Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos Travesti » Como virei uma travesti (parte 1)

Como virei uma travesti (parte 1)

Publicado em 10/11/2023 por CarlaTV

Contos eroticos  Como virei uma travesti em audio

Contos eroticos  Como virei uma travesti em audio

Contos eroticos  Como virei uma travesti em audio

Aos 15 anos me descobri sexualmente. Descobri que eu era uma menina num corpo de menino e como tinha uma família muito conservadora não iria poder me assumir. Então como morava numa cidade com praias no interior do estado do Rio, tive a idéia de comprar uma prancha de surf e dizer para a família e amigos que eu me tornaria um surfista. Mas era pura fachada, eu criei esse personagem de surfista apenas para poder deixar os cabelos crescerem e pintá-los de loiro, assim como muitos surfistas fazem. E foi o que fiz, meus cabelos já eram bem lisos e castanhos claros, então deixei o cabelo crescer e fui pintando aos poucos de loiro. Com o tempo eles já estavam na metade das costas e bem loiros. Eu ficava o dia inteiro com eles presos com um rabo de cavalo pra não chamar a atenção, mas como eu era “surfista” ninguém estranhava. A noite eu trancava a porta do meu quarto, colocava uma calcinha fio dental que tinha comprado escondido e soltava meus cabelos pra ficar curtindo aquela sensação como se fosse uma garota.

Aos 23 anos passei num concurso público e fui trabalhar e morar no Rio de Janeiro. Como não tinha onde ficar, fui morar com o Marcos, um amigo de infância que também trabalhava no Rio e começamos a rachar o aluguel do apartamento onde ele morava.

Longe da família, era a chance de levar uma vida de menina. E como morávamos num apartamento com duas suítes, e cada um tinha uma TV em seu quarto, a noite eu ia pro meu quarto, me trancava e não via mais o Marcos. Então ficava ali pintando as unhas, andando de calcinha, camisola, com os cabelos soltos e até me deliciando com um vibrador que tinha comprado.

Mas eu queria mais, queria um homem, queria ser possuída e penetrada por um pau de verdade, queria me sentir uma mulher de verdade nos braços de um homem. Mas eu me olhava no espelho e não via uma mulher, somente meus cabelos e meu corpo magrinho com as coxas grossas não me fazia me sentir uma mulher. Foi aí que decidi fazer uma harmonização feminina e colocar silicone na bunda.

Então comecei a fazer pesquisas na internet sobre harmonização feminina, até que por fim fui a um médico e disse que gostaria de iniciar minha harmonização para ficar com feições femininas, perda de pelos, voz mais fina, etc. Mas que tinha de ser algo discreto pois não queria que a família e os amigos percebessem. Porém ele disse que meus seios iriam começar a crescer, os bicos iriam ficar maiores e começariam a aparecer. Eu disse pra ele que eu estava ciente disso, mas que gostaria que ele diminuísse a dosagem dos hormônios assim que meus seios ficassem do tamanho de limões, assim eu poderia disfarçar usando ataduras e roupas largas quando precisasse.

Então iniciei meu tratamento, mas minha maior preocupação era com o Marcos, que começaria a perceber as mudanças em meu corpo porque morávamos juntos. E também tinha o problema de eu não poder levar uma vida de menina pelo menos na minha casa. Então tomei coragem e decidi contar para o Marcos o que eu estava fazendo.  E naquela noite mesmo me sentei com ele e contei tudo. Também expliquei pra ele que assim que os hormônios começassem a me mudar, e que meus seios crescessem, eu iria fazer um implante de silicone na bunda, algo discreto. E que depois que tivesse alta da clínica e voltasse pra casa, eu seria uma garota, só me vestiria e me comportaria como mulher e que gostaria que ele me chamasse de Carla. Expliquei que na rua e no trabalho eu continuaria sendo um rapaz, mas que assim que chegasse em casa eu iria tomar um banho e já sairia do banheiro como uma mulher, agindo, me vestindo e me comportando como uma garota. E perguntei se ele se importava de dividir o apartamento com alguém assim.

Ele ficou de boca aberta ! Disse que nunca tinha percebido nada. E depois de ouvir todos os meus planos, o sacana disse pra mim:   ___ Tudo bem. Vai ser um barato ver tudo isso acontecer !

