando da sua metida. Rapidamente o pau de Taurus voltou a crescer e quanto mais Duke socava meu cu, mais eu engolia o pau de Duke até o fundo da boca. Nisso senti o monte de porra jorrando no meu cu como um esguicho. Taurus parou de bombar, ficou parado e agora foi a vez dele ficar engatado em mim. Mas no meu cu.

Segurei as patas dele por trás, forçando ele enfiar mais o pau no meu cu, para não começar a sair, enquanto passava bem rápido a língua no pau de Duke, que não agüentou e gozou tudo na minha boca e cara, me lambuzando toda de porra.

Ainda fiquei mais uns minutos – ou muitos – com o Taurus engatado no meu cu. Eu de quatro e ele virado para o outro lado. Até que ele conseguiu se soltar e ai foi a vez do monte de porra jorrar do meu cu e ele ficou chupando até limpar tudo.

Nisso já eram umas 3:00 da madrugada e achei melhor encerrar a suruba. Levei os dois cães para a varanda, fechei a porta da cozinha e fui tomar um banho bem demorado. Só acordei com as batidas fortes do seo Juvenal na porta do quarto, perguntando se estava tudo bem, pois já era meio-dia. Falei que sim e que já ia tomar café.

Depois do café só dei umas voltas pelo pomar e fiquei a tarde toda na piscina, ainda se recuperando das dorzinhas pois não estava acostumada com isso. Lá pelas oito da noite meu marido chegou. E ao me perguntar se tinha sido muito monótono eu ter ficado sozinha a noite e o dia inteiro, disse que sim, sem coragem para contar minhas travessuras. Pensei, vou contar tudo a ele numa mais apropriada.

Ele então abriu um pequeno pacote que trazia nas mãos e vi que eram três DVDs. Mas ele pós as mãos para trás, escondendo-os de mim. E me disse com a maior cara de safado do mundo: — Meu amor, há tempos que eu queria que você visse um tipo de vídeo mais diferente. E aqui, neste lugar agradável, bem tranqüilo, íntimo, acho que é o melhor momento pra você conhecer uma fantasia que eu sempre tive e acho que você também vai gostar de me ajudar a realiza-la.

Essa minha amiga até hj curte Dogs

(Marcio) = Moro em um sítio em Bragança Paulista SP Tenho um Dog Pastor alemão e crio Cavalos de Raça.
Interessadas [email protected]  . Sigilo total

1660 views

Contos relacionados

Adoro andar sem calcinha

Adoro andar sem calcinha Ola, meu nome e Anny (fictício  para manter o sigilo), tenho 36 anos sou morena cabelos castanhos . Bom,deixa eu contar uma coisa que aconteceu agora em Fevereiro...

LER CONTO

Extremo

conto erotico Extremo em audio 2024 Me chamo "Bernardo" tenho 45 anos de idade. Sou alguém que lá no fundo sempre precisou por alguém especial, com os mesmos pensamentos sobre a vida a dois....

LER CONTO

Apenas se assuma

Oi tudo bem, Sei que por mais que você tenha um cargo importante,por mais que tenha um esposo bondoso e que por mais que banque a mulher direita, responsável diante a sociedade. Você esconde...

LER CONTO

O Olhar

Após uma divertida noitada, eu e Rejane fomos para um motel. Rejane estava sem sutiã, e toda vez que íamos àquele motel, o jovem da portaria dirigia um olhar de cobiça para o seio de minha...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 4 + 4 = ?
© 2024 - Club dos contos eroticos