Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos Cdzinhas » Sou viciada nas calcinhas da familia

Sou viciada nas calcinhas da familia

Publicado em 25/03/2022 por Cdzinha_agel

Os meus pezinhos são lindos! São pés de uma fêmea, pés de fogo, pés de mulher gostosa… Deliciosos de beijar, chupar e gozar em cima deles. Adoro, quando o meu macho me come na posição de franguinha assada, e, enquanto isso, chupa os meus pezinhos… Eu me masturbo quase todos os dias, chupando os meus pés. Aí eu gozo em cima deles e depois bebo a minha própria porra! Aliás, eu amo beber a porra de quem eu chupo… Adoro fazer isso. Adoro também, quando um homem fica de pau duro olhando para os meus pés. Já já fui internado em clínicas de recuperação para dependentes químicos, e sempre tinha alguém que também tem esse fetiche por pés. Um deles me disse na “cara dura”, que os meus pezinhos eram lindos e deixavam ele com muito tesão. E ele continuou, dizendo que já tinha até batido uma punheta pensando nos meus pés fazendo “carinho” no pau dele. O resultado é previsível: o cara dormindo no meu quarto, e depois de ele ter me falado isso, todas as noites, repito, todas as noites até o fim do tratamento ele chupou os meus pés e gozou. Tinha noites que ele me comia, em outras noites ele só se masturbava chupando os meus pezinhos. Vários homens já me disseram isso: que o meu pé é igual pé de moça. Eu adoro ouvir isso, principalmente quando é um macho que diz. Falo isso, porque desde a minha infância todos da minha família falavam que meus pezinhos eram lindos. a minha irmã, para vocês terem noção, morre de inveja deles. Quando eu vou à uma loja de sapatos, eu nem me importo com os tênis Nike ou Adidas… Vou direto no setor onde estão as sandálias femininas fico imaginando cada uma delas de salto alto nos meus pés. Da última vez que eu fui, tomei coragem e pedi para o vendedor trazer para mim uma sandália de salto alto vermelha, que eu adorei. O rapaz foi até o estoque pegar a sandália, imaginando que era para minha namorada ou qualquer mulher da minha família. Quando ele trouxe (eu calço 38), ele perguntou para quem era, então eu disse: “é para mim mesmo”. Ele ficou confuso e com  uma cara de quem não estava entendendo nada. Aí, eu tirei o meu tênis e as meias e ele ficou muito surpreso quando viu os meus pezinhos. Calcei as sandálias e ainda fui ousada, perguntando a ele se tinham ficado bonitas nos meus pés. Até alguns clientes ficaram assustados quando eu fiz aquilo. Mas eu me senti livre, porque estava sendo que eu na verdade sou: uma mulher, fazendo coisas que mulheres fazem. quando eu vou usar o banheiro, eu sento no vaso sanitário pra fazer xixi, igual mulheres fazem. Ah e eu, outra coisa: eu também adoro fumar pedra no cachimbo, e ao mesmo tempo ficar metendo com o meu “consolo” de 23x5cm… É a melhor sensação do mundo! Fico “louca”, fazendo o que mais gosto,  que é dar a bunda. Não estou fazendo nenhuma defesa ou apologia ao uso de drogas, até mesmo porque, ela já estragaram bastante a minha vida e a da minha família. Quem disse que é errado, ou um pecado dar o cu? Eu sei que o meu vício não é nada saudável, muito pelo contrário, é destrutivo, mas, enquanto eu não decidir tomar uma firme decisão de parar definitivamente com o uso de drogas, eu continuarei a fazer o meu ritual: a verdade, é que eu sempre quis ser uma menina, uma jovem, uma mulher. Desde criança eu  gostava de vestir os sutiãs e as calcinhas da minha tia, quando a minha família saía de viagem. Eu entrava no banheiro, e sempre tinha uma calcinha e um sutiã no cesto de roupas. Uma vez, a minha avó se confundiu e guardou uma das calcinhas da minha irmã junto com as minhas cuecas. Eu sabia que era uma calcinha, mas vesti e ficava o dia inteiro olhando para meu “pintinho” usando calcinha. E eu gostei muito daquilo. Sempre ficava provando as sandálias e sapatos de salto alto da minha mãe. Mas ninguém nunca imaginou isso. Eu sempre me dei bem com as meninas, e sempre namorei