A partir daquele dia o Marcos parou de andar de cueca pela casa, kkkk. Mas ele foi legal comigo, me respeitava e sempre perguntava como ia o tratamento. Também ia observando e fazendo comentários positivos das mudanças nas minhas feições. Mas meus seios eu ia escondendo dele usando ataduras e camisas largas, pois só queria que ele visse quando estivessem no tamanho que eu desejava.

Então, um ano e meio depois do início do meu processo de hormonização, cheguei no estágio desejado, minhas feições do rosto já haviam se tornado bem femininas, mas nada exagerado. Meus seios já estavam do tamanho dos seios de uma adolescente, como dois limões e os bicos super grandes e pontudos.

Já não tinha mais pelos no corpo, minha voz mais fina…. então meu tratamento passou para a fase de apenas manutenção. Então depois de juntar dinheiro por um ano e meio e zerar minha poupança e pegar ainda um dinheirinho com a família, marquei para o mês das minhas férias, duas cirurgias, uma para afinar meu nariz fazendo-o parecer discretamente mais feminino, e a outra cirurgia seria pra colocar o implante de silicone na bunda. Eu tinha dito para o cirurgião que eu queria uma bunda grande e bem redonda, mas nada exagerado, pois não queria que percebessem o meu implante e que disfarçaria usando calças largas e camisas compridas.

Depois da alta da clínica fui para casa cheia de curativos e restrições. Quando o Marcos me viu com o rosto inchado e roxo ficou meio espantado. Tranqüilizei ele e disse que não iríamos nos ver durante meu tempo de recuperação. Que quando ele chegasse em casa a noite depois do trabalho eu já estaria em meu quarto. Disse pra ele que gostaria que ele me visse só depois que eu me recuperasse.

Então minhas férias acabaram, o tempo de atestado médico, e meu tempo de recuperação também. Então fui para frente do espelho e pude ver o bom resultado. Com meu cabelo cumprido e loiro,  a hormonização e a plástica no nariz,  meu rosto ficou bem feminino e depois que eu me maquiava ninguém poderia dizer que eu não era uma mulher.

Também meu corpo magrinho, sem pelos, coxas grossas… e uma bundona de silicone linda que faria qualquer homem babar, todo esse conjunto, me fazia uma mulher quase de verdade.

Mesmo que fosse um segredo, que eu só pudesse ser mulher dentro de casa, já era uma sensação maravilhosa. E imaginar viver como uma mulher na frente de um homem, na frente do Marcos, e quem sabe um dia talvez seduzi-lo, tornava tudo tão excitante que eu mal podia me conter. Assim, fui na rua e comprei muitas roupas femininas, lingeries, camisolas, maquiagem, perfumes… montei meu guarda roupas inteiro, tudo isso sem o Marcos ver nada. E finalmente tinha chegado o dia de apresentar a “Carla” para o Marcos, o dia dele me ver como mulher pela primeira vez. E a partir daquele dia ele sempre me veria como mulher, eu sempre me vestiria, me comportaria e falaria como mulher na frente dele.

Então, no dia planejado, saí mais cedo do trabalho, fui para casa, tomei um belo banho e comecei a me arrumar para estar toda pronta quando o Marcos chegasse do trabalho. Passei bastante hidratante no corpo deixando minha pele bem macia e cheirosa, fiz uma maquiagem caprichada com direito a batom vermelho, depois vesti uma micro calcinha de renda que foi totalmente engolida pelo meu bundão de silicone.

Em seguida coloquei uma mini saia estampada de um tecido bem fininho e que deixava minhas coxas lisinhas de fora, depois vesti uma camisetinha de malha sem sutiã, deixando os bicos dos meus peitinhos quase furando o tecido da camiseta. Depois coloquei uma sandália de salto alto, passei um perfume feminino delicioso e para coroar, escovei bastante meu cabelão loiro deixando ele bem lisinho e solto. Em fim, eu era uma loira de cabelos compridos e bem gostosa esperando para me exibir pro Marcos.

