Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]

TATI

Publicado em 11/11/2022 por charlinhos

Passando de surpresa na casa da sogra naquela tarde encontrei Tati parada no portão usando vestidinho preto que mais parecia camisola, parecendo puta a espera de cliente enquanto seu padrasto estacionava seu carro. Quando descobri que estava sem nada por baixo, não adiantou me xingar sendo rude e muito agressiva não tendo como evitar que levasse ela a força para dentro de casa que só cedeu quando abraçado nela por trás ignorei seu apelo porque seus pais poderiam nos ver e meti a pica em sua boceta que de tão melada chegava a escorrer em suas coxas.  A excitação foi ao extremo com ela se entregando cada vez mais, principalmente quando notou seu padrasto espiando pela janela enquanto de quatro na beirada da cama metia como louco em sua boceta que espirrava prazer chegando a fazer ela peidar com as estocadas vigorosas em sua boceta sem importar com a casa aberta onde e com certeza ouviam o escândalo que ela fazia, agora gozando escandalosamente parecendo perder os sentidos vez ou outra, me xingando de louco  filho da puta entre outras cosas sem sentidos. Sabendo que devia gozar logo, enchi sua boceta de porra com ela caindo deitada na cama me olhando com ternura com seus olhos grandes e esverdeados cheios de lágrimas enquanto limpava o cacete, sem importar quando me perguntou por que não fiz isso com ela antes. Naquela noite relutava em voltar para casa porque pensava em detalhes que na hora ignorei chamando minha atenção o fato de não usar roupas curtas e decotadas, nem dentro de casa e naquela tarde estava praticamente nua na rua na presença de seu padrasto, por isso mesmo com o coração doido, porque uma coisa que ficou bem claro entre nós é que não aceitaria traição mesmo porque desde que ficamos noivo deixei a boemia de lado e nestes três anos de convivência me dediquei plenamente a ela, por ama – la demais. Fingia não ver ela nervosa com a excitação quase incontrolável quando estava perto de seu padrasto porque grudado nela alisava seu corpo beijando ela com volúpia com ela melando a calcinha parecendo ter feito xixi quando, com muita dificuldade segurava o vestido que teimava me fingir levantar para mostrar sua bunda e só isso fazia ela deitar a cabeça em meu ombro apelando para que parasse enquanto se tremia com o corpo parecendo pegar fogo tendo orgasmos intermináveis. Chegava a dar pena do padrasto ao ver sua aflição em querer a enteada porque não dava chance para isso, o que me dava uma estranha excitação e superioridade, porem mesmo nos acabando de meter em intermináveis noites onde comia ela de todos os jeitos e maneiras, sentia que faltava alguma coisa, por isso mesmo com o coração na mão porque o ciúmes acabava comigo só em pensar no que ia fazer e só o fiz porque a excitação estava me consumindo não sendo poucas as vezes que metia nela por horas até ela me pedir para parar porque já estava ardida e enquanto contemplava seu corpo nu, me acabava em deliciosas punhetas, quando isso não me satisfazia comecei a recorrer as primas e ceder aos encantos de minha secretaria Matilde, negra linda e muito gostosa que me completava por ser mais experiente e vivida que eu estando em seu terceiro relacionamento sendo tarada em sexo anal, coisa que Tati detesta. Tati não conseguia esconder a felicidade dando para ver excitação em seus olhos quando avisei que passaria o fim de semana fora, e só mantive essa mentira porque Matilde me incentivou muito afirmando que isso faria bem para nosso relacionamento, além do mais tinha tempo para cumprir a promessa de levar ela num motel. Naquela noite, pela primeira vez na vida esqueci de tudo me sentindo pleno amando Matilde como nunca amei ninguém, com ela sendo uma verdadeira gueixa me dando certeza que o mundo era nosso, tanto é que já com o dia amanhecendo, enquanto enrabava aquele cuzinho que chorava em minha pica, ela me fez lembrar de Tati ao perguntar se comia o cuzinho de Tati assim como comia o dela. Depois de encher ele de porra, só não dormir agarrado nela porque me arrastou, praticamente para o banho onde me chupou por horas me obrigando a pegar ela nos braços e levar para a cama onde me saciei chupando e lambendo seu cuzinho e boceta, fazendo ela gozar demais quando mamava em seu grelo saliente até gozar em minha boca vindo me beijar para dividir seu prazer em nossas bocas e deitando agarradinhos dormimos me sentindo completo o que me deu muito medo. Naquela tarde quase voltei para casa quando, depois de falar com Tati varias vezes ao dia ela me falou que ia aproveitar para sair com as meninas e que seu padrasto a levaria e como não estaria com celular não teria como falar comigo. O sangue fervia de raiva, medo e ciúmes porque tinha certeza que ela ia aprontar e só me segurei firme porque Matilde me aconselhou