mulheres. Mas, na minha infância 2 “amiguinhos” que moravam no mesmo prédio que eu, me ensinaram o que era o sexo. Eles já estavam na fase da puberdade, onde os hormônios estão à flor da pele: a voz engrossa, começa a nascer barba no rosto e pêlos no corpo. Eu t era mais novo que eles uns três anos, então quando eles estavam aprendendo a ser homem, eu era apenas uma criança ingênua. Um dia, nas férias, um deles apareceu com uma dessas “revistinhas de sacanagem”. Eu nunca tinha visto aquilo, e era tudo uma novidade para mim. Mas os dois já estavam a todo vapor, então eles “sugeriram” se nós fossemos para escadaria do prédio “brincar” um pouco. Eu na minha inocência fui tranquilo. Chegando lá, eles abaixaram a bermuda começaram a “mexer” no pinto, folheando a revista. De repente, o pau dos dois ficou muito maior e duro. Eu nunca tinha visto aquilo. O meu “peruzinho” era pequenininho e lisinho, enquanto o dos dois era enorme e cheio de pêlos. Aí começa a minha história: eles falaram para eu fazer tudo o que a mulher fazia na revistinha, ou seja, ali eu me tornei uma fêmea. Eles me “ensinaram” como chupar um pinto, como ficar lambendo o saco e as bolas, e, o “melhor” de tudo: me ensinaram a dar o meu cuzinho. Pelo menos umas três vezes por semana nós, ou melhor, eles brincavam essa “brincadeira” diferente. E eu, mesmo sendo uma criança e sem nenhuma libido ou desejo sexual, aprendi a gostar daquilo. Na verdade, eu eu amei aquilo, e era eu quem ficava contente quando eles me intimavam pra “brincar”. Eu já até diferenciava o gosto e o cheiro do pinto deles. E eu comecei a gostar tanto de chupar o pau deles, que, se eles não mandassem eu parar, ficaria o dia inteiro chupando. E, como não poderia ser diferente, em pouco tempo eles estavam comendo a minha bundinha. Me comiam de todas as posições possíveis. Enquanto um enterrava o pau no meu rabo, eu chupava o pau do outro. O meu “pintinho” nem ficava duro, mas eu adorava ver os meus amigos “felizes”, e, acima de tudo, amava de paixão lamber e engolir aquele “negócio branco”, quente e melado, que escorria do pau deles. Isso durou uns 4 anos. Então, eu fui a menininha eles durante todo esse tempo. Mas eu venho de uma família evangélica, que não tolera essas coisas, e eu cresci e vivi a minha vida inteira usando uma máscara. Sempre desejando ser uma mulher, mas tendo que fazer o papel do filho mais velho, pois meu pai dizia que eu ia ser o homem da casa. Mas, eu, mesmo vivendo uma farsa, sempre dava um jeito de fazer o que eu gosto: dar prazer para um macho. Então, arrumava sempre um homem para eu chupar o pau dele e ele me comer. Hoje eu tenho 42 anos, e eu comecei com isso aos nove. Então hoje eu moro sozinho, ou melhor, sozinha, e a única hora que eu tenho para poder ser o que sou (uma fêmea), é durante à noite. Então, eu visto o meu vestidinho, a minha calcinha e o meu sutiã. E não posso esquecer do mais gostoso: calço as minhas sandálias salto alto. Meus pezinhos sempre estão lindos, pois eu passo creme, licho o meu calcanhar e deixo as minhas unhas no estilo “francesinha”. Em outras palavras, eu me torno na mulher que eu sempre fui. Eu me sinto uma mulher. Sou muito feminina na hora da foda, mas não dou “bandeira”: ninguém nunca nem imaginou isso, porque durante o dia eu sou um homem, ou pelo menos finjo que sou. E as drogas entraram na minha vida, infelizmente, na minha juventude, como uma fuga. Eu sei que isso não justifica, mas fazer o quê? Então eu faço as duas coisas que me dão mais prazer na mesma hora: dou a bunda fumando pedra. Na verdade, eu sei que eu tenho que parar, mas é muito gostoso e eu não quero parar. Hoje eu trabalho, pago as minhas próprias contas e não dou motivos para ninguém ficar chateado comigo. Então eu faço as coisas que eu gosto de fazer. Sou uma fêmea caralhuda, muito gostosa, muito safada e muito putinha. E adoro ser isso. Aliás, eu estou fazendo isso nesse exato momento. Já gozei umas três vezes, sem precisar por a mão no meu “grelinho”….

