Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos locais públicos » Ela bebeu e não se segurou

Ela bebeu e não se segurou

Publicado em 29/09/2021 por Leo

Viajei com uma ex-namorada para um vilarejo famoso do nordeste. Pacote de agência, aqueles de uma semana. Na ocasião estávamos juntos há uns seis meses, e ela vinha aprendendo (e gostando) de praticar anal. Disse que eu a ensinei a dar o cuzinho sem dor e que nunca tinha imaginado que podia ser tão bom. Gostava tanto que tinha dias que so oqueria dar a bunda e nosso ritual ao acordar sempre passava por uma gozada dentro do rabo antes do café da manhã. Sempre que dormia com ela, ja sabia que de manhã tinha cu.

Pois bem, fomos viajar. Ao chegar, ela me disse:

– Nessa viagem vou realizar aquela fantasia de dar na rua. Mas eu quero no cu. Quero dar o cu pra você no meio da rua e vai ter que ser essa semana!

Não sou chegado em exibicionismo, e o medo de ser pego e passar a vergonha de ser detido me deixaram apreensivo, sem saber se ia ter coragem de realizar a fantasia dela ou não. Três dias se passaram, até que soubemos que naquela noite ia acontecer um forro ali perto. Cochilamos depois do jantar, nos arrumamos e fomos. Bebemos, dançamos e na volta para a pousada, ela ja bem altinha da bebida, me disse que era a hora. Meu coração batia com um misto de tesão e medo, mas topei: ia comer o cu da namorada em publico e ia ser essa agora.

O local e um desses vilarejos famosos onde não entra carro, então depois de madrugada as (poucas) ruas do local ficam meio desertas, mas nunca totalmente vazias. Começamos a andar procurando o local ideal, encostamos em alguns cantos e quando começávamos o amasso sempre aparecia alguem, ou passando em frente ou mesmo longe, e isso me quebrava o clima. Pra não deixar esfriar, usei um velho truque que sempre funcionou muito bem com ela: pedi que tirasse e me desse a calcinha. Pronto, endoidou de tesão.

A calcinha estava absolutamente molhada. Ate estranhei pois nunca tinha visto daquele jeito. Ela sempre teve muita lubrificação (eu amo!), mas aquela noite era especial. Estava ensopada mesmo.

Encostamos num muro, proximo a uma arvore e subi as mãos por dentro do vestido dela e pude sentir a parte interna das coxas ja molhada. Ela escorria de tanto tesão, so por a gente estar se preparando para transar na rua. Eu sabia que não tinha mais volta.

Continuamos andando devagar rumo a pousada e chegamos a uma praia. Ao longe dois casais sentados num banco conversavam e percebemos que do lado oposto algumas arvores poderiam tampar a visão: achamos o local.

Encostei numa árvore maior e ela encostou em mim de costas, suspirando como eu nunca a tinha visto antes. Subi o vestido com a mão pela frente e encontrei a bucetinha como eu ja imaginava: muito melada. Ela soltava frases desconexas:

– A cadelinha vai dar a bunda na rua. Minha bucetinha ta piscando? a putinha ta com muito tesão. Quero no cu! Leitinho? Cuzinho?

E suspirava e gemia de um jeito novo pra mim.

– Sua putinha vai dar o cu pra você na rua. Come meu cuzinho na rua, enche meu rabinho de leite. Eu quero? eu quero? me dá leite no cuzinho.

Eu, olhando em volta pra ver se não chegava ninguem enquanto procurava uma posição confortavel, continuava tremendo. Perguntei se ela queria dar a bucetinha primeiro e a reposta foi não:

– No cu? me dá? quero no cu!

Fiquei meio sentado, meio de pe, apoiando as costas na arvore maior e comecei a lubrificar o cuzinho com o melzinho da buceta, que não parava de escorrer. Serio, eu nunca vi coisa igual como naquele dia.

Enfiei um dedo, ela gemia, suspirava e continuava falando frases meio sem sentido:

– Isso? no cu? me da? puta? quero leitinho no cu? vou dar o cu no meio da rua. A putinha quer leitinho quente no rabo? na rua?

Eu molhava os dedos na buceta e massageava o cuzinho por fora, enquanto ia falando sacanagens no ouvido dela, ora beijando, ora mordendo seu pescoço:

– Então hoje a minha putinha vai levar rola no rabinho no meio da rua e vai voltar pra pousada com o cu cheio de leite!

Ela gemia mais alto e pedia: enfia! Enfia logo! Me da esse pau no rabo!

Molhei bem os dedos uma ultima vez no melzinho dela, espalhei como deu no pau, ajeitei a cabeça na entrada do cuzinho e nem precisei fazer nada. Ela empurrou o corpo pra trás e mais da metade do pau entrou liso de uma so vez.

Pedi pra ela ficar parada enquanto dava mais uma olhada em volta e pro cuzinho acostumar, antes de começar a bombar, mas ela não me ouvia mais. Tinha perdido o raciocinio. Falava palavras soltas, rebolava sem parar, até que o rabo sugou o pau inteiro pra dentro.

