Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos interraciais » Dei gostoso a buceta um velho negro catador de recicláveis (segunda parte).

Dei gostoso a buceta um velho negro catador de recicláveis (segunda parte).

Publicado em 30/07/2022 por Edilene Soares
  • Depois daquela madrugada inesquecível em aquele senhor negro catador de recicláveis do pauzão me comeu o tanto que ele quis em seu barraco , fiquei o bom tempo sem vê_lo ,mas não conseguia jamais esquecer aqueles momentos, aí então eu me satisfazia me masturbando batendo siriricas.

Conforme eu disse na primeira parte do conto eu gerencio uma loja de eletrodomésticos aqui em São Paulo ,sou eu a responsável pela loja por causa disso eu sou a primeira a chegar e a última a sair da loja, diariamente vai a loja vários catadores de recicláveis a procura de materiais recicláveis , como é uma loja de eletrodomésticos geralmente existem muitos papelões e outras coisas recicláveis.

Outro dia como sempre veio aqui na loja vários catadores a procura de materiais recicláveis , uma funcionária da loja os atendeu essa funcionária  falou que um senhor queria me agradecer pessoalmente , tudo bem mandei ela falar pra ele que poderia entrar na sala que eu trabalho , quando ele entrou em minha sala me gelei , nossa era aquele velho negro  do pauzão , aquele que meteu gostoso comigo naquela madrugada em seu barraco eu voltava sozinha de uma balada, eu o reencontrava novamente era o que eu mais queria , fiquei paralisada , confusa e atrapalhada , isso porque tudo que havia acontecido naquela madrugada comigo e com aquele senhor magro negro, veio em minha mente era como se eu estivesse assistindo um vídeo nos mínimos detalhes de tudo que havia acontecido naquela madrugada . Depois de alguns minutos e ainda meia confusa me liguei com aquele senhor negro me dizendo “moça , moça obrigado, obrigado pelas coisas recicláveis!” Ao mesmo tempo ele me perguntou se poderia voltar outro dia , falei que sim , poderia sim voltar o dia que ele quisesse.

A funcionária da loja que é minha amiga pessoal disse “amiga querida quando você viu aquele senhor negro, parecia que tinha visto um ser do outro mundo nossa você ficou pálida achei até que você iria ter um treco ou até mesma desmaiar” , então me desculpei com minha amiga falando que aquele senhor é indentico ao homem negro que tempos atrás tentou me violentar .

Os dias se passaram aquele homem sumiu até que em um início de noite aquele senhor negro voltou alí na loja ele estava sozinho , todavia ele sabia que eu também estava sozinha, as funcionárias já tinham todas ido embora , eu estava sozinha na minha sala como de costume fazendo balanços de mais um dia de trabalhos alí na loja , o velho falou que foi pegar mais coisas recicláveis e que não foi mais cedo por causa da chuva , realmente havia chovido bastante naquele dia aqui em São Paulo , falei para ele aguardar um pouco pois estava terminando aquilo que estava fazendo e o atenderia ele o mais depressa possível , aquele senhor negro ficou a minha espera.

Em seguida fomos para o depósito de recicláveis da loja que fica nos fundos da loja para ele pegar os recicláveis, entramos para dentro do depósito acende às luzes , fechei a porta do depósito , isso porque pretenderia dar a buceta e o cuzinho para o velho naquele lugar e lógico o objetivo dele era meter em mim ele estava sedento, dei uma olhada e vi o volumão do pau do velho , a bermuda dele estava levantada na parte da frente , mas ele recolheu aquelas coisas deixando no jeito de  levá-las .

porno telegram

Minha buceta estava encharcada , muito encharcada a ponto do melzinho escorrer , minha xoxota estava assanhada e a espera daquele pauzão de cavalo enterrado nela , deixando ela todinha melada repetindo tudo que aconteceu na primeira vez.

O velho olhando pra mim falou moça gostosa vim aqui para te ver e quero meter muito em você loirona gostosa do rabão ,dos seios grandes , nisso ele me pediu a buceta lógico aceitei ,imagina eu negar a minha rachada aquele velho do pauzão hein , imediatamente tirei minha  blusa , tirei a calça ficando só de calcinha e sutiã , ele primeiramente arrancou meu sutiã apalpando meus seios , mamou neles , o velho alisou todo o meu corpo sobretudo minha bunda tamanho GG e falou que pensava em mim todo momento e estava louco para me comer outra vez .