Os meus pezinhos são lindos! São pés de uma fêmea, pés de fogo, pés de mulher gostosa… Deliciosos de beijar, chupar e gozar em cima deles. Adoro, quando o meu macho me come na posição de franguinha assada, e, enquanto isso, chupa os meus pezinhos… Eu me masturbo quase todos os dias, chupando os meus pés. Aí eu gozo em cima deles e depois bebo a minha própria porra! Aliás, eu amo beber a porra de quem eu chupo… Adoro fazer isso. Adoro também, quando um homem fica de pau duro olhando para os meus pés. Já já fui internado em clínicas de recuperação para dependentes químicos, e sempre tinha alguém que também tem esse fetiche por pés. Um deles me disse na “cara dura”, que os meus pezinhos eram lindos e deixavam ele com muito tesão. E ele continuou, dizendo que já tinha até batido uma punheta pensando nos meus pés fazendo “carinho” no pau dele. O resultado é previsível: o cara dormindo no meu quarto, e depois de ele ter me falado isso, todas as noites, repito, todas as noites até o fim do tratamento ele chupou os meus pés e gozou. Tinha noites que ele me comia, em outras noites ele só se masturbava chupando os meus pezinhos. Vários homens já me disseram isso: que o meu pé é igual pé de moça. Eu adoro ouvir isso, principalmente quando é um macho que diz. Falo isso, porque desde a minha infância todos da minha família falavam que meus pezinhos eram lindos. a minha irmã, para vocês terem noção, morre de inveja deles. Quando eu vou à uma loja de sapatos, eu nem me importo com os tênis Nike ou Adidas… Vou direto no setor onde estão as sandálias femininas fico imaginando cada uma delas de salto alto nos meus pés. Da última vez que eu fui, tomei coragem e pedi para o vendedor trazer para mim uma sandália de salto alto vermelha, que eu adorei. O rapaz foi até o estoque pegar a sandália, imaginando que era para minha namorada ou qualquer mulher da minha família. Quando ele trouxe (eu calço 38), ele perguntou para quem era, então eu disse: “é para mim mesmo”. Ele ficou confuso e com  uma cara de quem não estava entendendo nada. Aí, eu tirei o meu tênis e as meias e ele ficou muito surpreso quando viu os meus pezinhos. Calcei as sandálias e ainda fui ousada, perguntando a ele se tinham ficado bonitas nos meus pés. Até alguns clientes ficaram assustados quando eu fiz aquilo. Mas eu me senti livre, porque estava sendo que eu na verdade sou: uma mulher, fazendo coisas que mulheres fazem. quando eu vou usar o banheiro, eu sento no vaso sanitário pra fazer xixi, igual mulheres fazem. Ah e eu, outra coisa: eu também adoro fumar pedra no cachimbo, e ao mesmo tempo ficar metendo com o meu “consolo” de 23x5cm… É a melhor sensação do mundo! Fico “louca”, fazendo o que mais gosto,  que é dar a bunda. Não estou fazendo nenhuma defesa ou apologia ao uso de drogas, até mesmo porque, ela já estragaram bastante a minha vida e a da minha família. Quem disse que é errado, ou um pecado dar o cu? Eu sei que o meu vício não é nada saudável, muito pelo contrário, é destrutivo, mas, enquanto eu não decidir tomar uma firme decisão de parar definitivamente com o uso de drogas, eu continuarei a fazer o meu ritual: a verdade, é que eu sempre quis ser uma menina, uma jovem, uma mulher. Desde criança eu  gostava de vestir os sutiãs e as calcinhas da minha tia, quando a minha família saía de viagem. Eu entrava no banheiro, e sempre tinha uma calcinha e um sutiã no cesto de roupas. Uma vez, a minha avó se confundiu e guardou uma das calcinhas da minha irmã junto com as minhas cuecas. Eu sabia que era uma calcinha, mas vesti e ficava o dia inteiro olhando para meu “pintinho” usando calcinha. E eu gostei muito daquilo. Sempre ficava provando as sandálias e sapatos de salto alto da minha mãe. Mas ninguém nunca imaginou isso. Eu sempre me dei bem com as meninas, e sempre namorei mulheres. Mas, na minha infância 2 “amiguinhos” que moravam no mesmo prédio que eu, me ensinaram