Confesso que ate ali não estava tão no clima assim, como disse o medo de ser pego era alto, mas ao vê-la absolutamente descontrolada, rebolando e falando as mais altas putarias enquanto dava o cu na praia foi me deixando mais a vontade ate que eu esqueci que estavamos em publico e entrei de vez na fantasia.

Comecei a socar forte. Ela então se inclinou levemente pra frente, não a ponto de ficar de quatro, mas o suficiente pra eu poder segurar nas ancas dela e socar como nunca tinha socado um cu antes:

– Voce queria dar o cu na rua, sua putinha? Entao toma rola no cu!

Ela falava frases cada vez mais perdidas e gemia loucamente:

– Me da! Putinha? no cu? cuzinho? na rua? leitinho? me da leitinho quente no cu? quero leite no rabo. Da leite pro cuzinho da sua puta! Quentinho? leite na bunda? me da!

Eu disse que so ia dar o leitinho quente pra ela se ela gozasse junto comigo. Eu sabia como aquele corpo funcionava: ela começou a esfregar o grelo e a gemer cada vez mais alto:

– Enche! Enche meu cu! Me da leitinho no cu! A putinha quer leite quente no cu!

A essa altura eu nem lembrava mais onde estava e senti que o jato estava chegando:

– Você quer tomar leitinho na bunda, sua puta? Então eu vou encher seu rabo de leite! Toma leitinho no cu!

– Enche! Enche! Da leitinho quente dentro do rabinho da puta! Me da!

E assim foi: gozei tanto que minhas pernas até fraquejaram. Eu ja sabia que ao sentir o calor do jato dentro do cuzinho ela ia gozar. Ela realmente amava sentir o leite quentinho esguichar dentro do rabo e sempre controlava pra gozar nessa hora.

Gozei, ela gozou e ficou (juro!) quase um minuto se contorcendo, até que meu pau foi amolecendo e acabou saindo da bunda dela.

Eu precisava sentar um pouco, minhas pernas tremiam, meu coração batia muito forte, minha respiração estava muito ofegante.

Vesti a cueca e a bermuda. Ela se virou pra mim, disse que me amava e me deu um longo beijo de língua, ainda escondidos nas arvores.

Mas eu sabia que aquilo não acabava ali. Pedi pra ela guardar o leitinho todo dentro ate que eu a autorizasse a coloca-lo pra fora. Ela deu aquela relaxada nos ombros e abriu um sorriso bem característicos de quando sabia que ia aprontar. Voltamos para o centro da praia, eu precisava sentar.

Ela continuava sem calcinha, e eu disse que ia procurar um lugar para ela agachar e botar o leite pra fora. Sentei no banco e ela permaneceu de pé, com medo de sujar o vestido.

Dei uma boa olhada em volta e vi que estavamos sozinhos. Falei que ela já podia agachar ali mesmo e soltar todo o leite no chão. Fiquei olhando e escutando o barulho da porra saindo com um pouco de ar e pra cara de tesão dela, olhos quase fechados e boca um pouco aberta. Na sequência ela aproveitou pra fazer um xixi, já que estava na posição. Eu assistindo e ouvindo tudo, ainda mole e recuperando a respiração. Que delícia!

Com a porra colocada pra fora, devolvi a calcinha dela e fomos andando, abracadinhos, de volta pra pousada, sem falar nenhuma palavra, só o carinho do abraço na cintura e o sorriso no rosto.

Chegando na pousada pedi pra ver de perto como o cuzinho tinha ficado: não estava mais aberto mas ainda estava molinho o suficiente para eu tentar dar mais uma gozada la dentro.

Tomamos uma ultima cerveja, pedi pra ela ficar de quatro e avisei:

– Agora vou acabar de deixar esse rabo arrombado.

Ela fazia aquela carinha de tesão (olhos quase fechados e boca meio aberta) e falava por entre os dentes:

– Soca! Eu quero!

E soquei. Soquei muito, soquei tudo. Como tinha gozado há pouco tempo, sabia que não ia ser rápido. Fiquei uns bons 20 minutos bombando sem parar naquele cu. De vez em quando tirava pra ver o tamanho do buraco e não acreditava no que via. Ela esfregava a bucetinha, controlando pra gozar só na hora da leitada quente, como gostava de fazer.

Quando eu já estava literalmente escorrendo suor de tanto bombar, senti que a gozada estava chegando. Avisei que ia encher de novo aquele rabo de leite e gozamos juntinhos novamente. Caimos cada um para um lado da cama, exatos, ofegantes, felizes, sem precisar dizer uma palavra.

Nao me lembro quanto tempo ficamos acordados, não deve ter sido mais do que cinco minutos. Acordei ja com o sol batendo na janela e a visão daquela mulher maravilhosa do meu lado, de bruços, pelada, com o cuzinho ainda avermelhado e aquele volumao da buceta mais umida que já conheci na vida.