Peguei um colchão ele deitou e com aquele pauzão super durão , o velho falou gostosa do rabão , senta aqui no meu pauzão, ele puxou minha calcinha , o velho viu minha buceta com um pouco de pêlos , eu rápida sentei naquele pistolão rebolando com gemidos e sussurros , falei para ele caprichar e fazer igual da primeira vez , aquele senhor me segurou pela minha cintura , eu não parava de rebolar sentada naquele pauzão , vou dizer uma coisa estava extremamente delicioso eu sentada e rebolando igual a Anita naquele pistolão parecendo ser de um jumento , aquele pistolão desapareceu em minha xoxota lubrificada molhadinha , eu cavalguei sentada naquele pistolão, esfregando meus peitos na cara dele , falei para ele não parar de chupar meus peitões , ele dizia que meus seios são deliciosos , não demorou ele se gozou melecando minha buceta , fiquei completamente excitada e provocando meu orgasmo fazendo eu gozar deliciosamente.

Em seguida apoiei as mãos ao chão empinei meu rabão dei para aquele velho negro meu cuzinho , antes de comer ele cuspiu no meu rabão deu uns tapas também , o homem negro me segurou pelos meus cabelos ,me chamando de loirona tarada ,gulosa por um pau negro grandão , nisso ele enterrou o pistolão no meu cuzinho socou, socou enquanto eu rebolei , rebolei adorei aquele pistolão literalmente atolado todo em meu cuzinho , eu gemia tão alto que se tivesse alguém do lado de fora e próximo ao depósito certamente ouviria meus gemidos , até que ele gozou me deliciei com aquela porra quente melecando meu cuzinho , até escorreu pela minha bunda .

Nisso eu deitei naquele colchão fiquei com a buceta totalmente arreganhada para o velho meter , ele falou “loirona boazuda tá querendo mais né”enterrando o pistolão em minha buceta e estocou , socou com forças e violência  , me chamando de loirona putona gostosa , todavia não parei de rebolar me sentindo com muito prazer uma verdadeira puta, ele apertou mais meus peitões eu até gmia, aquele pistolão em poucos segundos estava totalmente enfiado em minha buceta, até que ele gozou eu senti um jato de porras bem lá dentro da minha buceta , fiquei com a respiração ofegante e extremamente excitada gozei outra vez e foi bom demais.

Nisso falei senhor quero mamar nesse pauzão , então ele saiu de cima de mim, ele me agarrou pelos meus cabelos enfiando aquele pau em minha boca ,o velho não poupou socando várias vezes dizendo “mama chupa loira tarada safada ” foram deliciosas mamadas que dei no pau do velho catador de recicláveis , com minhas mamadas no pau dele e com as socadas dele , resultou que ele gozou na minha boca enchendo ela de porra até escorreu pelo meu queixo , no entanto engoli bastante, delícia aquele leitinho quente.

Eu mais aquele senhor negro ficamos horas dentro daquele depósito de recicláveis nos metendo , saíamos eu dei uma carona para ele até próximo ao barraco dele , ele me falou que vai me comer mais vezes , falei para ele que só ele me procurar .

Beijos ????????

Edilene !

Ajude a manter a página Club Dos Contos Eroticos, faça uma doação em PIX [email protected], SUA AJUDA É MUITO IMPORTANTE.

1618 views

Contos relacionados

Fui encoxada dentro do metrô por um homem negro.

Vou contar como foi a encoxada dentro do metrô por um homem negro desconhecido foi no dia que estava acontecendo uma greve dos motoristas de ônibus . Tudo se deu da seguinte maneira  eu voltava de...

LER CONTO

Sandra, a gordinha ruiva

Mais um conto real pra vocês Trabalhava num condomínio , no Bairro Rio Branco em Porto Alegre. Ali eu conheci muita gente, muitas mulheres. Uma delas se chamava Sandra. Sandra era gordinha,...

LER CONTO

Dei gostoso a buceta um velho negro catador de recicláveis

Olá meu nome é Edilene moro em São Paulo  tenho 30 anos sou loira de 1, 70 altura meus seios são grandes , meus cabelos são compridos abaixo dos ombros , bunda empinada e grande, coxas...

LER CONTO

a filha do coronel é um demonio

Mil oitocentos e setenta e cinco, o engenho mundo novo vivia o auge da cana de açúcar, coronel Mathias cada vez mais prosperava graças aos trabalhos escravo.   homem duro e cruel, sentia um...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 1 + 1 = ?
© 2024 - Club dos contos eroticos