o que era o sexo. Eles já estavam na fase da puberdade, onde os hormônios estão à flor da pele: a voz engrossa, começa a nascer barba no rosto e pêlos no corpo. Eu t era mais novo que eles uns três anos, então quando eles estavam aprendendo a ser homem, eu era apenas uma criança ingênua. Um dia, nas férias, um deles apareceu com uma dessas “revistinhas de sacanagem”. Eu nunca tinha visto aquilo, e era tudo uma novidade para mim. Mas os dois já estavam a todo vapor, então eles “sugeriram” se nós fossemos para escadaria do prédio “brincar” um pouco. Eu na minha inocência fui tranquilo. Chegando lá, eles abaixaram a bermuda começaram a “mexer” no pinto, folheando a revista. De repente, o pau dos dois ficou muito maior e duro. Eu nunca tinha visto aquilo. O meu “peruzinho” era pequenininho e lisinho, enquanto o dos dois era enorme e cheio de pêlos. Aí começa a minha história: eles falaram para eu fazer tudo o que a mulher fazia na revistinha, ou seja, ali eu me tornei uma fêmea. Eles me “ensinaram” como chupar um pinto, como ficar lambendo o saco e as bolas, e, o “melhor” de tudo: me ensinaram a dar o meu cuzinho. Pelo menos umas três vezes por semana nós, ou melhor, eles brincavam essa “brincadeira” diferente. E eu, mesmo sendo uma criança e sem nenhuma libido ou desejo sexual, aprendi a gostar daquilo. Na verdade, eu eu amei aquilo, e era eu quem ficava contente quando eles me intimavam pra “brincar”. Eu já até diferenciava o gosto e o cheiro do pinto deles. E eu comecei a gostar tanto de chupar o pau deles, que, se eles não mandassem eu parar, ficaria o dia inteiro chupando. E, como não poderia ser diferente, em pouco tempo eles estavam comendo a minha bundinha. Me comiam de todas as posições possíveis. Enquanto um enterrava o pau no meu rabo, eu chupava o pau do outro. O meu “pintinho” nem ficava duro, mas eu adorava ver os meus amigos “felizes”, e, acima de tudo, amava de paixão lamber e engolir aquele “negócio branco”, quente e melado, que escorria do pau deles. Isso durou uns 4 anos. Então, eu fui a menininha eles durante todo esse tempo. Mas eu venho de uma família evangélica, que não tolera essas coisas, e eu cresci e vivi a minha vida inteira usando uma máscara. Sempre desejando ser uma mulher, mas tendo que fazer o papel do filho mais velho, pois meu pai dizia que eu ia ser o homem da casa. Mas, eu, mesmo vivendo uma farsa, sempre dava um jeito de fazer o que eu gosto: dar prazer para um macho. Então, arrumava sempre um homem para eu chupar o pau dele e ele me comer. Hoje eu tenho 42 anos, e eu comecei com isso aos nove. Então hoje eu moro sozinho, ou melhor, sozinha, e a única hora que eu tenho para poder ser o que sou (uma fêmea), é durante à noite. Então, eu visto o meu vestidinho, a minha calcinha e o meu sutiã. E não posso esquecer do mais gostoso: calço as minhas sandálias salto alto. Meus pezinhos sempre estão lindos, pois eu passo creme, licho o meu calcanhar e deixo as minhas unhas no estilo “francesinha”. Em outras palavras, eu me torno na mulher que eu sempre fui. Eu me sinto uma mulher. Sou muito feminina na hora da foda, mas não dou “bandeira”: ninguém nunca nem imaginou isso, porque durante o dia eu sou um homem, ou pelo menos finjo que sou. E as drogas entraram na minha vida, infelizmente, na minha juventude, como uma fuga. Eu sei que isso não justifica, mas fazer o quê? Então eu faço as duas coisas que me dão mais prazer na mesma hora: dou a bunda fumando pedra. Na verdade, eu sei que eu tenho que parar, mas é muito gostoso e eu não quero parar. Hoje eu trabalho, pago as minhas próprias contas e não dou motivos para ninguém ficar chateado comigo. Então eu faço as coisas que eu gosto de fazer. Sou uma fêmea caralhuda, muito gostosa, muito safada e muito putinha. E adoro ser isso. Aliás, eu estou fazendo isso nesse exato momento. Já gozei umas três vezes, sem precisar por a mão no meu “grelinho”….

