Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Club dos contos eroticos » Contos fetiches » 33 minutos intensos,[ desvios da mente] 1

33 minutos intensos,[ desvios da mente] 1

Publicado em 05/04/2022 por herege

Após mais um dia cansativo de trabalho era hora de voltar pra casa, seria mais um sufoco encarar aquela longa viagem dentro do comboio abarrotado de pessoas que retornavam para seus lares .

Mas a partir da próxima parada, o trem teria sua carga de pessoas diminuída, após os trinta e três minutos que o separava da próxima estação.

.
Espremida na parte final do último vagão, Suzana avistava através da janela fechada a fachada das casas do subúrbio, que passavam com rapidez, quando sentiu uma mão  atrevida levantando sua saia que justa abaixo das coxas dificultava o intento, fitou com asco o enorme negro que estava a sua frente e desferiu uma cusparada no rosto do abusado e quando tentou gritar , alguém por trás tampara sua boca, ela   percebeu que a sua volta tinha um bando que a cercara   deixando-a no meio de uma roda   com cerca de uns vinte caras que davam cobertura para aquela ação e a comprimiam cada vez mais sendo inútil tentar se desvencilhar.

.   .
Sentiu a lamina fria de uma navalha percorrendo seu rosto e o cara a sua frente sorria sadicamente limpando sua face , prometendo mutilar todo seu corpo   se não ficasse calada.

,
Apavorada amedrontada toda tremula sem voz   ela assentiu com a cabeça prometendo silencio , então foi retirada a mão que tampava sua boca , sádico e perverso o negro cortou cada botão da sua blusa deixando a mostra seus seios , que alguém por trás amassava  ambos com veemência e torcia os bicos deixando-os doloridos , sua saia foi rasgada e jogada a seus pés,   sua calcinha cortada cheirada e guardada como um troféu por ele, que sem preâmbulos abriu a braguilha e se posicionou com o cassete duro pronto para meter nela , dois caras a sustentavam pelas coxas deixando ela erguida com as pernas abertas, por trás   o outro mantinha as mãos nos seus seios mas apoiava as costas dela no seu peito mantendo-a segura por entre seus braços, os demais formaram uma roda a sua volta espremendo ainda mais as pessoas.

.
O negro a sua frente, sem preâmbulos  foi fundo nela socando com rapidez entrando e saindo metendo como um animal feroz, fazendo ela gemer de dor , enquanto amedrontava ela passando a lamina fria por todo seu  corpo  que sentia o gélido metal tocando sua pele a deixando em pânico,  o gélido metal  lhe provocava arrepios a deixando cada vez mais apavorada

.
Suzana mantinha os olhos fechados talvez não querendo ver a tremenda humilhação que passava sendo currada  na frente de todos , mas mesmo com todo o repudio que sentia começou a ter uma estranha sensação ir invadindo seu corpo, sentiu que seus sucos escorriam da sua vulva misturados com a porra que encharcava  sua buceta, enquanto eles se revezavam entrando dentro dela , percebeu que cada vez mais sua buceta estava ficando receptiva com aquela curra e tentou disfarçar sua excitação mas languidos gemidos escapavam dos seus lábios involuntariamente, Suzana não conseguia controlar seu corpo se contorcendo a cada estocada que sentia e ondas de prazer provocavam orgasmos seguidos nela que totalmente descontrolada gozava intensamente contraindo o rosto fazendo caretas de dor e prazer ,abria e fechava os olhos.

Sentiu um prazer insano percebendo os olhares libidinosos de todos dentro daquele vagão, sendo ela o objeto de desejos de todos, sem se dar conta ela se exibia para eles, estava gostando de ser observada, sendo possuída por aqueles machos, que mais pareciam lobos famintos.

SOCA , SOCA, SOCA,  METE , METE , FODE  ME FODE.

Ela insana gania igual uma cadela no cio, sem se importar com nada a sua volta, Suzana estava se descobrindo, uma exibicionista, ninfomaníaca.

.

Não pode precisar quantas vezes fora penetrada naqueles trinta e três minutos , talvez    os mais intensos de toda sua vida , após aquele bonde descer na estação gritando e vibrando com aquela proeza, rapidamente desapareceram.

.
Ela extenuada desfalecida   totalmente arregaçada e arrombada foi socorrida e levada de ambulância para um hospital , onde por quase quinze dias ficou se recuperando do brutal estupro a que fora cometida.

,
Sua recuperação foi total ampla pois logo depois sem sequelas Suzana viaja todos os dias no mesmo comboio na hora do rush , e quando o trem se aproxima daquela parada ela se dirige para os fundos do vagão esperançosa para que tudo aconteça de novo.

1838 views

Contos relacionados

Tesão em ser corno, convenci minha esposa a fuder com meu amigo

Há algum tempo vendo videos de homens deixando sua mulher ter prazer com outros homens, me peguei de pau duro, isso foi tomando conta e comecei a imaginar minha mulher transando com outro, bati...

LER CONTO

Tesão em usar fralda plasticas

Tesão em usar fralda sou uma mulher de 56 anos que fez xixi na cama quase todas as noites durante ate aos 11 anos . Nunca houve qualquer pressão  de meus pais para eu não  mijar na cama...

LER CONTO

Alisando o entregador

Alisando o entregador Pode parecer um fetiche bobo, porém  para mim a um começo  pois sou timida demais. Toda semana minha mãe  compra aqueles galões  de vinte litros de àgua na padaria...

LER CONTO

jogos doentios

Mais uma noite em que ela acordou na madrugada sobressaltada  com seus pesadelos seus medos e desejos, três meses já se passaram,  mesmo fazendo muitas analises passando por tratamentos...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 4 + 2 = ?
© 2024 - Club dos contos eroticos