A idéia de talvez um dia seduzir o Marcos não saia da minha cabeça e me enchia de tesão. Perto da hora dele chegar, pedi ao porteiro do prédio pra me avisar discretamente assim que o Marcos chegasse. Então me preparei na cozinha fazendo o jantar. Quando o interfone tocou meu coração disparou, era o porteiro avisando da chegada dele. Me posicionei ali na beirada do fogão de costas pra porta da cozinha. Então, quando ele entrou e foi até a cozinha, deu de cara com uma loira de mini saia e salto alto cozinhando.

Sem saber quem era, pois eu estava de costas, ele disse meio surpreso:

___ Boa noite !

Eu então fui me virando lentamente e disse afinando bem minha voz e respondendo com minha nova voz feminina:

___ Boa noite Marcos !

Quando ele viu que era eu, levou um susto e quase gaguejando me disse admirado:

___ Não acredito, você ficou linda ! É uma … garota mesmo ! Caramba, que legal ! Tá uma gatinha !

Eu simplesmente fiquei radiante com a reação dele, super feliz ! Então respondi:

___ Obrigado … amigo ! Obrigado por ter me apoiado esse tempo todo ! De hoje em diante eu sou a Carla, esqueça quem eu já fui antes. Agora você divide o apartamento com sua melhor amiga, Carla. Certo ?

___ Sim claro, não vou esquecer. Na verdade, vai ser impossível esquecer, você é …. uma mulher agora. Você tem até seios e… uma bundona !

Sorri pra ele e disse pra ele ir tomar um banho que eu estava fazendo a janta pra gente. Ele foi então para o banho e eu fiquei na cozinha super feliz com o que aconteceu. Em fim, eu finalmente me sentia uma mulher !

Depois que ele saiu do banho e colocou uma roupa e foi para a cozinha. Sentou na mesa e ficou me vendo colocar as coisas na mesa. Notei que toda vez que eu me inclinava pra mexer na pia ou pegar algo no armário de baixo, ele tentava discretamente ver por baixo da minha saia. Então, fingindo não perceber nada, comecei a colaborar com ele me inclinando mais. Era uma sensação deliciosa ser observada por trás, vestindo mini saia, de santo alto e  com a calcinha estava toda dentro da minha bunda.

Nos sentamos para comer e ficamos batendo papo. Ele educadamente  me enchendo de perguntas sobre meu tratamento… e não parava de me elogiar dizendo que eu estava bonita, que a maquiagem, a plástica no nariz tinha me deixado linda e que minha voz também estava super feminina, que nunca tinha me visto de cabelo solto e escovado… que minha roupa tinha ficado ótima … mas que o mais bonito em mim era minha bunda, que com todo respeito,  minha bunda tinha ficado muito gostosa.

Mas, de repente ele parou de falar, me olhou nos olhos e disse: ___ Você está de calcinha ?

Deu um sorriso meio tímido e respondi:

___ Claro que sim Marcos !

Ele pensou por uns instantes, talvez tentando imaginar minha calcinha no meio daquele bundão… e disse:

___ Pequenininha ?

Eu respondi me fazendo de tímida:

___ Ah ! Não sei Marcos.

Ele deu uma risadinha sacana e disse:

___ Ah ! Conta aí, vai. É uma fio dental ?

Olhei nos olhos dele e murmurei baixinho:

___ Hunru.

Os olhos dele brilharam, percebi sua mente imaginando a calcinha fio dental enterrada no meu bundão. Na hora rolou um clima super erótico. Então me levantei rápido da mesa levando meu prato e disse:

___ Agora vamos lavar a louça.

Fomos então lavar as louças. Enquanto fazíamos isso, notei que o Marcos toda hora passava por trás de mim tirando uma casquinha na minha bunda e sentindo o perfume do meu cabelo.

Mas eu estava resolvida  fingir que não percebia nada. Não queria precipitar as coisas, queria que as coisas acontecessem bem devagar. Então terminamos com a louça e fomos sentar no sofá. Ao me sentar, cruzei as pernas assim como uma mulher faz, então minhas coxas que chegavam brilhar sob a luz de tão lisinhas ficaram bem a mostra. Notei logo o olhar do Marcos para elas. Além disso, ao me recostar no sofá, minha blusa repuxou esticando o tecido e os bicos dos meus seios marcavam muito por baixo da camiseta. Ele até que tentava disfarçar, mas seus olhos pareciam que iam me devorar.