No ano seguinte nos separamos mas ela sempre tera seu espaço na minha memoria e nas minhas punhetas. E essa e a nossa historia mais doida – e olha que tivemos varias.

25 views

Contos relacionados

Manobrista safado

COMO PROMETIDO SEGUE... parte 1 aqui https://clubdoscontoseroticos.com/manobrista-safado/ Ele voltou na quarta feira mesmo, umas meio dia e pouco mais ou menos, eu estava com uma calça preta ,...

LER CONTO

Manobrista safado

Manobrista safado Trabalho em um prédio  comercial, onde tem dois manobristas, um deles sempre veio tomar um café , até  mesmo quando meus cheffs estão  por aqui, de uns tempos pra cá  ele...

LER CONTO

Fui dominada e me arrependi

Mesmo ninguém sabendo quem sou eu, não me sinto a vontade de contar isso. Sinto vergonha. Muita vergonha. Sempre fui direita. E nem quando nova, eu me permitir certas coisas. Até costumava...

LER CONTO

Fui disposta a fuder no onibus

Sexta feira estava decidida a ser encoxada no ônibus, sai do trabalho as 18.10, mais ou menos, estava com uma calça colmeia de tecido fino e transparente puxei bem para cima, deixando a buceta...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 3 + 5 = ?
Conheça o site de contos eróticos mais quente do Brasil. Faça outras pessoas sentirem tesão apenas com sua escrita, se abra com textos bem safados. Não deixe escapar nenhum detalhes, faça as pessoas se imaginarem naquela situação. Então saiba que você será capaz de fazer muitas pessoas gozarem apenas com suas escritas. Nós contos falamos apenas coisas pessoais que aconteceram conosco, agora já imaginou contar um segredo, algo único que ninguém pode saber? Então agora temos esse espaço, se chama meu segredo, você pode nós contar seus segredos, sem medos, sem julgamento, apenas se deliciar com os comentários mais safadinhos…… Então temos a maior mistura louca aqui, você pode falar dos seus desejos e ao mesmo tempo pode contar algo que te aconteceu… Esperamos entreter sua imaginação, leia os contos que te da mais tesão, temos uma ampla categoria, alguns dos melhores temas você só encontrar conosco,temas como cdzinhas, corno. Nós não somos responsáveis pelos contos aqui, apenas divulgamos contos enviados a nós. Somos um site independente sem parceiros. Melhores contos eróticos gays, contos eróticos cnn, contos de sexo, contos porno, contos com fotos. Então clica . Ah temos uma página de segredos, igual a página "eu confesso " mas 100% brasileiro e sem problemas com sua escrita Discover the hottest erotic story site in Brazil. Make other people horny just with your writing, open up with really naughty texts. Don't miss out on any details, make people imagine themselves in that situation. So know that you will be able to make a lot of people come off just by your writing. We tales only talk about personal things that happened to us, now can you imagine telling a secret, something unique that no one can know? So now we have this space, it's called my secret, you can tell us your secrets, no fears, no judgment, just delight in the naughty comments…… So we have the biggest crazy mix here, you can talk about your desires and the at the same time you can tell something that happened to you… We hope to entertain your imagination, read the stories that make you the most horny, we have a wide category, some of the best themes you can only find with us, themes like cdzinhas, horn. We are not responsible for the stories here, we only share stories sent to us. We are an independent site with no partners. Best gay erotic tales, cnn erotic tales, sex tales, porno tales, photo stories. Then click . Ah, we have a secrets page, just like the "I confess" page but 100% Brazilian and no problems with your writing Descubra el sitio de historias eróticas más popular de Brasil. Pon a otras personas cachondas solo con tu escritura, ábrete con textos realmente traviesos. No te pierdas ningún detalle, haz que las personas se imaginen en esa situación. Así que debes saber que podrás hacer que mucha gente se destaque solo con tu escritura. Los cuentos solo hablamos de cosas personales que nos sucedieron, ¿ahora te imaginas contando un secreto, algo único que nadie puede conocer? Así que ahora tenemos este espacio, se llama mi secreto, puedes contarnos tus secretos, sin miedos, sin juicios, solo deleitarte con los comentarios traviesos ... Así que tenemos la mezcla más loca aquí, puedes hablar sobre tus deseos y el al mismo tiempo puedes contar algo que te pasó… Esperamos entretener tu imaginación, leer las historias más cachondas, tenemos una amplia categoría, algunos de los mejores temas solo los puedes encontrar con nosotros, temas como cdzinhas, cuerno. No somos responsables de las historias aquí, solo compartimos las historias que nos envían. Somos un sitio independiente sin socios. Los mejores cuentos eróticos gay, cuentos eróticos cnn, cuentos sexuales, cuentos pornográficos, historias fotográficas. Luego haga clic. Ah, tenemos una página de secretos, como la página "Lo confieso" pero 100% brasileña y no hay problemas con tu escritura.
© 2021 - Club dos contos eroticos