Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos Cornos » Eu, Nina, Beto e a prima.

Eu, Nina, Beto e a prima.

Publicado em 22/05/2024 por Caio Real

contos de sexo Eu, Nina, Beto e a prima.

 

Antes da história preciso recomendar que leiam:

A primeira vez que ele foi chamado de Corno

A segunda vez que ele foi chamado de Corno

A Casa de swing com a prima da Nina e o Corno do Beto

Nina não se livrou da prima e o ménage virou troca de casais.

Sábado por volta das 20hs cheguei no apartamento de Beto e Nina. Fui recebido pelos dois, mas diferente das outras vezes eles estavam vestidos com roupas leves, mas vestidos.

Eu e Nina sentamos no sofá grande e Beto no menor a nossa frente.

Beto logo disse: ” Sr. Caio tínhamos pensado algo para hoje, mas Luiza não abriu mão de participar. Ela nos fez prometer que a esperaríamos chegar do aniversário. Como é um aniversário infantil vai chegar daqui a pouco. Algum problema para o senhor? ”

Eu: ” para mim não e para você Nina? ”

Nina: ” Na verdade eu não queria, minha vontade era ser comida pelos dois, era ter exclusividade das atenções. Eu queria desta vez tentar uma dupla penetração. Mas vou me contentar se você me der mais atenção. Eu já falei com o Beto que quero você como meu amante fixo. Nem estou querendo te apresentar para Vera, minha amiga que me incentivou a começar esta história. Todos os dias ela pergunta que dia vai conhecer o coroa? ”

Continuou séria e disse: ” Tenho ciúmes dos dois, mais do senhor, confesso. Depois de hoje vou pensar muito. Beto disse que é por causa da novidade que estou assim. Tomara! ”

Eu: ” Não quero ser um problema, fiquem à vontade para se necessário eu me afastar. ”

Um silêncio profundo se fez naquela sala, foi a primeira vez que isto aconteceu.

O silêncio foi quebrado pelo interfone, era a Luiza chegando.

Ela chegou e mudou todo o astral, beijou todo mundo e disse que estava contando os minutos para sair logo da festa e encontrar conosco.

Abriu um vinho que trouxe, serviu a Nina e o Beto e começaram a beber. Logo Beto abriu mais uma garrafa enquanto eu tomava um suco.

Ela disse: ” Uai, achei que vocês não iriam conseguir me esperar. Que bom que esperaram. Vou tomar um banho prima. Vai comigo ou vai esquentar os meninos? ” Deu uma gargalhada e saiu em direção ao banheiro social.

Nina chegou mais perto de mim e começou a me beijar.

Disse: ” acho que vou lá tomar um banho com Luiza e ver se ela quer algo comigo também. ” Risos.

Levantou e saiu em direção ao banheiro. Beto se ajeitou no sofá e disse para mim:

” acho que Nina queria mesmo ficar só com nós dois. ”

Logo Nina aparece enrolada numa toalha e me diz para ir tomar banho na suíte e que Beto esperasse que elas terminassem para ir tomar o seu banho.

Tomei um banho que nem precisava pois já chegará de banho tomado. Ainda de dentro do banheiro escutei vozes no quarto. Assim que sai olhei para a cama e a visão era maravilhosa. As duas eram muito parecidas fisicamente, embora em tamanhos diferentes. Nina baixa e Luiza mais alta. Mas ambas com bundas grandes, peitos enormes, bucetas grandes e grelos enormes.

Era uma visão inacreditável.

Nina chupava o grelo da prima e tinha o seu chupado por ela. Não sei como conseguiram resolver o problema do tamanho diferente das duas. Mas pareciam bem adaptadas.

Logo Beto entra pela porta e também fica apreciando a cena.

Nina chamava a prima de bucetuda gostosa, a prima falava que gostosa era a Nina.

Diziam que podiam ter feito isto muito antes. Luiza enfiava a língua no cu de Nina que urrava de prazer. Nina mordia o grelo da prima que levantava os quadris e esfregava mais na cara de Nina. Eu e Beto aproximamos e começamos a acariciar ambas. Nina alternava a chupada no grelão da prima e a mamada no meu pau. Luiza fazia o mesmo com o Beto.