Conversamos mais um tempo, então eu disse que estava com sono e ia dormir. Pra minha surpresa, ele me deu um beijinho no rosto de boa noite e fomos cada um pro seu quarto. Troquei de roupa e coloquei uma camisola curta. Mas de propósito deixei o abajur do quarto aceso e a porta destrancada, tinha quase certeza que ele ia armar alguma desculpa pra abrir a porta do meu quarto e falar qualquer bobagem só pra ver que roupa eu estaria vestindo. Então me posicionei deitada de bruços, com uma das pernas dobrada e com a bunda empinada com aquela calcinha toda enfiada, virada na direção da porta. Me cobri com o lençol apenas parte do corpo deixando minhas pernas e bunda de fora esperando por ele.

Passou uma meia hora e ouvi a porta do meu quarto abrindo lentamente, fingi que estava dormindo e deixei ele apreciar aquela visão super erótica por uns segundos e fingi que acordei me cobrindo com o lençol rapidamente. Então perguntei a ele com voz de sono o que ele queria. Ele deu uma desculpa esfarrapada pedindo pra eu acordar ele no dia seguinte. Eu disse pra ele que sim, mas disse que agora ele não podia mais entrar no meu quarto sem bater, por que eu era uma mulher. Ele deu um sorrisinho sacana, pediu desculpas e saiu. Meu sonho de um dia talvez seduzir o Marcos estava se concretizando, mas eu queria curtir cada momento, sem me precipitar. Eu queria torturar ele bastante, kkkk. No dia seguinte acordei bem cedo e coloquei um shortinho curto que ficava todo enfiado na bunda. Depois bati na porta do Marcos para acordá-lo e corri pra cozinha pra fazer o café.

Quando ele chegou na cozinha e me viu com aquele short todo enfiado na minha bundona de silicone e aquela micro calcinha marcando, disse de modo sacana:

___ Que que isso ! Que bundão é esse ?

Mas eu tinha que manter as coisas sobre controle, então chamei a atenção dele:

___ Olha o respeito !

Ele se tocou e disse:

___ Opa, desculpe ! Saiu sem querer. É que não tinha reparado que tinha ficado tão grande. E bonita !

___ Tá bom.

Mas na verdade, eu estava amando, tinha colocado aquele short de propósito pra deixar ele doido mesmo. Então fiquei por ali pra lá e pra cá desfilando com meu bundão na frente dele preparando o café enquanto ele ficava sentado na mesa babando na minha bunda. Depois tomamos café e fomos para os nossos quartos nos arrumar pra ir trabalhar. Ele terminou, deu tichau e saiu, só depois então que sai do meu quarto vestida de menino pra ir trabalhar. Tínhamos combinado que eu sairia pra trabalhar sempre depois dele e voltaria antes, assim ele nunca me veria de menino. sempre que ele chegasse eu já estaria no meu quarto tomando banho e me arrumando, pra depois sair como Carla.

Só que pra continuar instigando ele, naquela noite, tomei um banho e fiquei só de toalha enrolada no corpo esperando ele chegar. Pude ouvir ele chegando e ir pro quarto dele tomar banho. Depois ouvi ele ir pra sala e ligar a TV, então saí do quarto enroladinha na toalha, passei rapidamente por ele, dei boa noite e fui na área de serviço pegar uma roupa e voltei rápido pro meu quarto. Tudo isso só pra passar de toalha na frente dele, kkkk.

Então coloquei uma roupa mais a vontade pra ficar em casa vendo TV. Mas como sempre algo bem provocante pra deixar ele doido novamente. Vesti uma calcinha fio dental e mais um shortinho curto todo enfiado na bunda que deixava as beiradas da bunda de fora. Também uma outra camisa de malha fininha sem sutiã pra deixar meus peitinhos marcando, cabelão solto e um chinelinho.

Saí do quarto e fui direto pro outro sofá de três lugares que estava vazio (Marcos gostava de sentar sozinho num sofá de um lugar só que tínhamos). Fiquei ali sentada conversando um pouco com ele enquanto ele assistia um jogo de futebol. Depois, fingindo desinteresse no jogo, peguei uma revista e me deitei de bruços no sofá pra ler. Quando deitei minha bunda com o short todo enfiado ficou bem a mostra e o Marcos bateu logo o olho, fingi que não reparei e fiquei ali folheando a revista.