a deixar rolar, mesmo porque tinha que saber se tinha realmente algo acontecendo entre os dois, me calando ao falar que se tivesse mesmo algo entre eles eu nada poderia fazer porque não tinha moral para cobrar nada de minha esposa. Por sorte Marilda conseguia entrar em minha mente me pedindo calma, alisando vez ou outra meu cacete que cresceu demais quando vi Tati saindo com um sobre tudo e tênis entrando no carro do padrasto e enquanto segui os, Marilda comentou algo sobre meu cacete e tirando ele para fora, ajoelhou no banco despertado em mim sensações maravilhosas porque enquanto engolia minha pica chegando a babar nela, sua saia subiu mostrando para que quisesse ver sua boceta estufada moldada no fio dental amarelo que sumia em sua bunda, isso porque abri os vidros do carro o que fez ela abocanhar com mais gosto meu cacete. Estava quase gozando quando Tati desceu do carro e tirou o sobre tudo deixando a bunda praticamente a mostra porque o vestidinho branco era curto demais e subindo a escada, mesmo longe dava para ver a silhueta de sua boceta estufando a minúscula calcinha branca, quando seu padrasto foi atrás, Marilda me segurou pedindo que desse um tempo e uma eternidade depois chegamos naquela pracinha onde Tati ajoelhada chupava com doida o cacete daquele desconhecido enquanto seu padrasto filmava e tirando minha pica para fora, Marilda cobriu minha cabeça com sua blusinha ficando só de sainha e sutiã e me beijando enquanto filmava fomos chegando perto deles, com Tati soltando um uau ao ver meu cacete dando cabeçada no ar enquanto Marilda alisava ele com suas mãozinhas de fada, quando Tati largou o rapaz e segurou o meu, antes de abocanhar ela olhou para seu padrasto que fez um leve sinal que sim com a cabeça, isso depois de ficar sem jeito ao encarar Marilda e chegando a engasgar com a glande batendo em sua garganta me chupou como nunca antes com Marilda vindo beijar minha boca para me impedir de fazer algo ao ver aquele desconhecido arriando sua calcinha deixando no meio das pernas e entrou nela metendo como doido, o que fez Tati intensificar ainda mais as chupadas, por sorte minha e azar dela, o cara gozou rápido saindo as pressas delas que sem soltar minha pica, tirou a calcinha entregando para o padrasto e com ajuda de Marilda que não deixou ela me beijar, colocou o preservativo as pressas dando para ouvir seu gemidinhos tímidos e apoiando na mureta, arrebitou a bunda enquanto Marilda direcionava minha pica naquela boceta melada parecendo um vulcão e agarrada atrás de mim, Marilda coordenava as metidas me dando beijos enlouquecedores não deixando um senhor negro alisar sua bunda como queria e mostrando Tati o senhor apoiou meio que sentado na mureta e empurrando nossos corpos fez ela chegar perto do senhor e alucinada resmungando e gemendo abafado, Tati meteu a boca naquela pica me fazendo encher o preservativo de porra dentro de sua boceta com Marilda me tirando as pressas dela e ajoelhando a minha frente, depois de me chupar me fazendo ficar duro novamente não me deixou meter nela afirmando que ali não e assim que entramos no carro com ela sentada praticamente em meu colo rumamos para o motel onde passamos horas muito agradáveis nos beijando apaixonadamente, tanto é que quando demos uma o dia já estava amanhecendo. Desde então me relaciono com Marilda vivendo momentos eternos de amor, porque ela tem relacionamento aberto com o marido, quanto a Tati ultimamente tem cobrado mais minha presença, isso porque sua sogra esta fazendo marcação cerrada nela tendo leve desconfiança de algo entre os dois enquanto Marilda segue e é seguida pelo padrasto que vez ou outra manda para ela vídeos de Tati nua se exibindo pela cidade e esses faço questão de guardar, porem não consegui assistir nenhum deles ainda.

1298 views

Contos relacionados

O último conto…

conto erotico O último conto... 2024Olá.. me chamo Giovanne e tenho uma linda amante por quem sou apaixonado que se chama Jenny...Estou escrevendo hoje o que imagino que seja o último conto...

LER CONTO

No carro com Jenny

Venho aqui com mais uma história com minha amante Jenny... Há alguns anos atrás Jenny trabalhava a noite... Até às 22 horas... E minha mulher também trabalhava a noite... ou seja eu tinha uma...

LER CONTO

Estou quase virgem

Olá eu sou o Márcio, 60 anos, 1.70mt 85 kg. Olhos e cabelos castanhos, poucos pelos, pênis médio 15cm mas grossinho. Eu sou casado mas a esposa bem imagina das minhas vontades e taradisses. Sempre...

LER CONTO

Submetida e depravada com o marido ao lado

Tínhamos ido a um restaurante comemorar a promoção de Rildo, meu marido. A refeição maravilhosa e leve. Rildo praticamente tomou a garrafa de vinho inteira e depois bebeu mais três doses de...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 4 = ?

Parceiros Do Site

© 2024 - Club dos contos eroticos