Nina sai da posição de 69 e me abraça. Começa a esfregar o corpo em mim e a lamber meu pescoço e a chupar minha língua. Apertava os seus enormes seios em mim e dizia que me amava. Ajoelhou e começou a me chupar, engolia meu pau até a base, tirava a boca deixando ele todo molhado com sua saliva. Olhava para cima em direção aos meus olhos e só mexendo os lábios dizia que me amava, sem emitir nenhum som. Depois de um tempo, levantou e nos meus ouvidos disse que me amava e que queria ser minha amante.

Dizia e se esfregava com mais força em meu corpo. Eu não dizia nada, apenas retribuía o seu carinho.

Nina: ” Amor, Luiza me pediu para deixar você gozar nela. Pode confiar amor, ela como eu somos saudáveis. Pode gozar dentro do bucetão dela. É que você é vasectomizado e ela não vai correr o risco de engravidar.

Mas na segunda a primeira gozada é minha. ”

Olhei para a cama e vi Luiza lambendo o cuzinho do Beto que rebolava e suspirava. Luiza virou o Beto, pós uma camisinha nele e sentou com força em seu pau. Entrou fácil, ela estava muito molhada. E assim como a prima sabia meter muito. Rebolava e dava umas buscadas com a buceta no pau do Beto.

Nina vendo a cena também, me deitou ao lado do Beto mas em posição invertida e foi sentando devagar no meu pau. Ia mordiscando meu cacete com sua buceta também molhada. Sentava com calma, parecia aproveitar o momento, apertava a xoxota e fazia entrar mais um centímetro. Nina metia muito.

Quando estava todo dentro dela, começou a fazer os mesmos movimentos que a prima fazia no Beto. Elas estavam uma em frente a outra. Logo começaram a se beijar e mamar uma o peito da outra. Que visão meus amigos. Rebolava em nós com nossos paus entalados nelas, ao mesmo tempo que sarravam uma na outra. Gemiam alto e falavam obscenidades. Se chamavam uma de puta, vadia, safada e nos chamavam de filhos da puta comedores de primas. Loucura!

Nina: ” Vai prima, faz meu maridinho encher está camisinha. Você é uma vaca gostosa.  Olha como este corninho está gostando. Comendo seu bucetão e vendo a mulher dele dar para o amante. É isso mesmo, Caio vai ser meu amante. Goza corno, goza que eu estou gozando no pau do meu macho. Você agora só me come se ele deixar. E assim que meu amor gozar na minha xoxota, você vai limpar ela toda com sua língua. Aí amor mete com mais força. Mostra para este corno como você faz a mulher dele gozar. ”

Luiza: ” seu maridinho corninho mete muito prima. Vou fazer ele explodir dentro de mim. Pena que vai gozar na camisinha, não vou sentir ele esguichar sua porra em mim. Guarde um pouco de porra do seu macho para mim. Caralho estou gozando. ”

Nina: ” goza puta, goza no pau deste corno porque aqui eu já gozei e estou gozando de novo. ”

Disse isso e largou o corpo sobre mim, suspirando alto.

Ficava apertando meu pau com sua buceta e rebolava bem devagar.

Disse sussurrando em meus ouvidos: ” Amor, meti em mim deitada, quero sentir sua porra batendo em meu útero e quero a deixe lá dentro para o Corno tomar ela toda. ”

Deitou de costas e fomos meter na posição papai e mamãe.

Metia nela alternando hora com força, hora bem devagar. Ela apertou meu pau com a buceta e deu um suspiro que eu já conhecia. Estava gozando, foi soltando o meu pau e eu acelerando o ritmo, ela levantou os quadris gritou dizendo que ia gozar. Gozou ao mesmo tempo que eu inundava a sua buceta com minha porra. Ela me abraçou e não me deixou sair de dentro dela. Meu pau ia murchando e ela suspirando calmamente. Ela disse: ” te amo e não quero te perder. Só você me faz gozar assim. Até eu engravidar e meu filho nascer quero que seja meu amante. ”

Escutei Beto gozando junto a Luiza. Ela deu um urro e largou c corpo sobre o Beto.