De vez enquanto eu olhava pra ele pra falar alguma coisa boba e pegava ele babando na minha bunda. Então me levantei e fui rebolando pra cozinha preparar um lanche pra gente. Ficávamos conversando comigo na cozinha e ele na sala, e eu sempre pegava ele lá da sala secando meu bundão. Eu também provocava, abaixando de vez em quando com a bunda virada pra ele, pra pegar alguma coisa no armário de baixo. Depois levei o lanche pra sala e sentamos os dois no mesmo sofá pra comermos. Enquanto conversávamos ele me perguntou algo que eu já tinha pensado antes em como responderia:

___ Você usa sutiã ?

___ Não. Acha que eu preciso ?

É claro que eu precisava de sutiã ! Os bicos dos meus peitinhos pareciam que iam furar a camisa. Mas eu me fingia de inocente, de inexperiente em ser mulher, como se não percebesse que os bicos dos meios seios marcassem tanto na camisa.

Mas eu tinha planejado aquela resposta. Quase morri de tesão ao praticamente pedir pra ele olhar pros meus peitinhos durinhos e opinar se eu precisava de sutiã. Rolou um clima muito erótico naquela hora ! Ele então respondeu meio encabulado:

___ Não, acho que está bonito ! Só perguntei de curioso.

Ele sabia que estava marcando muito, mas deu uma de bobo.

Agora eu ia deixar o clima mais erótico ainda:

___ Se eu fosse na rua precisaria porque ficaria meio indecente sem sutiã, mas aqui dentro de casa não precisa, afinal, somos amigos, posso andar mais a vontade na sua frente. Não é mesmo ?

___ Sim claro ! Tranqüilo.

Que delícia ! Estávamos entrando numa espécie de jogo de sedução, onde fingíamos desinteresse. Que excitante !

Depois de lavarmos a louça, disse pra ele que ia pro quarto me trocar pra dormir e já voltava. É claro que falei assim na intenção dele esperar pra ver que roupa de dormir eu voltaria vestindo. Então fui lá e coloquei uma camisola linda bem curtinha e transparente, que deixava quase aparecer nitidamente os bicos dos meus peitos e minha calcinha minúscula. Mas por cima vesti um roupão de seda curto pra ocultar o que tinha por baixo.

CONTINUA NA PARTE 2

1557 views

Contos relacionados

MARILDA E ESPOSA III

NUMA TARDE MARILDA ME PEGOU NO ESTACIONAMENTO DA EMPRESA NÃO TENDO COMO RESISTI E CADA VEZ MAIS ENTREGUE PORQUE SEUS BEIJOS E O CALOR DE SEU CORPO ME DEIXAVA COM O TESÃO A FLOR DA PELE AINDA MAIS...

LER CONTO

MARILDA E ESPOSA

NAQUELA SEXTA FEIRA AO VER NÁDIA SE ARRUMANDO PARA, MAIS UMA VEZ SAIR COM MARILDA, SUA AMIGA TRAVESTIS DEIXEI ELA SEM GRAÇA AO RECLAMAR NA PRESENÇA DA AMIGA DEIXANDO CLARO QUE NÃO TINHA...

LER CONTO

Como virei travesti (parte 4)

Conto erótico Como virei travesti (parte 4) em audio Então bolei um plano, tomei um banho caprichado, coloquei uma micro calcinha e um shortinho minúsculo, que ficava com quase a  metade...

LER CONTO

Primeira vez com trans rabuda

Olá pessoal, meu nome é José, tenho 47 anos e vou contar com detalhes neste conto erótico como foi minha primeira vez com trans rabuda Eu trabalho até as 22 horas da noite e toda vez que vou...

LER CONTO

1 - Comentário(s)

  • WAGNER 17/01/2024 04:22

    Tô amando seu contos eroticos essa voz nossa muito sedutora acho que éva mesma voz do conto Referem DO VELHO NEGRO

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 1 = ?
© 2024 - Club dos contos eroticos