1288 views

Contos relacionados

Me descobrir uma cdzinha romântica

Me descobrir uma cdzinha romântica Eu sinto prazer (da até  um frio na barriga) quando eu imagino ser a "mulherzinha" de uma relação, Sou branca, 1,68m, 73kg. Sinto agua na boca quando imagino...

LER CONTO

PRIMEIRA VEZ NO SWING

Olá, Neste conto eu vou falar da minha primeira vez em uma casa de swing,tudo começou quando eu vi um anuncio no site de relacionamento que teria uma noite trans em uma casa de swing, e como eu...

LER CONTO

VADIA, EU?

Me sentia uma putinha sentada naquele galho de árvore com a sainha branca levantada e calcinha de lado me segurando como podia enquanto o namorado de minha irmã metia a pica em meu cu que...

LER CONTO

Eu sou uma TRIGRESA

NÃO CONSEGUIA ACREDITAR QUE HAVIA CEDIDO A ORDEM DAQUELE CRETINO PERDIDO NUM MISTO DE VERGONHA, MEDO E EXCITAÇÃO PARADO NAQUELA RUA POUCO ILUMINADA ONDE  VEZ OU OUTRA PASSAVA ALGUÉM USANDO UM...

LER CONTO

1 - Comentário(s)

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 4 + 4 = ?
Conheça o site de contos eróticos mais quente do Brasil. Faça outras pessoas sentirem tesão apenas com sua escrita, se abra com textos bem safados. Não deixe escapar nenhum detalhes, faça as pessoas se imaginarem naquela situação. Então saiba que você será capaz de fazer muitas pessoas gozarem apenas com suas escritas. Nós contos falamos apenas coisas pessoais que aconteceram conosco, agora já imaginou contar um segredo, algo único que ninguém pode saber? Então agora temos esse espaço, se chama meu segredo, você pode nós contar seus segredos, sem medos, sem julgamento, apenas se deliciar com os comentários mais safadinhos…… Então temos a maior mistura louca aqui, você pode falar dos seus desejos e ao mesmo tempo pode contar algo que te aconteceu… Esperamos entreter sua imaginação, leia os contos que te da mais tesão, temos uma ampla categoria, alguns dos melhores temas você só encontrar conosco,temas como cdzinhas, corno. Nós não somos responsáveis pelos contos aqui, apenas divulgamos contos enviados a nós. Somos um site independente sem parceiros. Melhores contos eróticos gays, contos eróticos cnn, contos de sexo, contos porno, contos com fotos. Então clica . Ah temos uma página de segredos, igual a página "eu confesso " mas 100% brasileiro e sem problemas com sua escrita Discover the hottest erotic story site in Brazil. Make other people horny just with your writing, open up with really naughty texts. Don't miss out on any details, make people imagine themselves in that situation. So know that you will be able to make a lot of people come off just by your writing. We tales only talk about personal things that happened to us, now can you imagine telling a secret, something unique that no one can know? So now we have this space, it's called my secret, you can tell us your secrets, no fears, no judgment, just delight in the naughty comments…… So we have the biggest crazy mix here, you can talk about your desires and the at the same time you can tell something that happened to you… We hope to entertain your imagination, read the stories that make you the most horny, we have a wide category, some of the best themes you can only find with us, themes like cdzinhas, horn. We are not responsible for the stories here, we only share stories sent to us. We are an independent site with no partners. Best gay erotic tales, cnn erotic tales, sex tales, porno tales, photo stories. Then click . Ah, we have a secrets page, just like the "I confess" page but 100% Brazilian and no problems with your writing Descubra el sitio de historias eróticas más popular de Brasil. Pon a otras personas cachondas solo con tu escritura, ábrete con textos realmente traviesos. No te pierdas ningún detalle, haz que las personas se imaginen en esa situación. Así que debes saber que podrás hacer que mucha gente se destaque solo con tu escritura. Los cuentos solo hablamos de cosas personales que nos sucedieron, ¿ahora te imaginas contando un secreto, algo único que nadie puede conocer? Así que ahora tenemos este espacio, se llama mi secreto, puedes contarnos tus secretos, sin miedos, sin juicios, solo deleitarte con los comentarios traviesos ... Así que tenemos la mezcla más loca aquí, puedes hablar sobre tus deseos y el al mismo tiempo puedes contar algo que te pasó… Esperamos entretener tu imaginación, leer las historias más cachondas, tenemos una amplia categoría, algunos de los mejores temas solo los puedes encontrar con nosotros, temas como cdzinhas, cuerno. No somos responsables de las historias aquí, solo compartimos las historias que nos envían. Somos un sitio independiente sin socios. Los mejores cuentos eróticos gay, cuentos eróticos cnn, cuentos sexuales, cuentos pornográficos, historias fotográficas. Luego haga clic. Ah, tenemos una página de secretos, como la página "Lo confieso" pero 100% brasileña y no hay problemas con tu escritura.
© 2022 - Club dos contos eroticos