Depois de uns minutinhos ela disse: ” Prima seu marido mete muito. Se você deixar, de vez em quando eu quero aproveitar dele. Pena que temos que usar camisinha. ”

Nina: ” Prima toma remédio e aí ele pode gozar dentro. ” E virando para o marido disse: “Corninho vem limpar a buceta de sua putinha. Ela está cheia de porra do meu macho.” E do nada ela diz: ” Caio um dia ele vai comer o seu cuzinho e você também ser amante dele. ”

Louquinha!

Enquanto o marido chupava a buceta esporrada de Nina, fui tomar banho com Luiza.

Como era gostosa a Luiza. Grandona, cavalona como falam.

Assim que entramos no banheiro ela disse: ” Caio que história é essa que Nina falou? Você vai mesmo enrabar o Beto? ”

Eu: ” Não sei de onde ela tirou isso, não faz meu gênero. ”

Luiza: ” Acho que ela quer controlar o Beto, assim mantém você perto deles. Ela está apaixonada por você. Ela me disse que te escolheu por não correr risco de apaixonar. Esqueceu até da história de ser deflorada pelo negão pirocudo. ”

Luiza sentou no vaso e começou a chupar o meu pau dizendo que queria sentir o gosto de minha porra misturada com o gozo da prima.

Deixou o meu pau tonto e limpinho.

Começamos a tomar banho, um lavava o outro. Que buceta greluda ela tinha. Lavava e mamava naqueles peitos enormes. Ajoelhei e comecei a mamar também no grelão dela. Parecia que estava chupando um pintinho. Ela apertava minha cabeça junto a sua buceta.

Comecei a alternar leves mordidas no seu grelo com outras mais fortes. Ela estremecia o corpo e apertava ainda mais minha cabeça junto a sua buceta.

Me levantou e começou a me beijar. Ela era mais alta do que eu, mas me virei bem.

Os peitos enormes que ela tinha, me afastava um pouco dela. Então ela me puxava com força deixando seus seios apertados entre nós.

Ela falou baixinho: ” meu ex noivo nunca comeu o meu cu, sabia que meu cuzinho só conhece um brinquedinho que tenho. Ele é praticamente virgem. Acho que o seu pau é do tamanho certo para tirar minha virgindade anal. ” Continuou: ” quero sentir você gozando em minha buceta, mas queria sentir ele dentro do meu cu. Dúvida cruel. ” Gargalhou e num gesto brusco, assim como na boate, ficou de costas para mim e começou a esfregar sua bunda em mim. Eu apertava os seus seios e já com o pau muito duro esfregava ele no rego dela.

Com as mãos eu apertava os bicos de seus seios. Ela gemia e esfregava a sua bunda com mais força em meu pau.

Disse: ” Vamos para o quarto, você vai comer minha bunda de camisinha e depois goza na minha buceta em pelo ”

Eu: ” estou louco para comer sua bunda, ela é muito bonita. Hoje eu vou fazer o que você está pedindo, mas se tiver uma próxima oportunidade quero gozar dentro deste seu cuzinho. ”

Ela gemeu, pegou meu pau e esfregou no seu bucetão.

Saímos para o quarto.

Lá, Nina estava de quatro, com o rabo empinado para cima tendo seu cu invadido pelo pau do Beto.

Nina olhou para mim e disse: ” Amor, agora você é da minha priminha, eu vou gozar no pau do meu corno. Amor, não faz ela apaixonar por você também. Vai corno, empurra este cacete no meu cu. Me arromba! ”

A prima fica na mesma posição ao lado de Nina e me convida a comer sua bunda. Eu primeiro enfio na buceta quente dela, como era molhada e quente o bucetão da Luiza. Ela de quatro, rebolava e empurrava a bunda para trás até sumir tudo dentro dela. Gemia e pedia para eu meter mais forte. Logo ela estava beijando a prima que tinha o seu cu sendo comido pelo marido. Elas beijavam com muita volúpia, suas línguas eram como duelos de espadas.

