Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos Incestos » Meu tio e meus pezinhos. Parte II

Meu tio e meus pezinhos. Parte II

Publicado em 26/06/2024 por Camilinha18

Conto erotico Meu tio e meus pezinhos. Parte II

Me sequei e fui pro quarto, coloquei um shortinho de algodão folgadinho e uma blusinha de malha.
Depois de um tempo, mandei uma mensagem pra ele.
-Tio!
-Oi minha princesa.
-Ta ocupado?
-Tô não, só vendo um filme aqui e vc?
-Só deitada esticando as pernas, aí olhei pro meu pezinhos e lembrei do meu tio querido que me fez uma massagem carinhosa nos pezinhos.
-Pelo visto vc gostou da massagem.
-Gotei muito.
-Vou querer mais. Rs
-Quando quiser é só pedir.
-Humm, cairia bem mesmo.
-Pode ser agora? Rs
-Já disse, quando vc tiver vontade. É só vir.
-E aproveita que sua tia não está em casa essa semana.
-Jajá eu desso. Beijinhos
Como sabia que ele estava sozinho, já fui logo entrando. Ele estava no sofá vendo o filme. Pra ser honesta nem reparei no filme. Me deitei no sofá e coloquei meus pezinhos no colo dele.
Ele estava ligado no filme que até esquecia de fazer a massagem.
-Acho que vou subir.
-Porque meu amor?
-Você tá ocupado com esse filme que nem me dá atenção.
Ele riu e desligou a TV.
-Vamos fazer o seguinte, deita na cama que eu sento na cadeira e massageio seus pezinhos. E assim o fiz. Deitei de barriga pra cima e ele foi massageando. Logo depois ele me pediu pra ficar de barriga pra baixo. Ele passou a fazer massagem nas minhas panturrilhas tbm. Em seguida pegou óleo de maracujá e começou a passar nos pés na panturrilha, nas coxas. Pediu pra levantar a camisa pra não lambuzar de óleo. Que eu acabei tirando e ficando de soutien. Ele soltou os fechos e passou o óleo carinhosamente , depois desceu as coxas novamente, mas dessa vez nas partes internas. Ele levantou um pouco meu short passou nas poupinhas.
Eu levantei o rosto e disse.
-Vai me melar meu short tio.
-Acho melhor tirar também.
E ele o fez, me deixando só de calcinha que estava bem cavadinha.
-Nossa Camilinha assim eu não aguento.
-Você tá com um bumbum lindo.
-Tio fala só porque sou eu.
-Meu bumbum é normal.
-Nada disso minha princesa, é lindo redondinho e durinho.
Eu dei uma balançada pra ele ver que era durinho mesmo.
-Mocinha!
-Ta me provocando?
-Era pra vc ver que está durinho mesmo. Rs
Nisso ele passou óleo nas minhas nádegas, levantando mas a calcinha qua já estava todo enfiada no meu reguinho.
Me deu um tapinha estalado mandando eu virar de frente.
-Ai tio!
-Seu danadinho, dando palmada no meu bumbum.
-Doeu?
-Um pouquinho. Rs
Ele fez um carinho enquanto virava segurando o soutien. Ele continuou massageando pés, pernas, barriga e veio nos meus seios. Que ainda estavam escondidos por baixo do soutien. Eu tirei pra não ficar com óleo. Ele olhou admirou meus peitinhos branquinhos com a auréola rosa e um bico delicado, que naquele momento já estavam enriquecidos. Mas não disse nada. Apenas olhava nos meus olhos. Desceu barriga e novamente massageando a parte interna das minhas coxas.
Eu a essa altura já me contorcia suavemente mexendo o quadril. Foi quando sentir um leve toque nos lábios da minha bocetinha. Como se fosse um shock eletrizante. Ele passou a massagear suavemente sobre a calcinha, já me arranca arrepios e gemidos inibidos. Continuamente ele foi afastando a calcinha e introduzindo o dedo. Brincando com meu grelinho. Estava tão gostoso, não queria que parece nunca aquilo. Eu toda molinha já.
-Ai tio, assim vou nas nuvens.
-Se depender de mim, vc vai várias vezes.
-Ai que maldade gostosa tio.
Ele colocou um travesseiro por baixo, deixando minha bucetinha mais acessível. Puxou minha calcinha de vez deixando tudo livre. Com isso ele dobra uma das pernas e proporcionando uma abertura maior, tocando a minha bucetinha. Eu tinha a respiração mais ofegantes e sensuais compridas com movimentos leves no quadril. A calcinha já lambuzada de óleo pressionava uma parte dos seus labio. De olhos fechados posa a minha mãos sobre a dele que para instantaneamente, eu acaricio e o conduzo novamente ou movimento. Olho profundamente e fecho os olhos.
Ele puxa minha calcinha, que ajudo levantando o quadril.
Ele me admirava, percebo seus olhares de carinho e de predador. Minha pele branquinha em degradê até o tom mais rosado da minha bucetinha. Ele posicionou um dedo no meu clitóris e acariciando solto um gemido gostoso de prazer, em seguida ele introduz um dedo em quanto brinca com seu clitóris com o dedão. Ele força colocando mais um dedo, deixando liberar gemidos e murmuros, movimentos nos quadris e meus dedos entrando e saindo da minha bucetinha.
Sinto pela respiração aumentar e o orgasmo chegando, minha anca erguida da cama, faço força empurrando as mãos dele pra dentro. E um som é liberto da minha garganta.
– haaaa!! Que delícia.
Sinto o pulsar minha bucetinha com seus dedos enterrados e seguros por monhas mãos.
Lentamente retiro seus dedos, viro de lado na posição fetal abraço meus joelhos e fecho os olhos curtindo os segundos finais daquele orgasmo. Ele me acaricia, me sento e sou abraçada por ele.
– Tô com vergonha tio.
– Com vergonha de que?
– De ter feito isso
– Porque minha princesa.
– Não fica assim, se tem um culpado então seria eu.
– Mas eu que permiti.
– Voce gostou?
– Sim amei.
– Então não se sinta culpada e sim realizada.
– Hum tio, foi tão gostoso.
– Confesso que também gostei de ver, vc se contorcendo dos seus gemidos.
– Aí tio, vou ficar com vergonha de você.
– Nao fica minha princesa. Foi a massagem mais gostosa que fiz pra vc. E ainda ganhou vários beijinhos nos pés.
– Verdade estava delicioso.
– Vem aqui, toma uma ducha quente pra tira o excesso de óleo.
Ele foi pegar uma toalha, e eu entrei no banho.
Quando ele vota com a toalha eu pergunto.
– Não vai me ajudar a tirar esse óleo todo?
Ele se vira e eu já estava com a porta do box aberta convidando a entrar. Ele tira a camisa e eu entrego a esponja a ele. Me virei de costas e ele me ensaboa nas costas bumbum e pernas. Me viro e ergo seus braços e me entrelaço no seu pescoço e o beijo, grudando seu corpo ao meu, forçando a minha bucetinha contra o seu pau que já estava mais que duro com aquilo tudo.