Nina: ” Vai prima senti este pau gostoso em pelo na sua buceta. Este coroa é muito gostoso. Vai amor como esta cadela que é minha prima. Ela passou 4 anos dando para um otário, ensina ela como é ser bem comida. ”

Eu comecei a empurrar mais devagar na buceta da Luiza sentindo sua xoxota apertar meu pau. Ela faz exatamente como a prima. Eu peguei uma camisinha que estava sobre o criado mudo, sem tirar o pau de dentro da buceta dela. Peguei o gel que estava ao lado e metendo em sua buceta fui colocando meu dedão já lubrificado na entrada do seu cuzinho. Ela gemia e empurrava a bunda para trás. Gemia muito alto, eu comecei a bater em sua enorme bunda. Tirei o meu pau de sua buceta e coloquei a cabecinha na entrada de seu cuzinho e empurrei um pouquinho. Ela gemeu alto e pediu para eu enterrar o meu pau no seu cu. Eu tirava e empurrava mais um pouquinho. Ela: ” Vai puto empurra de uma vez este pau no meu cu, não estou aguentando, olha como minha buceta está escorrendo.  Enfia, este caralho no meu rabo, anda. ”

Eu afastei um pouco dela, coloquei a camisinha e fui empurrando a cabecinha no seu cu. Ela gritava, dizia que estava doendo, mas não era para parar. Realmente ela tinha o cuzinho muito apertado. Uma bunda tão grande e um cuzinho tão apertadinho. Fui tirando e empurrando cada vez mais. Até que sumiu meu pau dentro de seu rabo só sobrando as bolas de fora que batiam naquele rabão.

Ela rebolava e pedia para meter forte no seu cu. Dizia que era muito gostoso ter um pau de verdade na sua bunda.

Luiza: ” seu pau é gostoso Caio, enfia tudo, estou chorando, mas está muito gostoso. Prima é bom tomar no cu. Vou gozar, vou gozar. ”

Puxou a bunda para frente, tirou o meu pau do seu cu, tirou a camisinha, ajeitou meu pau em sua buceta e empurrou a bunda para trás, mais uma vez só sobrou as bolas. Com meu pau em sua buceta, deitou de bruços e aos gritos pedia para eu socar e gozar dentro dela porque já estava gozando.

Nisso Nina já havia gozado com o marido, ajoelhou em frente a prima e começou a beija-la.

A bunda da prima tremia e apertava meu pau. Nina falava: ” goza gostoso prima. Goza na rola do meu amante. Eu disse que este coroa era gostoso. ”

Olhou pata mim e disse para eu gozar dentro da bucetona da prima. ” Vai amor, enche está bucetona de porra. Está putinha merece. Goza amor.”

Largou a prima e veio até mim e começou a me beijar. Não resisti, dei um grito e gozei dentro de Luiza, que já havia anunciado o seu gozo.

Minhas pernas amoleceram na hora. Senti que iria cair sobre a Luiza. Fui deitando lentamente sobre as costas dela sem tirar o meu pau. Ela rebolava lentamente. Nina acaba de me virar e começa a chupar o meu pau, deixou ele limpinho.

Deitou ao meu lado e me abraçou e me beijou. Passava a mão com carinho no meu corpo.

Disse: ” Amor, exigimos muito de você nestes dias. Quero que descanse e durma aqui conosco. Beto já guardou seu carro na garagem. Amanhã cedo você vai. Hoje vou te dar um banho e dormir abraçadinha com você. Já está com 64 anos, preciso cuidar bem do meu amante. ”

Me pegou pela mão e me levou até o banheiro. Lá ela me lavava literalmente. Disse que dormiríamos na sua cama e Luiza e Beto dormiriam no quarto de hóspede.

Eu ainda me sentia pisando em nuvens. Ela foi comigo até a cama, me deitou e me cobriu. Voltou ao banheiro e depois de um tempo voltou e deitou nuazinha ao meu lado, estava muito cheirosa, sua pele macia encostava em mim. Passou sua perna sobre minha coxa, encostou sua xoxota em mim. Senti seus seios apertados junto a mim. Me deu um beijo e me desejou boa noite. Acho que devia ser umas 3hs da manhã.

Dormi rapidamente. Acordei sentindo a mão dela acariciando meu pinto que ainda estava bem molinho e pequeno. Ela olhou para mim, me deu bom dia e disse que me amava. Levou sua boca até meu pau e começou a chupa-lo bem devagar. Senti ele crescendo na boquinha dela. Ela vendo que ele já estava duro, subiu em minhas pernas, encaixou sua buceta na ponta do meu pau. Foi soltando o corpo lentamente e meu pau foi entrando mm por mm. Ela com sua buceta mordia toda a extensão do meu pinto. Subia e descia lentamente, quando tentei abrir os meus olhos ela colocou sua mão sobre eles. Queria que eu ficasse com os olhos fechados.

Subia e descia seu corpo sobre o meu pau. Sentia que sua xoxota ficava mais molhada a cada descida. Eu escutava sua respiração aumentando e já sentia seus líquidos escorrendo em minha virilha. Ela pegou minhas mãos e colocou sobre sua bunda. Pude sentir ela toda arrepiada. Apertava sua bunda com mais força. Ela parou de subir e descer e começou a esfregar sua buceta em mim com meu pau dentro dela e ainda sendo mordido por sua xoxota. Escutava sua respiração aumentar. Teimosamente abri os olhos e vi esta cena:  ela esfregava sua xoxota em mim, com suas mãos apertava o bico dos seus seios, lágrimas escorriam dos seus olhos fechados e suspirava muito forte. Tirei minha mão de suas nádegas, e substitui suas mãos pelas minhas. Comecei a apertar e a acariciar os bicos de seus seios, enquanto ela apertava sua buceta mais forte ainda, deu um suspiro muito profundo, estremeceu o seu corpo, contraiu sua xoxota e senti mais líquidos escorrer dela. Aumentou o choro e deitou sobre o meu peito. Eu tentava enxugar suas lágrimas com minha boca. Ela gemia baixinho e estremecia o corpo. Beijou meu rosto e soltou o corpo sobre mim. Ficou assim por muito tempo. Ainda estava com meu pau enterrado em sua xoxota, levantou o dorso, virou o seu corpo, colocou sua buceta molhada em meu rosto, abocanhou o meu pau com sua boca e começou a me punhetar lentamente enquanto me chupava. Levantou a cabeça um pouco e disse: ” Amor goza, chegou a sua vez de gozar, quero engolir toda a sua porra. ”

Disse isso e aumentou o ritmo da punheta e das chupadas. Eu senti um choque percorrer meu corpo e enchi a boca de minha morena com minha porra. Ela chupou tudo e deixou meu pinto limpinho. Deitou a meu lado e disse que me amava.

Chorando disse para eu não me preocupar pois chorava de prazer. E sorrindo disse: ” Chorei para não abrir a janela e gritar que tinha gozado pra caralho. ” Deu uma linda gargalhada. Saímos do quarto e fomos tomar café com Beto pois Luiza já havia saído para encontrar com sua família.

Conversamos um pouco e fui embora.

977 views

Contos relacionados

Assisti minha esposa transando parte 2

Como relatei na parte 1 minha esposa ficou acariciando eu e o Lucas, estávamos os 3 deitados na cama e minha esposa cheia de leite na xota da minha gozada, porém uma atitude do Lucas me surpreendeu,...

LER CONTO

o corno chorão

Sentado no fundo do balcão, Almir tomava sua terceira cerveja mas já degustara umas cinco cachaças , o efeito do álcool já o deixara meio grogue , mas sentia uma ponta de ciúmes misturado a...

LER CONTO

Depravações de um casamento IV

Junior entra na suite e se dirige ao banheiro pra urinar. Lá ele encontra sua noiva Ylena se banhando. - Pensei que estavas ajudando a Leilane pra se preparar pro casamento! Outro banho!? Não bastou...

LER CONTO

Eu perdi o controle sobre ela

Eu perdi o controle sobre ela Tenho 35 anos e minha esposinha tem 26. Somos casados a tres anos. Recentemente ela me propôs  um menage com outra mulher.... Mas fui sincero com ela e admiti que...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 4 = ?
© 2024 - Club dos contos eroticos