Olhando nos olhos, desço uma das mãos e seguro com vontade aquilo que me pressionava. Me abaixo puxo seu short, que salta pousando em meu rostinho. Seguro puxando a cabeça pra fora dou vários beijinhos passo a língua e o coloco na boca, alternando em chupadas e lambidas, até que avisou que ia gozar. Seguro e não deixou tirar e goza fundo na minha boquinha, 1, 2,3 jatos profundos e eu engolia, sorvia e depois passei o dedo no que escorria pelo queixo e levei a boca. Em seguida limpei todo o seu pau. Nós beijamos e saímos do box.
Ele me secou com todo carinho, coloquei o shortinho sem calcinha, a blusa sem o soutien, os bicos marcavam a blusa.
Ele deu um apertadinha no biquinho e disse.
-Visão deliciosa.
Me beijou novamente.
– Gostou de gozar no quentinho da minha boca?
– Sem dúvida que sim minha princesa.
– Eu tinha que proporcionar essa sua gozada, adorei o seu leitinho.
– Beijos, leitinho, carinhos tudo pra minha princesa linda dos pezinhos gostosos.
– Aí tio não me provoca, se não nem saio daqui.
– Se depender de mim pode ficar.
– Aí tio.
– Eu tenho que ir amanhã tem aula, mas quando chegar passo aqui pra te dar um beijinho.
– Quero só ver se vai sentir saudade. Rs
– Com certeza, de vc e desses pezinhos que amo.
-Agora vou indo, tomara que não tenha nenhum tarado de plantão me vendo sair assim com os peitinho furando minha blusa.
Rimos
Ele me acompanhou até afinal da rua, domingo a noite está sempre vazia e não iria deixar sozinha naqueles trages, mesmo que poucas casas depois da minha.
No despedimos e entrei em casa.
Fui direto pro meu quarto me deitei, e fiquei ali com meus pensamentos.
Só aí lembrei da calcinha e soutien.
Eu ri comigo mesma.
-Amanhã pego, depois da aula.
Dormi com um sorriso gostoso, e feliz pelo dia que passei com ele.

31 views

Contos relacionados

FALSO INCESTO – 2

Escute o conto  FALSO INCESTO - 2 em áudio Parte 2 Parte 3 Parte 4 Parte 5 Final Aparentando uns quarenta anos, o sessentão Vinicius, que na juventude foi classificado para as...

LER CONTO

Troca-troca de mães

Artur, um negro de quase um metro e noventa, abraça a esposa e a filhinha no colo. Ele acomoda a criança no banco de trás e lhe dá um beijinho. - Vou dar um pulo no colégio pra dar uma última...

LER CONTO

Tirei a Virgindade do cu da priminha

Como prometi, vou contar como enrabei minha priminha. Eu sempre disse para minha priminha que queria tirar a virgindade do seu cuzinho, mas ela dizia que não estava na hora só no fim das aulas...

LER CONTO

O filho me levou para conhecer a mãe dele

O filho me levou para conhecer a mãe dele Só estou relatando o que me aconteceu e se vc nao quiser acreditar pau no seu cu Enfim como sou um cara de palavra e jamais vou revelar os envolvidos na...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 1 + 3 = ?
© 2024 - Club dos contos eroticos